ALIMENTAÇÃO DA MULHER DEVE SER DIFERENTE

Homens e mulheres precisam se alimentar de forma diferente, mas com um objetivo comum: agir preventivamente contra as doenças gerais e específicas de cada gênero. Em função de patologias que acometem mais as mulheres e vice-versa, alimentos podem contribuir ou não com essa prevenção.

 

De acordo com a nutricionista do Hospital e Maternidade São Camilo Ipiranga, Camila Zago, a alimentação em geral deve ser equilibrada, tanto qualitativamente quanto quantitativamente, de forma individualizada. Para isso, vários fatores devem ser considerados na hora da elaboração do cardápio: peso, altura, sexo, idade, compleição óssea, atividade física e intelectual, fator estresse, patologias de base, hábitos alimentares e riscos nutricionais.

 

- Os alimentos contidos nas refeições do dia-a-dia têm a mesma propriedade para todas as pessoas, no entanto, os benefícios reais de cada alimento dependerão das necessidades nutricionais de cada um, bem como dos hábitos de vida, explica Camila.

Para a mulher, o direcionamento da alimentação deve ser principalmente preventivo contra doenças cardiovasculares, câncer, osteoporose e as dificuldades da menopausa. Para evitar doenças cardiovasculares e câncer, é necessário evitar consumir alimentos com excesso de gordura saturada como, por exemplo, frituras, carnes gordas, produtos industrializados e sorvete. “As mulheres devem dar preferência para uma alimentação mais natural possível”, comenta.

Menopausa altera o metabolismo. Devido a baixa nos níveis de estrógeno, que ocorre no período do climatério (que antecede o fim da menstruação), a mulher é afetada principalmente em sua pele e suas curvas. Há uma diminuição do colágeno que provoca a perda da elasticidade da pele e dos vasos sangüíneos, assim como a massa muscular diminuir e aumenta a concentração de gordura corporal, principalmente na região abdominal.

À medida que a produção de estrógeno cai, as taxas de colesterol e triglicérides no sangue tendem a aumentar, a absorção do cálcio pelos ossos fica prejudicada e, deste modo, aparecem os riscos para o desenvolvimento das doenças cardiovasculares e osteoporose. Tudo isso deve ser compensado com a alimentação.

Se estiver nessa fase, a mulher deve redobrar os cuidados com o cardápio, sempre com planejamento: controle do consumo de alimentos gordurosos, sal e açúcar; ingestão diária de, no mínimo, cinco porções de hortaliças e grãos. As refeições devem conter apenas um terço de carne magra e dois terços de cereais integrais, hortaliças e grãos.

 

A linhaça contém lignanas, um tipo de fitoestrógeno, utilizado como alternativa para a Terapia de Reposição Hormonal (TRH). Fora isso, a mulher deve aumentar o consumo de alimentos fontes de cálcio (leite e iogurtes desnatados, queijos brancos e magros, soja e derivados). Incluir o leite de soja é uma ótima opção: três a quatro copos por dia.

Como o ferro prejudica a absorção de cálcio, o ideal é não misturar alimentos fontes de cálcio (leite, queijos e iogurtes) e de ferro (carnes).

 

- Tome, ao longo do dia, muita água e chás de folhas verdes (cidreira, melissa, hortelã, ban-cha etc.) e consuma soja e derivados. Uma dieta que inclui 25 gramas de soja por dia contribui para a diminuição dos riscos de doenças do coração, afirma Camila.

Como as mulheres têm mais tendência a anemia, por conta da perda de sangue mensal na menstruação, precisam ficar atentas às fontes de ferro e ácido fólico. Derivados do leite, carnes e vegetais verdes escuros são imprescindíveis.

 

É recomendado também o consumo diário de fibras, importantes para evitar a constipação intestinal, mais comum no gênero feminino. Devem fugir das comidas ricas em sódio como embutidos e salgadinhos industrializados, principalmente para prevenir a hipertensão.

 

- É necessário pensar que alguns alimentos possuem propriedades nutricionais não tão importantes e podem agregar as famosas “calorias vazias”: são mais calóricos do que nutricionalmente completos, comenta.

DIETA QUE NÃO FAZ MAL

O ideal de beleza pode levar as mulheres a fazer dietas mirabolantes (da lua, da sopa etc.) ou da moda (Dr. Atkins, South Beach, do tipo sangüíneo), todas perdem no quesito equilíbrio nutricional.

 

De acordo com a nutricionista Camila, a única dieta que não faz mal, a recomendada, é uma dieta equilibrada. “Todos os alimentos devem fazer parte desse equilíbrio, nada deve ser deixado de fora”. No entanto, a nutricionista afirma que há alimentos que devem ser evitados, porém essa indicação deve ser feita por um profissional, que irá individualizar a dieta.

 

Nada deve ser comum, padronizado: a dieta não pode ser “engessada”. As dietas da moda excluem alimentos importantes como carboidratos, proteínas ou lipídeos de modo que não servem para manter os hábitos de vida saudáveis.

Além dos cuidados com os hábitos alimentares, a mulher deve parar de fumar, evitar bebidas alcoólicas, praticar exercícios físicos regularmente e realizar exames médicos periódicos para o controle da glicemia, pressão arterial, níveis de colesterol e triglicérides. No mais, não tomar nenhum medicamento ou suplemento nutricional por conta própria são fundamentais.

 

PRODUTOS VOLTADOS PARA OS MADUROS

 

A marca Nutren, da Nestlé, possui produtos voltados para pessoas acima dos 50 anos, que oferecem baixas calorias, são sem lactose e sem glúten e há um exclusivo para diabéticos.

 

De acordo com estudo divulgado recentemente por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), 99% da população consome certas vitaminas essenciais em quantidades insuficientes. É o caso da vitamina D e E. A ausência desses dois nutrientes pode ocasionar dores musculares, alterações hepáticas, má formação óssea e osteoporose.

 

O Nutren Active contém 25 vitaminas e minerais, sendo importante fonte de cálcio, ferro, zinco, proteína, ácido fólico e vitaminas A, C e D. Ele contém também Prebio, avançado e exclusivo composto de fibras, que contribui para o equilíbrio da flora intestinal, melhorando a absorção dos nutrientes presentes nos alimentos. Além disso, contém 0% de gordura trans.


BENEFÍCIOS E CUIDADOS

NA HORA DE UTILIZAR UM ADOÇANTE

 

O uso dos adoçantes tornou-se popular na década de 60, principalmente nos Estados Unidos. No Brasil, entretanto, até os anos 80, ele estava associado somente aos portadores de distúrbios orgânicos, como a diabete, quando era comercializado somente com prescrição médica.

 

Há pouco mais de 20 anos, entretanto, mudanças na legislação permitiram que os adoçantes passassem a ser vendidos normalmente e hoje são consumidos no dia-a-dia por grande parte da população.

 

Os adoçantes em geral são indicados para pessoas que necessitam restringir calorias da dieta, ou substituir totalmente o açúcar, como no caso dos diabéticos. Entretanto, muitas pessoas, inclusive crianças, utilizam os adoçantes sem necessidade. Apesar desse uso inadequado, a restrição médica ao uso de adoçantes existe somente quando for ultrapassada a IDA (ingestão diária aceitável), que é a quantidade máxima diária permitida para uso isