ONDE O NOSSO FRIO É MAIS INTENSO E GOSTOSO
JUSSARA CÂMARA

No interior do Rio Grande do Sul está localizada a Serra Gaúcha, que pode ser dividida em duas regiões principais. A Região das Hortênsias, que é a mais famosa, colonizada por alemães, rodeada de hortênsias e araucárias centenárias e onde se encontram as cidades mais procuradas da Serra Gaúcha: Gramado, Canela e Nova Petrópolis, que oferecem aos turistas sofisticados hotéis, restaurantes e pousadas aconchegantes, com a lareira sempre acesa.

A Região Italiana, também chamada de Pequena Itália, é conhecida como região da Uva e do Vinho e tem as melhores vinícolas do país. Ela engloba as cidades de Garibaldi, Bento Gonçalves, Farroupilha, Flores da Cunha e Caxias do Sul.

Em toda a região da Serra Gaúcha onde o frio é mais intenso e gostoso,  o visitante vai encontrar muito chimarrão, vinho e paisagens de tirar o fôlego. Nesta época os termômetros já registaram -1°C  e muitas das cidades como: Canela, Gramado, Nova Petrópolis e São Francisco de Paula tiveram suas paisagens cobertas de branco.

A Região das Hortênsias oferece prazeres gastronômicos, como o chocolate artesanal, os fondues e os cafés coloniais, além da comida típica italiana e alemã. Tudo isso num cenário farto de morros, vales e construções em estilo bávaro e enxaimel.

Já a região italiana que começou a ser colonizada em 1875, quando ali chegaram os primeiros imigrantes italianos, estes tiveram que subir as serras e povoar as terras altas. Sua cultura é a mesma de Vêneto, uma região do norte da Itália cuja capital é Veneza, de onde veio a maioria dos imigrantes.

REGIÃO DAS HORTÊNSIAS

GRAMADO – Situada no coração da Serra Gaúcha, Gramado lembra as cidades européias na arquitetura e no inverno frio, além de ser sede do mais célebre festival de cinema do continente latino-americano.

Na suas origens, Gramado foi local de repouso de tropeiros. Ao atravessar hoje o pórtico de entrada da cidade, tem-se a impressão de ingressar numa vila bávara com construções em enxaimel, flores, doces e malhas coloridas. Importante centro turístico, de influências alemãs e também italianas. Não deixe de passear de pedalinho no Lago Negro, que é alimentado por vertentes naturais e circundado por hortênsias no verão, azaléas no inverno, gigantescos álamos e ciprestes.

Próximas ao centro estão a Cascata dos Narcisos e a Cascata Véu de Noiva com quedas de água de 20 metros

O café colonial já é tradição na região e oferece vários tipos de bolos, tortas, strudel, pão de aipim, pão de milho, "cucas", queijos, embutidos, pastéis de massa folhada e geléias de diversas frutas. Os chocolates caseiros e o cheiro do queijo derretido dos fondues à beira das lareiras, os pratos italianos, alemães acompanhados de vinho e champanhe, reafirmam que a região é o paraíso.

CANELA – Está situada na encosta inferior do nordeste com potencial ecológico que lhe valeu o titulo de Capital Brasileira do Ecoturismo. Cercada de morros e bosques, tornou-se conhecida em poucos anos como priviligiada estação climática e tradicional ponto de vereaneio. Nos diversos parques existem trilhas para realizar maravilhosos passeios ecológicos. O Parque Estadual do Caracol que foi o ponto de partida para as primeiras trilhas, possui uma Área de 25 ha de matas nativas, uma moderna infra-estrutura, a belíssima Cascata do Caracol de 131 m de altura e um pinheiro de sete séculos, 42 m de altura e 2,70 m de diâmetro.

Outra atração é a Igreja de Pedra.

NOVA PETRÓPOLIS - É típica cidade de imigrantes alemães que preservam até hoje traços da cultura germânica, possui uma paisagem privilegiada. Há sempre flores nas casas, nas praças e há também a hospitalidade das pessoas que ainda conservam um forte sotaque alemão.

Numa belíssima homenagem aos antepassados Nova Petrópolis criou o Parque Aldeia do Imigrante, uma Área de dez hectares com matas naturais e lagos. A cidade ser muito procurada por adeptos do eco turismo.

No coração do Parque foram montados antigos prédios em estilo enxaimel, trazidos do interior para reconstruir uma aldeia de imigrantes de 1875.

Ali estão a Capela, o Cemitério, a Cooperativa de Crédito, o Salão de Baile, totalmente restaurado e equipado, a Casa com Cantina; a Ferraria, a Escola Comunitária, a Casa do Professor e a Casa Paroquial. O Parque também oferece lojas de malhas, artesanato e produtos coloniais; o Biergarten - o Jardim da Cerveja - e um palco para apresentação do folclore da região.

SÃO FRANCISCO DE PAULA – Carinhosamente chamada de São Chico, a cidade de São Francisco de Paula, tem como prática habitual oferecer ao visitante hospedagem em hotéis-fazenda, disponibilizando animais para passeios em suas vastas planícies.

É a região mais tradicionalista desta região e também a mais fria. Ali se encontra belezas naturais como a Cascata da Ronda, conjunto de 5 quedas d'água, em uma extensão de 4,5 quilômetros, possui uma altura de aproximadamente 100m, formada por diversos patamares, alguns, observados somente a partir do topo e o último, observado a partir da base.

Outro ponto de visitação é o Lago São Bernardo, cartão postal de São Francisco de Paula, localizado na sede do Município, próximo ao centro, com uma extensão de 1.900 metros, profundidade média de 5m e despoluído suas margens são ajardinadas e cercadas de árvores e pinheiros, tem sido usado para prática de esportes aquáticos.

Por estes empolgantes visuais nativistas, em meio ao frio e ao trote de cavalos, São Francisco de Paula possui o charme cultural de uma cidade típica gaúcha, que esbanja tradicionalismo regional e uma deslumbrante paisagem serrana.

REGIÕES ITALIANAS:

GARIBALDI - A colonização da cidade de Garibaldi começou em 1875, quando chegaram à antiga Colônia de Conde d'Eu, quarenta famílias suiço-francesas. Um ano mais tarde estabeleceram-se na região setecentos imigrantes italianos, aos quais vieram-se juntar-se algumas famílias polonesas.

Garibaldi é hoje um grande produtor de aves e um dos municípios mais importantes na vitinicultura rio-grandense, sendo considerado o maior produtor de champanhe do país.

Além disso, Garibaldi possui um centro histórico na rua Buarque de Macedo, cujo conjunto de casas e casarões é uma mostra da arquitetura do início do século.

BENTO GONÇALVES - Está localizada na região dos vinhedos e tem como atração principal o Parque da Fenavinho, onde acontecem feiras, exposições e eventos esportivos culturais e esportivos.

O binômio móvel - vinho, é responsável pela base econômica do município. Quanto ao Comércio, Bento Gonçalves apresenta qualidade e variedade de produtos.

O município tem cerca de cem mil habitantes, oferece toda a infra-estrutura necessária para que os visitantes possam desfrutar da gastronomia, do lazer, dos costumes e das tradições deste hospitaleiro povo bentogonçalvense. Hoje Bento Gonçalves pelo referencial turístico que possui, desenvolve a atividade que ganha expressão econômica a cada ano, especialmente no turismo rural e de negócios.

FARROUPILHA - é caracterizada por ser o berço da colonização italiana no Rio Grande do Sul e conhecida por seus pontos turísticos. Entre eles estão: A Cascata do Salto Ventoso, onde foi gravada a minissérie global O Quinto dos Infernos e o filme O Quatrilho.

O Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio e o Parque dos Pinheiros. Existem muitos pontos turísticos "escondidos" que apenas alguns guias turísticos ou famílias naturais do local têm conhecimento.

FLORES DA CUNHA É considerada a mais italiana de todas estas cidades. E é a que lidera a produção nacional de vinho.

Em sua área de 253 Km2 , 247 estão na área rural, onde pequenos proprietários rurais têm na vitivinicultura sua fonte de renda, atividade herdada da colonização italiana desde o final do século XIX.

Fora o vinho estas pequenas colônias hospitaleiras são produtoras de deliciosos licores, queijos e de um artesanato típico em crochê e filé - trabalho em agulha, tecido em rede feita à mão - que utiliza desenhos trazidos da Itália pelos pioneiros.

CAXIAS DO SUL - Numa clareira da mata, conhecida como Campo dos Bugres, desenvolveu-se Caxias do Sul que em 1877, recebeu os primeiros imigrantes italianos. O monumento ao imigrante é uma homenagem a estes pioneiros. A História desses homens e mulheres está resgatada no Museu Municipal, no Museu da Casa da Pedra e no Parque Centenário. Nesse parque de 40 halqueres realizam-se eventos como a Festa da Uva Caxias do Sul localiza-se na encosta superior do Nordeste do Rio Grande do Sul.

Hospitaleira e progressista, Caxias do Sul possui largas avenidas, modernos edifícios, praças e parques. Na cidade e nos arredores pode-se saborear a tradicional comida italiana e um bom churrasco.

PROGRAMAÇÂO DE INVERNO

• Festival de Inverno Gramado 2007 - [ GRAMADO ] 30 de julho

• Dia das Avós - [ REGIÃO DAS HORTÊNSIAS ] 26 de julho

• 2º Festival de Música de Gramado - [ GRAMADO ] 26 de julho

• Festa Colonial - [ CANELA ] 20 de julho

• Feira de Artesanato de Gramado - [ GRAMADO ] 13 de julho

• 13º Carnaval de Inverno - [ GRAMADO ] 13 de julho

Mais informações em http://www.serragauchaturismo.com.br/inverno/ http://www.regiaodashortensias.com.br/sfp.php

CONSELHOS PRÁTICOS
PARA CURTIR MELHOR SUAS FÉRIAS

• Conheça os lugares sem pressa.
• Esqueça o regime.

• Durma até tarde.
• Ande a pé, o máximo que puder.
• Fique longe da televisão.
• Não use relógio e se puder, esqueça o celular.

• Aproveite muito e divirta-se.

EM RELAÇÃO À MALA:

A primeira regra, que deve ser observada, na hora de organizar sua mala, diz respeito a: "se você quer fugir de tudo e se divertir, não leve tudo com você." A dificuldade de algumas pessoas é exatamente selecionar o necessário.

OS DIREITOS DO PASSAGEIRO

Até quatro horas de atraso de vôo, obriga a companhia aérea a:
• Colocar o passageiro em outra empresa que faz o mesmo trajeto;
• Devolver o dinheiro de sua passagem;
• Hospedar o passageiro em hotel com direito a refeição;
• Pagar pernoite, se necessário ou pagar seu traslado de volta para casa.
Consultor: o agente de viagens Roberto Vieira.

COMO CURTIR O PAN NO RIO

Tudo o que você precisa saber para acompanhar  os Jogos Pan-americanos no Rio de Janeiro em julho, e ainda aproveitar para conhecer ou rever a cidade estão no novo Guia do Pan Rio de Janeiro, do Guia Quatro Rodas.

Durante os 17 dias do Pan, de 13 a 29 de julho, a cidade que já é um dos principais destinos turísticos do Brasil, com cerca de 6 milhões de visitantes anualmente, estará ainda mais agitada.

Serão 5.500 atletas de mais de 40 países competindo em 41 modalidades diferentes em pistas de atletismo, estádios, quadras e até no mar. E opções de lazer e diversão não vão faltar para esses atletas e todos os turistas que visitarem a cidade nessa época.

O Guia do Pan traz reportagens sobre a história do Brasil na competição, um mapa do Rio de Janeiro com a indicação dos principais locais de prova, a relação de todos os pontos onde haverá competição com a informação de que modalidade será disputada lá, programação, valor dos ingressos entre outros dados fundamentais. Enfim, todas as indicações para quem vai acompanhar os Jogos Pan-americanos.

A publicação mostra, ainda, como chegar ao Rio e a situação das estradas que levam até lá. Também ensina como circular pela cidade e dá dicas para garantir uma estadia segura, além de informar os telefones e endereços dos principais serviços públicos, órgãos oficiais, informações ao turista e auxílio em emergência.

 Uma reportagem especial descreve os bairros que concentram as principais atrações da cidade e revela o que eles têm de melhor. Entre eles estão Barra da Tijuca, Botafogo, Urca, Centro, Copacabana e Leme, Glória, Catete, Flamengo, Ipanema, Arpoador, Lagoa, Gávea, Jardim Botânico, Lapa, Leblon, Santa Teresa.

Guia do Pan Rio de Janeiro, Guia Quatro Rodas (Editora Abril) tem 146 páginas e custa R$ 19,99

FESTIVAL DE INVERNO MINEIRO

Pelo quarto ano consecutivo a Universidade Federal de Ouro Preto promove o Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana – Fórum das Artes, entre os dias 8 e 29 de julho, nas ruas e espaços culturais de Ouro Preto e Mariana, em parceria com as Prefeituras Municipais das duas cidades.

Este ano Chico Rei e a cultura afro-brasileira é o tema deste movimento cultural. Para a coordenadora do Festival e diretora do Instituto de Filosofia, Artes e Cultura (Ifac), profª Guiomar de Grammont, “o tema escolhido permite uma programação mais rica. A tradição afro-brasileira está na nossa culinária, lendas, música e até no jeito de ser do brasileiro”, acrescenta.

Ser ão 21 dias de duração, sete a mais que em 2006 e o evento oferecerá 68 oficinas, divididas em sete áreas: Literatura, Artes Plásticas, Artes Visuais, Artes Cênicas, Música, Patrimônio, e Infanto-Juvenil. Como nas edições superiores, as oficinas também acontecem em distritos das duas cidades. O diferencial é que, dessa vez, algumas delas ocorrem apenas nos finais de semana, possibilitando a participação de quem não está de férias durante o mês de julho.


A programação musical será inaugurada pelo grupo Teatro Mágico que faz show em Ouro Preto no dia 14 de julho. O cantor Toni Garrido marca presença com sua banda em Mariana, no dia 16. No dia 20, o grupo A Barca se apresenta em Ouro Preto, seguido de BNegão e os Seletores de Freqüência que também fazem show na mesma cidade e data.

No dia 21 é a vez do grupo nordestino Cordel do Fogo Encantado se apresentar
em Ouro Preto. O grupo Berimbrown faz shows nas duas cidades: em Mariana, no dia 21 e em Ouro Preto, no dia 22. Ainda no dia 22, chega à Mariana Marcus Viana e a Orkestra Transfônica.

A Orquestra Tabajara volta a se apresentar no festival. Fará shows em duas datas: dia 27, em Ouro Preto, e dia 28, em Mariana. O Grupo Farofa Carioca faz apresentação no penúltimo dia do evento, dia 28, em Ouro Preto. No dia 29, para encerrar o Festival de Inverno, chega Sandra de Sá que se apresenta em Ouro Preto com o show MBP – Música Preta Brasileira.

Mais informações http://www.festivaldeinverno.ufop.br/2007/intro.php

EMPRESÁRIO INVESTE NO CHORO

Com investimento inicial de US$ 250 mil, o empresário Daniel Dalarossa, há l5 anos nos Estados Unidos, está lançando a Choro Music, empresa e novo selo musical inteiramente dedicados ao choro, estilo que ele pretende levar para o mundo, começando pelo Japão e Estados Unidos.

Personagem exemplar da elite do Vale do Silício, na Califórnia, Dalarossa transformou uma pequena empresa de tecnologia, nascida em uma garagem da Vila Olímpia, em São Paulo, em fornecedora de soluções empresariais baseadas no linux para  grandes corporações, em 15 países. 

Vendida no ano passado por US$ 90 milhões, a Cyclades deu lugar a um outro desafio, no qual o empresário pretende conquistar o mesmo sucesso: tornar o primeiro dos estilos musicais genuinamente brasileiros conhecido e tocado em todo o mundo.

Apaixonado por choro e informática, o músico Daniel Dalarossa decidiu lançar songbooks acompanhados por cds play-along (toque junto) dos principais compositores de choro, desde os clássicos até os contemporâneos, a começar por dois de Ernesto Nazareth. Os play-along podem ser acompanhados por instrumentistas de sax, flauta, clarineta, cavaquinho e violão. Dalarossa criou também uma ferramenta especial para o estudo do choro por outros músicos: o kit Choro Total, pelo qual o instrumentista pode praticar na tonalidade e andamento que achar melhores, fazendo os acertos de forma simples, em um computador. 

Com o kit, feito a partir de softwares já existentes, de acesso gratuito (free download), o músico recebe uma licença de uso do site www.choromusic.com.br e pode regular a execução da música escolhida.

Tomemos como exemplo “Brejeiro” (1893), de Ernesto Nazareth. Se estiver difícil acompanhá-la no ritmo original, o praticante diminui o andamento e até pode escolher tonalidades menos complicadas para executá-la. O programa reproduz a música conforme o escolhido e pode gerar a nova partitura do que se pretende tocar. Com esse programa, é possível acompanhar grandes músicos, seja o praticante um iniciante ou um virtuose interessado em novas variações. 

PAIXÃO ANTIGA

Dalarossa já era músico antes de se formar em Ciências da Computação pela Universidade São Paulo, em 1982. Em sua flauta doce, desde os 14 anos, tocava Bach, Vivaldi e Pixinguinha. Com o salário de office-boy, percorria algumas lojas famosas em São Paulo atrás de novas partituras de choro. Mas na maioria das vezes tirava as músicas de ouvido. Apesar do forte contato com a música clássica, foi com o ritmo iniciado por Ernesto Nazareth e consagrado por Pixinguinha que ele mais se identificou. 

“Descobri muitos anos mais tarde que as execuções tinham muito improviso, o que faz parte do choro também. Mas era difícil de se encontrar a concepção original de cada música”, conta Dalarossa, cujo objetivo, com os songbooks da Choro Music, é também ajudar a preservar as composições originais. 

O CHORO NO MUNDO

“Conheço músicos apaixonados por choro nos Estados Unidos, na Austrália, no Japão. Mas mesmo aqui no Brasil ele não é muito conhecido”, constata o criador da Choro Music. Como o objetivo é globalizar, os  produtos da empresa poderão ser comprados pelo site, de qualquer parte do mundo. Mas o próximo desafio de Dalarossa é investir prioritariamente no Japão, onde pretende realizar trabalhos inclusive em escolas de educação regular. 

Ao mesmo tempo em que se dedica à Choro Music, o empresário trabalha na formação da Fundação Cuore, onde  200 crianças carentes na Zona Sul de São Paulo  deverão participar de atividades após a escola – incluindo música e, claro, choro. “Uma flauta doce custa US$ 2 nos Estados Unidos”, argumenta  Dalarossa, para comprovar que o acesso à música não tem no custo do instrumento seu principal obstáculo. “O que falta são oportunidades e espaços para o aprendizado”, conclui. 

A HISTÓRIA DO CHORO

Som que insinua leveza e simplicidade, o Choro desperta paixões entre instrumentistas que o consideram, além de prazeroso, bastante sofisticado. Seus primeiros registros datam de 1870, no toque do flautista Joaquim Calado. Ernesto Nazareth (foto abaixo), Chiquinha Gonzaga (foto1), Jacob do Bandolim (foto2), Nelson Cavaquinho (foto3), Altamiro Carrilho (foto4) são ícones da história do choro, mas foi Pixinguinha, quem lhe deu toque de gênio e popularidade.

ERNESTO NAZARETH

Pianista nascido em 1863, no Rio de Janeiro, Ernesto Nazareth teve formação musical erudita. Ficou conhecido primeiro por seus tangos e polcas, depois também por usar o maxixe e o lundu, originários da África. Em suas composições já se podia identificar elementos marcantes do que viria ser chamado de choro. “Apanhei-te cavaquinho”, foi sua primeira composição oficialmente reconhecida, já na primeira década do Século 20.

A sala de espera do cinema Odeon era o “estúdio” de Ernesto Nazareth.  Artistas do exterior faziam questão de ouvi-lo em ação, já que não havia ainda o rádio e os músicos tornavam-se conhecidos por suas apresentações ou composições veiculadas apenas pelas  partituras.

Ernesto Nazareth teve um fim de vida atribulado, a começar pela surdez, depois pelas perdas da filha e da esposa. Internado com distúrbios mentais em 1933, morreu no ano seguinte.

Mais informações no site www.choromusic.com.br.

                            QUANDO A CULTURA RENDE

Chris Smith, ministro Britânico da Cultura, Mídia e Esportes de 1997 a 2001, um dos maiores responsáveis em transformar política cultural em prioridade de governo e de grandes investidores, proferiu palestras na Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, no British Council
em São Paulo e na Aula São Paulo, uma iniciativa da Secretaria Municipal de Relações Internacionais da cidade de São Paulo, mostrando como a cultura pode render dinheiro.

No Reino Unido, este setor movimenta 7% do PIB. É na capital em Londres, que a indústria de moda a galerias de arte, de entretenimento a
arquitetura e design já é a segunda mais importante, após o mercado
financeiro.

Este mérito pode ser dado em grande parte a ele. Por isso, a importância de suas palestras onde ele discorreu sobre políticas culturais e gestão de fundos públicos, partilhando sua visão pessoal relativa ao planejamento estratégico e ao gerenciamento das artes no âmbito nacional e local, o seu financiamento e a importância da cultura no desenvolvimento econômico dos países, especialmente através da economia criativa.

Em sua opinião, quanto mais as cidades se abram para variadas atividades culturais, estas também atrairão empresários e visitantes. O governo deve então, não só facilitar que isto aconteça como ajudar que estes eventos tenham preços acessíveis.

Para que isto ocorra, algumas prefeituras devem comprar velhos armazéns abandonados, antigos mercados, restaurá-los e alugá-los para
iniciantes. Em várias cidades britânicas, artistas foram estimulados a se instalar em bairros centrais decadentes, em lugares espaçosos a preços baratos, fazendo com que os mesmos se modificassem e progredissem.  

Quando a empresa cresce, eles têm de mudar, e o espaço fica vago para novos empreendedores. Segundo Smith, ter espaço disponível para novos talentos é fundamental.

- Precisamos pensar em como o sistema educacional pode descobrir
talentos e preparar carreiras criativas. Como se escreve, desenha,
canta ou dança nas escolas. As crianças precisam ser encorajadas a
desenvolver seus talentos. As faculdades e institutos de design,
moda e artes precisam recrutar esses talentos nas escolas, explicou.

Smith mostrou também que o acesso a empréstimos é fundamental. Muitas vezes, os artistas não falam a língua dos bancos. Eles sabem de design, não de crédito. Eles não aprenderam a redigir um "business plan" [plano de negócios para abrir uma empresa]. Daí, são necessários mecanismos para criar pontes entre os dois lados.

Ele criticou as empresas que preferem apostar apenas em nomes famosos, na hora de divulgar sua responsabilidade social. É importante que esta empresa também se preocupe em ajudar quem tem dificuldades. Colocar dinheiro só no sucesso garantido não pega bem hoje em dia.

Ao investir em um artista ou em uma produção, ele acha que o empresário deve descobrir o valor cultural da iniciativa, se é interessante e novo. Ou se é educativa, se colabora com a revitalização urbana, o que faz pelo resto da sociedade. Em qualquer dos dois casos, original ou socialmente generoso, já será um bom investimento, segundo ele.

O empresário que patrocina uma companhia de balé porque
sua mulher gostava, ou uma ópera, porque seu diretor era colega no
golfe, isto deve acabar.  As empresas querem marketing, associar seu nome com propostas vanguardistas, glamourosas ou de alta qualidade.

Smith conseguiu que lucros da loteria do governo financiassem as
artes. Mas, o que ele considera um dos seus maiores feitos foi que os museus britânicos tivessem entrada franca.  

Sobre a cultura no Brasil, Smith disse que: Notei que os dirigentes culturais no Brasil trocam a toda hora, de acordo com o clima político. Nessa área, você precisa de estabilidade, fazer coisas a médio prazo. Também faltam camadas de profissionais da cultura que dirijam departamentos sem critérios políticos.

Espera-se que suas palavras possam servir de fonte de inspiração para algumas mudanças administrativas na área pública, no intuito de incentivar este importante setor da economia.

MEMÓRIAS DA LITERATURA

Está no ar, um programa diário de rádio sobre literatura, que engloba depoimentos, opiniões e a crítica não-especializada de entrevistados cheios de história para contar.

O projeto "Memórias da Literatura" fala de pessoas que venceram a distância dos livros, como o pedreiro Evando dos Santos. Apaixonado pela literatura e sem acesso a ela, ele teve a idéia de criar uma biblioteca comunitária sem burocracia, em que não existe prazo de devolução para os livros nem cadastros dos freqüentadores.

Essa burocracia foi vivida também por Sérgio Caparelli, que na época da escola foi uma única vez à biblioteca e encontrou os livros trancados a chave em armários, sem poder folheá-los ou manipular de qualquer forma. Venceu essa distância e hoje é um dos mais importantes escritores para crianças no país.  

Assim como, a história do taxista gaúcho Mauro Castro, de 43 anos, que escreve crônicas baseadas nas histórias vividas no seu dia-a-dia de trabalho. Seus textos são publicados numa coluna semanal no jornal Diário Gaúcho e no blog www.taxitramas.blogger.com.br.

Sua programação é bastante variada, podendo-se até ouvir as histórias de Zetho Gonçalves, escritor angolano que começou a criar suas primeiras histórias em Huambo, sua cidade natal. Em seu depoimento, ele fala da importância da tradição oral e de contar  histórias na África. 

Memórias da Literatura é uma iniciativa do Museu da Pessoa do Brasil e Museu da Pessoa de Portugal e conta com o apoio da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. O Museu da Pessoa trabalha com o registro de histórias de vida, e a sua socialização, organizando projetos temáticos a partir desses relatos.

"Memórias da Literatura" tem como objetivo de apresentar uma visão diferenciada sobre o tema, aproximando escritores e leitores, e expondo nossas relações cotidianas com a literatura. Por isso mesmo, se valerá de relatos de autores, editores, bibliófilos e de qualquer pessoa que tenha alguma história interessante relacionada à literatura.

Além do programa de 5 minutos diários nas rádios Cultura AM (1200) de São Paulo, Jundiaí 810 AM e Rádio Câmara de Brasília 96,9 FM, este pode também ser escutado no site do Museu da Pessoa ou baixado no formato podcast. Essas são as primeiras emissoras a fazerem parte de uma rede de difusão que deve se expandir.

Ouça o programa pelo link http://www.4shared.com/dir/2284910/6f924cf9/sharing.html .

Os programas também estarão disponíveis no portal do Museu da Pessoa ( www.museudapessoa.net) para download, para ouvir no próprio site e para assinar o podcast. No podcast, os ouvintes poderão se cadastrar para receber automaticamente em seu computador a programação diária – para isso é preciso ter algum programa agregador, como o iTunes ( http://www.apple.com/br/itunes/download/) ou Juice ( http://juicereceiver.sourceforge.net/index.php).

CIDADE CEARENSE TEM EXPERIÊNCIA
BEM-SUCEDIDA NA ALFABETIZAÇÃO

Em apenas quatro anos, o município de Aratuba, Ceará, conseguiu alfabetizar mais de 95% dos adultos que não sabiam ler nem escrever.

Localizada na microrregião do Maciço de Baturité, a 120 quilômetros de Fortaleza, Aratuba tinha, em 2000, mais de 20% da população, de 13.471 habitantes, formada por analfabetos. O caminho, segundo o prefeito José Wolner Santos, foi buscar, em casa, aqueles que não sabiam ler nem escrever - à época, 2.630 pessoas.

Hoje, Aratuba tem oito núcleos escolares e vai a investir R$ 270 mil no programa Alfabetização e Cidadania, em parceria com o Ministério da Educação.

Para o secretário de educação continuada, alfabetização e diversidade do Ministério da Educação, Ricardo Henriques, é fundamental a articulação das prefeituras com os governos federal e estaduais na correção das distorções.  O Brasil, a cada ano, produz 70 mil jovens (com mais de 15 anos) analfabetos absolutos.

O foco do programa Brasil Alfabetizado está na Região Nordeste, que concentra 90% das cidades com os mais altos índices de analfabetismo do País para essa faixa da população.

Reformulado, o programa dará prioridade aos 1,1 mil municípios com taxa de analfabetismo superior a 35%. Os recursos para este ano serão de R$ 315 milhões. Os municípios receberão 80% desse valor e terão de elaborar planos e diretrizes que garantam a presença de 75% dos professores de sua rede de ensino no trabalho de alfabetização.


Para que os alunos continuem nas turmas de educação de jovens e adultos (EJA), o governo federal financiará também o transporte, a merenda, a compra de material didático e até a distribuição de óculos para aqueles que necessitarem.

Artigo de Hellen Falone

LEITURAS RECOMENDADAS

. SIGA EM FRENTE

Este é o terceiro livro pela Editora Nova da psicoterapeuta, Célia Resende, Siga em Frente. Na obra, a especialista em regressão de memória e terapia de vidas passadas apresenta reflexões de como se pode superar dificuldades e seguir em frente, a partir de exemplos do que se encontra por trás dos atos mais simples dos relacionamentos humanos.

Para não se perder o equilíbrio entre os dois mundos - imaginário e real - a regra de bem viver exige que se aprenda a lidar com os sentimentos. Não adianta espernear. Perda e dor não existem separados do amor, e quem quer que seja - rico, pobre, ignorante ou sábio - terá de passar por isso. A maneira como cada um irá lidar com os sentimentos é que definirá a qualidade de sua vida.

Resultado de toda a bagagem profissional e pessoal da autora para ajudar no auto-conhecimento, Siga em Frente traz casos selecionados de regressão, experiências de relacionamentos afetivos e profissionais, exemplos que nos ajudam a entender o vasto universo interior de cada pessoa. Medos do fracasso e do abandono, angústias, a dualidade presente em cada ser, além da permanente busca de integração são apenas alguns dos motivos pelos quais se cometem equívocos de toda sorte.

Pegam-se atalhos, saindo da estrada principal até que por fim a pessoa se perde em caminhos que a deixam cada vez mais distantes de si mesmas. Enfim, não há receitas, nem truques, apenas sinais e exercícios que indicam como viver melhor, abandonando crenças, reformulando padrões, participando ativamente do roteiro da própria vida como protagonista e não mero coadjuvante.

O que pode ser feito para facilitar as mudanças e evitar as armadilhas do passado? São algumas das questões abordadas pela autora, levando em consideração que cada pessoa tem a sua história, além de um caminho diferente.

Entretanto, Célia também aborda a aceitação de sentimentos e o auto-conhecimento como chaves que podem ser grandes aliadas para a solução dos conflitos que cada um carrega. Entender que é preciso esforço para aprender é outro ponto, além de admitir que nem sempre a mudança acontece por livre e espontânea vontade, a mudança é um processo de força de vontade e exercício também.

Célia Resende é escritora, conferencista e psicoterapeuta especializada em regressão de memória e terapia de vidas passadas, com cerca de quinze anos de clínica e palestras no Brasil e no exterior. Profunda conhecedora dos fenômenos da consciência, é também autora dos livros Terapia de vidas passadas e Nascer, morrer, renascer, no qual nos faz analisar as questões clássicas “quem somos, de onde viemos, para onde vamos”. Nascer, morrer, renascer, seu segundo livro, registra alguns relatos de regressão de memória, aprofunda o estudo das vidas após a morte e busca responder a pergunta “de onde viemos”.

Siga em frente de Célia Resende , Editora Nova Era, 256 páginas e custa R$34,90

. VOE COMO AS ÁGUIAS - - 7 ESTRATÉGIAS PARA VIVER MAIS CONFIANTE NUM MUNDO DE INCERTEZAS

Esmagado pelas opções? Com dificuldade de se manter no rumo? Dúvidas em relação ao que é realmente importante? Como se pode ter certeza de alguma coisa em uma época tão incerta? Fala-se muito do ritmo acelerado da vida moderna: possibilidades que surgem e desaparecem instantaneamente, obstáculos inesperados, a rotina que pressiona todos com seus prazos curtos e decisões urgentes. Porém quase nada é dito sobre a ordem que rege esse aparente caos.

Afinal, é possível se distanciar o suficiente desse quadro e enxergar o dia-a-dia de um ângulo que permita distinguir as escolhas certas, as prioridades e as grandes oportunidades?         

Para Barry Siskind estas e tantas outras questões podem ser resolvidas, e o segredo para isso é transformar em atitude cada uma das sete estratégias apresentadas em Voe como as águias.

Descubra como fazer para alçar vôo em direção ao que deseja. Com sete estratégias simples, Siskind mostra como se aproximar cada vez mais de uma vida livre de obstáculos e plena de realizações.

Barry Siskind, presidente da empresa de consultoria International Training and Management, é um dos mais disputados especialistas norte-americanos em comércio e consumo.  Adota o vôo seguro e confiante das águias como metáfora para o distanciamento imprescindível a uma rotina bem-sucedida. Partindo de sete estratégias simples, ele mostra como decidir com clareza o melhor rumo para sua vida, antecipar seus altos e baixos percebendo os sinais ao redor, transformar em força os medos e as dúvidas e, finalmente, definir - e realizar - seus verdadeiros objetivos.

É autor de Você quer, você pode, também publicado pela BestSeller.

. Voe como as águias - - 7 estratégias para viver mais confiante num mundo de incertezas (Eagles Must Soar), Barry Siskink,  Editora Best Seller , Tradução de Fernanda Martins Pantoja tem 144 páginas e custa R$17,90

. VAI DAR CERTO  -   Atitudes de alto impacto para mudar a sua vida

Numa época em que a ciência e a religião se dão as mãos comprovando que a fé remove montanhas, o pensamento positivo não é o bastante para produzir as mudanças que desejamos.

Embora a qualidade do pensamento predominante em nossas mentes determine da realidade do que vivemos, sem que o pensamento seja transformado em ação, nada acontecerá.

Em VAI DAR CERTO, a personal & executive coach Jael Coaracy apresenta ao leitor ferramentas práticas para serem aplicadas no dia-a-dia, ajudando-o a descobrir o que fazer — e como fazer — para criar a vida que deseja experimentar. “Sempre gostei de escrever sobre temas ligados ao auto-conhecimento e ao crescimento pessoal e profissional. Esse livro trata e temas que se encontram na base do trabalho de coaching”, diz Jael.

Com sugestões para a prática no dia a dia e exemplos de casos, VAI DAR CERTO mostra como construir, passo a passo, as habilidades e competências emocionais necessárias para levar adiante as ações que levam cada um a atingir seus objetivos. O livro funciona como um treinador pessoal de cabeceira para aqueles que não têm ao seu lado um profisisonal da área.

VAI DAR CERTO apresenta sugestões práticas para aprender a lidar com a ansiedade, estratégias para construir a autoconfiança, elevar a auto-estima e conquistar os objetivos que realmente se deseja atingir. A autora fala sobre o poder da disciplina e o que fazer para se iniciar uma vida profissional e pessoal de sucesso.

Baseado em exemplos reais, a obra mostra que a primeira atitude para mudar a própria vida é assumir a responsabilidade pelo o que acontece. “Quando alguém faz isso assume o papel de agente da própria vida e não se deixa levar por um comportamento reativo, ou seja, não age levado pelo que alguém diz ou faz ou pelas circunstâncias. E quando se é agente da sua vida, você escolhe que atitude quer tomar, qual a direção a seguir e como escolhe se sentir”, afirma a personal coach.

Não importam o nível socioeconômico, a idade ou os objetivos da pessoa — a realização pessoal ou profissional é resultado da prática dessas atitudes fundamentais.

Segundo Jael, é preciso acreditar na própria capacidade de superar obstáculos e desenvolver novas habilidades e competências emocionais. “Todo mundo já tem tudo de que precisa para construir uma vida plena. O fundamental é entrar em contato com o seu interior e agir. Sem ação nada acontece. Sem disciplina, não há ação consistente. Mas a mola de tudo é a vontade de superar e realizar. Nada é tão poderoso como a vontade direcionada através da ação”, completa.

Jael Coaracy é escritora e jornalista. Certificada como personal & executive coach, é master practitioner em PNL com formação em hipnose ericksoniana. Desde 1992 trabalha em consultoria de comportamento e há cinco anos dedica-se à engenharia comportamental. Jael atende em seu consultório, em empresas e à distância, além de apresentar palestras motivacionais e workshops sobre efetividade nos relacionamentos e desenvolvimento das competências emocionais.

É criadora e diretora do site www.vaidarcerto.com.br, com conteúdo voltado para os relacionamentos interpessoais e o aprimoramento pessoal e profissional, no qual assina as colunas “Espiritualidade a Dois” e “Tome uma Atitude”. Visite o site www.vaidarcerto.com.br <http://www.vaidarcerto.com.br>

. VAI DAR CERTO  -   Atitudes de alto impacto para mudar a sua vida de

Jael Coaracy , editora BestSeller tem 378 páginas, tem R$ 34,90

                                                      AGENDA
(Não nos responsabilizamos por mudanças de datas, horários ou se houver greve de funcionários nos eventos aqui citados. Apenas divulgamos os e-mails recebidos.)

CINEMA

. PROJETO CINE MAIOR IDADE

Cine Maior Idade, é o mais novo projeto desenvolvido pela Fundação MAPFRE, entidade sem fins lucrativos que tem por objetivo a formação do cidadão, que vai usar a linguagem cinematográfica, debates e outras atividades em grupo para estimular a memória, a integração social e familiar desses indivíduos.

Elaborado com o apoio técnico de especialistas do Núcleo de Estudos e Pesquisa do Envelhecimento da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), o programa pretende atingir todo o público da terceira idade ligado a entidades assistenciais na cidade de São Paulo e, posteriormente, em todo o Brasil, proporcionando aos participantes uma experiência relevante, por meio da qual o cidadão terá a oportunidade de reformular percepções e criar novas formas de viver.

Outro fator relevante do Cine Maior Idade é que ele trabalha com o conceito de Saúde Integral. Segundo este modelo, considerado o ideal pela Organização Mundial de Saúde (OMS), para uma pessoa ser considerada saudável, não basta a ela estar livre de enfermidades. Além do bom estado físico, o idoso deve possuir ótimas condições psico-sociais.

Após as sessões, que contarão com filmes nacionais, haverá debates de temas importantes, como relações humanas, tempo livre, saúde e cidadania, conflitos pessoais e sexualidade. Todas as atividades do programa, como o estímulo à memória e à integração familiar e social, são inspiradas nas diretrizes principais do Estatuto do Idoso.

O primeiro filme discutido com os idosos foi o premiado longa “O outro lado da Rua”, diretor Marcos Bernstein, que retrata a vida de uma senhora aposentada (Fernanda Montenegro) que, para evitar a solidão, participa de um serviço voluntário da Polícia Militar carioca e acaba presenciando um crime. Na tentativa de solucionar o caso, ela se envolve com o suposto assassino (Raul Cortez). O romance fará com que os dois reavaliem suas vidas de forma nunca antes imaginada.

O filme revela, para quem está na Terceira Idade, a possibilidade de se posicionar como cidadão ativo, saudável e apto a conduzir sua vida de maneira integrada e com dignidade. Além disso, “O Outro Lado da Rua” provoca um olhar crítico aos conflitos que se desenrolam, instigando o idoso a pensar sobre sua história, valores e maneira de viver.

O evento acontece na Cinemateca Brasileira, localizada no Largo Senador José Queiroz, s/n., na Vila Clementino, São Paulo/SP, em dias a serem marcados.

. CINEMA FALADO

O projeto Cinema Falado, acontece todas as segundas, sempre às 11h30, na UniverCidade – Avenida Epitácio Pessoa 1664. No dia 11 de junho, José Joffily, produtor e diretor de “Achados e Perdidos” (2006) e “Dois Perdidos Numa Noite Suja” (2003) falar e no dia 25 de junho, o encontro será com João Falcão, diretor do filme “A Máquina” (2005) e “Fica Comigo Esta Noite” (2007).

Inscrições e informações pelo telefone (21) 2536-5000

LANÇAMENTOS DE FILMES:

EM JUNHO - O DESPERTAR DE UMA PAIXÃO (THE PAINTED VEIL)

Após o bem sucedido Tentação (We Don´t Live Here Anymore), John Curran dirige esta terceira adaptação nos cinemas do livro O Véu Pintado. E traz Edward Norton não só como protagonista, mas também produtor do longa, junto com Naomi Watts que assina a co-produção.

Após a descoberta de um amante na vida de sua esposa, Walter Fane (Norton), um respeitável e introspectivo bacteriologista, aceita trabalho voluntário em um pacato vilarejo na China, infectado pela cólera. Sem opção, Kitty muda-se com Walter. Onde ambos embarcarão em uma grande jornada de reclusão e auto-conhecimento, num dos lugares mais bonitos e remotos do planeta. Vencedor do Globo de Outro deste ano de Melhor Trilha Sonora, com o francês Alexandre Desplat, o mesmo de A Rainha, Syriana e Moça Com Brinco de Pérolas.

EM JULHO - PARIS, TE AMO (PARIS, JE T´AIME)

22 diretores do mais alto escalão do cinema mundial se reúnem neste belíssimo trabalho e prestam, cada um a sua maneira, uma homenagem à cidade Luz, usando os seus belos bairros como cenário. O longa-metragem participou do Festival de Cinema do Rio de Janeiro e da 30º Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, abriu também a mostra Un Certain Regard em Cannes, no ano passado. Entre os diretores, estão: Alfonso Cuarón, Gus Van Sant, Joel e Ethan Coen, Gérard Depardieu, além da presença dos brasileiros, Walter Salles e Daniela Thomas.


TEATRO

. MISS SAIGON

Sucesso de crítica e público em países como Estados Unidos, Inglaterra, Coréia do Sul e Austrália, o esperado espetáculo chega a São Paulo, numa realização da CIE Brasil, com estréia prevista para o dia 12 de julho, no Teatro Abril.

A épica história de amor entre um soldado norte-americano e uma jovem vietnamita, em meio à Guerra do Vietnã, além de ter a produção assinada por Cameron Mackintosh, conta com 42 atores, incluindo nomes experientes em musicais, como: Marcos Tumura, Nando Prado, Kiara Sasso e Sabrina Korgut; e jovens talentos, como: Lissah Martins, Cristina Candido, Victor Hugo Barreto e Mauro Souza.

A bilheteria do Teatro Abril funciona de segunda a domingo das 12h até às 20h. Os Ingressos estarão à disposição também pela Central Ticketmaster: por telefone, entrega em domicílio (taxa de conveniência e de entrega): 11 6846-6000, das 9h às 21h - segunda a sábado. Ou pela internet por meio do site www.ticketmaster.com.br. Os preços estão abaixo.

Preços: Quartas, Quintas e Sextas-feiras
Platéia Vip: R$ 180,00
Camarote e Platéia A: R$ 135,00
Platéia B: R$ 95,00
Balcão A e Balcão B: R$ 65,00
Sábados e Domingos
Platéia Vip: R$ 200,00
Camarote e Platéia A: R$ 150,00
Platéia B: R$ 110,00
Balcão A e Balcão B: R$ 75,00
Idosos, aposentados e estudantes deverão apresentar carteira que dá direito à meia-entrada no ato da compra e na entrada da apresentação.
Os ingressos podem ser adquiridos pelo Ticketmaster:
Central Ticketmaster: por telefone, entrega em domicílio (taxa de conveniência e de entrega): 11 6846-6000, das 9h às 21h - segunda a sábado (aceita todos os cartões de crédito). Pela Internet: www.ticketmaster.com.br

Teatro Abril: 2ª a sábado, das 12h às 20h; domingo, das 14h às 20h
Av. Brigadeiro Luis Antonio, 411 - Bela Vista - São Paulo - São Paulo

. POUT-POURRIR

Intercalando os quadros fixos da peça com piadas sobre as principais manchetes dos jornais e participações inéditas toda semana, Pout-PourRir desperta em quem assiste a vontade de quero mais e cria uma platéia fiel ao espetáculo. O público, formado por pessoas de todas as idades, acompanha a cada semana uma apresentação renovada, cada vez mais engraçada.

A dupla de comediantes Leandro Hassum e Marcius Melhem, da peça “Nós na fita” também já participou de Pout-PourRir e garantiram mais uma noite de sucesso ao espetáculo. Rogéria, Patrícia Travassos, Lucélia Santos e Zéu Britto também já confirmaram presença nas apresentações de Pout-PourRir e em breve dividirão o palco com os atores da peça. As participações especiais acontecem toda quarta-feira, no Teatro dos Quatro,

às 21h30min. Os ingressos custam R$ 30,00, com meia entrada para estudantes, idosos e classe artística.

Teatro dos Quatro fica na Rua Marquês de São Vicente 52 - 2º andar – Gávea/RJ
Fone: (21) 2274-9895 - 2239-1095

CURSOS

No mês de junho será inaugurado o Centro de Convivência Cultural da Idade da Sabedoria, no Teatro Gláucio Gil, Copacabana, RJ. São oficinas de teatro, canto, dança contemporânea, história da arte, roda de leitura, criação literária. As oficinas serão às 3ª e 4ª feiras e os interessados podem obter informações pelo tel: 21 -2547.8226

MÚSICA

RIO FOLLE JOURNÉE
Programação de junho no site www.riofollejournee.com
Auditório do BNDES - Av. República do Chile, 100 Entrada franca

QUARTAS MUSICAIS – PALAVRA DE PAULISTA

As apresentações dos shows Quartas Musicais – Palavra de Paulista fazem parte das comemorações realizadas pelo Santander em homenagem aos 60 anos do Edifício Altino Arantes, mais conhecido como Torre Banespa. Segue abaixo a programação atualizada, sempre às 12h30, com entrada gratuita:

6/6 – Ná Ozzetti interpreta músicas de Rita Lee

13/6 – Jane Duboc interpreta músicas de Celso Viáfora

20/6 – Célia interpreta músicas de Adoniran Barbosa

27/6 – Virgínia Rosa interpreta músicas de Paulo Vanzolini (Dia do aniversário da Torre)

Edifício Altino Arantes (Torre Banespa) – Praça Antonio Prado, 6 – Centro – SP – próximo à estação São Bento do Metrô.

CONCERTOS NO MUSEU DO ORATÓRIO MG

Criado em 2001, o projeto Série de Concertos no Museu do Oratório apresenta aos visitantes e moradores da cidade raros e belos espetáculos de música erudita, com músicos reconhecidos e um repertório variado, que contempla diferentes épocas e estilos. A programação deste ano é:

Julho – Dia 21
Silvia Riccardino
Programa: Duzentos anos de música para harpa

Agosto – Dia 18
Wilke Lahmann
Programa: Contrastes
Música Barroca e Contemporânea para Teclado

Setembro – Dia 8
Antonio Carlos Guimarães e Felipe Silvestri
Flauta e cravo
Programa: J.S.Bach e G.Telemann

Outubro – Dia 13
Raissa Anastásia – Flauta Doce e Flauta Traverso
Antônio Carlos de Magalhães – Cravo
Domingos Sávio Lins Brandão – Flauta Doce – Viela de Roda
José Eduardo Costa Silva – Alaúde
Programa: Músicas latino-americanas e brasileiras coloniais

Novembro - Dia 3
Elisa Freixo e Rodrigo Bastos
Programa: Música e poesia

Novembro – Dia 17
Gilson Barbosa e Josinéia Godinho
Oboé e cravo
Programa: Os Mestres de Capella

Os concertos, que acontecem uma vez por mês a preços populares (apenas R$10), são às 20h30 no Museu do Oratório – Adro da Igreja do Carmo, s/nº - Ouro Preto – MG - Reservas: (31) 3551-5369 – Os ingressos reservados devem ser retirados uma hora antes do início do concerto.
Outras informações no site www.oratorio.com.br

 PROJETO O BRASIL CABOCLO DE CORNÉLIO PIRES

O Centro Cultural Banco do Brasil, de São Paulo (CCBB-SP), apresenta até dia 17 de julho, sempre as terças-feiras às 13h e às 19h30,  o projeto "O Brasil Caboclo de Cornélio Pires", que é uma homenagem a esse caipira iluminado, que entendeu e traduziu, como poucos, a grandeza da alma do povo caipira, seu cotidiano afetivo e sua cultura.

Cornélio (1884-1958) foi jornalista, escritor, poeta, cineasta folclorista e um estudioso apaixonado pela rica cultura do povo rural. Em 1914, realizou as Conferências Caipiras Cornélio Pires, em que apresentava artistas de modas avioladas. Foi o grande incentivador de duplas que fizeram história, como Zico e Ferrinho e Caçula e Sorocabinha. Pioneiro na promoção de turnês de música caipira pelo Brasil, ele próprio decidiu viajar pelo interior de São Paulo e de outros Estados, com seu itinerante Teatro Ambulante Gratuito Cornélio Pires, como apresentador e caipira humorista.
 
Figura importante da nossa história, o folclorista será lembrado durante os meses de junho e julho, por convidados especiais que pertencem a esse universo.

ROGRAMAÇÃO
12 de junho/07 – Liu e Léu
19 de junho/07 – As Galvão
26 de junho/07 – Pedro Bento e Zé da Estrada
03 de julho/07 – João Mulato e João Carvalho/ Jacó e Jacozito;
10 de julho/07 – Cacique e Pajé (foto) / Zé Mulato e Cassiano
17 de julho/07 - Oliveira e Olivaldo/ Os Favoritos da Catira.

"O Brasil Caboclo de Cornélio Pires" tem duas apresentações (13h e às 19h30) nas datas acima. Ingressos: R$ 6,00 (inteira) R$ 3,00 (meia-entrada).Centro Cultural Banco do Brasil  - Rua Álvares Penteado, 112 - Centro - São Paulo  Informações: (11) 3113-3651 / 3113-3652  - ww.bb.com.br/cultura

PROJETO SÓ PARA MAIORES/ RJ

Dia 16/06 -  sábado - às 15h - CHÁ DA TARDE no Porto Bay Rio Internacional - Av. Atlântica, 1500 - em Copacabana (LUGARES LIMITADOS) R$ 30,00 por pessoa. Lançamento do show "pro seu coração" com o cantor Eduardo Costa, que interpretará 18 canções do Rei, compostas até 1980, entre elas "Música Suave", "Detalhes", "Proposta", "Sua Estupidez", "A Distância", "Nossa Canção", "Cavalgada", "Falando Sério", "De Tanto Amor", "Olha".  Show, buffet liberado e sorteio de brindes.


Dia 18/06 - 2ª feira - 14h - PROJEÇÃO DO FILME "O MERCADOR DE VENEZA" com Al Pacino, Jeremy Irons e Joseph Fiennes  -  No Auditório do Hospital Copa D'Or - Rua Figueiredo Magalhães, 875 / Acesso 1 / 2º and - em Copacabana - Tel.: (21) 2545-3793


Dia 19/06 - 3ª feira - 10h - MEDITAÇÃO com a instrutora Sandra Rosenfeld Local: Auditório do Hospital São Lucas - Rua Constante Ramos, 173 - 10º andar - Copacabana - tel.: 2545-4092


Dia 20/06 - 4ª feira - 16h - CINE VOMMARO - filme "EM ALGUM LUGAR DO PASSADO" - Clássicos do cinema mundial acompanhados das delicias do Café Vommaro com direito a: um cupom de sorteio, projeção do filme, 01 bebida quente (café ou chá), 01 bebida gelada (refrigerante, mate ou suco), 01 Pão Delicia (pão recheado com catupiry e polvilhado com queijo parmesão e 01 fatia de bolo. Convites limitados (14 pessoas)  - R$ 9,50 por pessoa. Telefone (21) 2235-2387.


Dia 21/06 - 5ª feira - 14h -  PALESTRA "ALIMENTE BEM O SEU CORAÇÃO" com o nutricionista Dr. Luis Cláudio Benevenuto, Mestre
em Nutrição Humana (UFRJ) e Membro da Sociedade Brasileira de Nutrição e Alimentação - na FNAC Barra
Shopping - Av. das Américas, 4666  - Nivel Lagoa Loja  B 101/114 -  na Barra - tel.(21) 2109-2003 - Entrada Franca (Dica: o ônibus do Metrô sai de 10 em 10 minutos da estação Siqueira Campos, deixa na porta do Barra Shopping)

Dia 22/06 - 6ª feira - 15h - SHOW "PRO SEU CORAÇÃO" com o cantor Eduardo Costa - FNAC Barra Shopping - Av. das Américas, 4666  - Nivel Lagoa Loja  B 101/114 -  na Barra - tel.: 2109-2003 -  Entrada Franca

Dia 25/06 - 2ª feira - 14h - PROJEÇÃO DO FILME "BABEL" com Brad Pitt e Cate Blanchett - No Auditório do Hospital Copa D'Or - Rua Figueiredo Magalhães, 875 / Acesso 1 / 2º and - em Copacabana

Dia 27/06 - 4ª feira - 16h - CINE VOMMARO - filme "MARCELINO PÃO E VINHO" Clássicos do cinema mundial acompanhados das delicias do Café Vommaro com direito a: um cupom de sorteio, projeção do filme, 01 bebida quente (café ou chá), 01 bebida gelada (refrigerante, mate ou suco), 01 Pão Delicia (pão recheado com catupiry e polvilhado com queijo parmesão e 01 fatia de bolo. Convites limitados (14 pessoas)  - R$ 9,50 por pessoa. O Café Vommaro fica na Rua Anita Garibaldi, 83 loja E em Copacabana - Telefone (21) 2235-2387.


EXPOSIÇÕES

."EXPASSOS", DE ANDREAS VALENTIN
Cada um tem uma forma peculiar de ver o mundo e captá-lo
em imagens.
As reflexões sobre o tempo e o espaço congelados pela câmera formam a
base da exposição "ExpaSSos", do fotógrafo Andreas Valentin, na Caixa Cultural Rio. A  mostra, composta por 25 fotografias, faz parte da programação do FOTORIO
2007. A entrada é franca.

Fotógrafo há mais de 30 anos, designer gráfico e historiador da arte,
Valentin foi aluno de Hélio Oiticica e assistente de direção do filme
Fitzcarraldo, do alemão Werner Herzog. Viveu 15 anos na Amazônia
registrando o cotidiano da floresta e seu entorno. Com esta extensa
bagagem, publicou três livros sobre o Festival Folclórico de
Parintins. Atualmente, o fotógrafo leciona na Escola de Belas Artes e
na Universidade Estácio de Sá.

Caixa Cultural RJ na Grande Galeria (3º andar) que fica na Av. Chile, 230, Anexo, Centro – Tel: (21) 2262-5483 / 2262-8152
Horário: 3ª a 6ª, das 10h às 18h  Sábados, domingos e feriados, das 11h às 15h - Entrada franca

CCBB RJ

. Durante o mês de junho, diversas estréias vão movimentar os palcos do Centro Cultural Banco do Brasil. Para iniciar a temporada, Antonio Abujamra dá vida aos Demônios de Dostoievski no espetáculo homônimo. A primeira montagem da versão integral do livro, que está entre as grandes obras da literatura mundial de todos os tempos, reúne em cena 20 atores para narrar a tentativa fracassada de revolução, liderada pelo jovem Nietchaiev e pelo anarquista Bakunin, na Rússia, em 1869. Na direção, ao lado de Abujamra, o uruguaio-brasiliense Hugo Rodas.

Enquanto o país entra em clima de confraternização, competição e festa com os jogos Pan-americanos, o CCBB Rio recebe artistas de nove países na série Música do Pan. Entre os convidados, com as sonoridades típicas de cada nação, estão os americanos Cliff Korman e Ravi Coltrane, filho do legendário John Coltrane, o argentino Pablo Ziegler, a venezuelana Prisca Dávila e a porto-riquenho Sammy Figueroa.

Sons da Europa é a série musical que recorda três compositores do norte europeu: o finlandês Jean Sibelius, o norueguês Edvard Grieg e o russo Mikhail Ivanovich Glinka. Com direção de Myrian Dauelsberg a série traz violino, piano, violoncelo e contrabaixo em concertos durante todas as terças feiras.

O Teatro I continua com o espetáculo Ariano e aborda fatos da vida de Suassuna em encontros com alguns de seus personagens históricos. A peça mostra a busca de Ariano pela Fazenda Acauã, onde nasceu. Na montagem os atores da  Cia Epigenia Arte Contemporânea cantam, tocam instrumentos como rabeca, pífano, acordeom, zabumba e recordam de tudo o que está em volta do Movimento Armorial.

A exposição Chema Madoz: Poética reúne cerca de 60 imagens de um dos mais inovadores fotógrafos espanhóis da atualidade. Com a curadoria de Catherine Coleman, a mostra exibe o trabalho recente do artista, onde objetos cotidianos são utilizados em jogos visuais e metáforas irônicas e poéticas resultam em delicado exercício de contenção. Chema Madoz também participa de mesa redonda com Catherine Coleman (museu Reina Sofia, Madri), Adolfo Montejo (artista plástico), Lula Wanderley (artista plástico) e Rafael Cardoso (phD em História da Arte, professor Puc-Rio).

O jornalista, dramaturgo, ensaísta e crítico literário Mario Vargas Llosa tem um encontro marcado com o público na Biblioteca do CCBB Rio. Com mais de dez romances publicados, o autor peruano é responsável pelos títulos "A Cidade e os Cachorros", "Pantaleão e as Visitadoras", "Tia Júlia e o Escrevinhador" e recentemente o romance "Travessuras da Menina Má".

Luis Fernando Verissimo é o terceiro convidado da série Laboratório do Escritor. Cronista dos jornais "O Globo"" e "Folha de São Paulo" e autor de 53 livros, de grande sucesso como "O Analista de Bagé", "Comédia da Vida Privada", "Comédia da Vida Pública" e "Gula" enfrenta a sabatina dos mais interessados leitores.

O Anima Mundi - Festival Internacional de Animação do Brasil chega a sua décima quinta edição com uma programação de mais de 400 filmes e vídeos do melhor da animação mundial. Entre os convidados, o canadense Jonh Weldon traz computação gráfica, desenho animado, stop-motion; a produtora americana Laika mostra a diversidade da sua produção que incorporou o pioneirismo da Vinton Studios; o russo Mikhail Aldashin traz uma retrospectiva do estudio Pilot e o brasileiro Alê Abreu lança seu longa-metragem "Garoto Cósmico" demonstrando o atual momento da produção nacional.

O festival de cinema Cinesul foi ampliado e agora conta com uma seleção de filmes representantes da América Latina e da Península Ibérica. A décima quarta edição traz três mostras competitivas com longas de ficção; longas de documentário e vídeos de média e curta-metragem – o VideoSul – , além das mostras paralelas "Panorama Curtas", "Kimuak – Mostra País Basco", "Mostra Foco México", "Mostra Fernando Alves Pinto" e "Madrid em Corto". Este ano, o Cinesul recebeu cerca de 500 inscrições de 17 países, incluindo da Bolívia, da Costa Rica e da Nicarágua.

A exposição Instantâneos da Felicidade - FotoRio 2007 recebe Jean-Luc Monterosso (Diretor da Maison Européenne de la Photographi, Milton Guran (curador do Foto Rio), e os professores-pesquisadores Ligia Segala (UFF) e Maurício Lissovsky (UFRJ). China Hoje - Coleção Uli Sigg apresenta Ideogramas e a Cultura Chinesa com Tai Hsuan-An, autor do livro "Ideogramas Chineses". Auto-Retrato Falado discute questões relacionadas à imagem com o psicanalista Rubens Molina e Graça Pizá (psicanalista e artista plástica).

O Centro Cultural Banco do Brasil RJ fica na  Rua Primeiro de Março 66 - Centro
Fone: (21) 2216-0237 - 2216-0626 - Fax: 2263-0013 .Entrada Franca

. OI FUTURO

RECORTES DA INQUIETA RETINA

O coletivo fotográfico “Inquieta Retina” tem sua origem na união de quatro profissionais de área distintas – dois arquitetos, um engenheiro e um publicitário. Fora de suas profissões, cada um ao seu tempo foi orientado por Walter Firmo na arte da fotografia.

Lapidados e polidos, se reuniram e formaram o coletivo. O resultado dessa “reunião” poderá ser visto no Oi Futuro, na expofoto (projeção de fotos) “Recortes da Inquieta Retina”.

Oi Futuro - Rua Dois de Dezembro 63 Flamengo - 3131-3060 -Terça a domingo, das 11h às 20h - Entrada Franca

GALERIA DO CONVENTO

A Universidade Candido Mendes inaugurou nova galeria de arte - a Galeria do Convento - em prédio histórico do século XVII, situada no térreo do antigo Convento do Carmo, edifício que teve sua construção iniciada em 1593, na atual Praça XV de Novembro.

Para inaugurar a Galeria do Convento e comemorar os 30 anos do Centro Cultural Candido Mendes, foram selecionadas obras de 44 artistas de seu acervo de arte brasileira contemporânea que ocupam o novo espaço e a contígua Grande Galeria, igualmente restaurada e com novo projeto de iluminação. A exposição se estenderá até abril de 2008 e oferece ao visitante uma amostra da produção de arte no Brasil das últimas 3 décadas.

Galeria do Convento do Centro Cultural Candido Mendes Praça XV. 101 Tel: 2531-2000 r. 236. De segunda à sexta-feira, das 12h às 19h. Entrada franca.

_____________________________

Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de www.idademaior.com.br" .

(voltar ao topo)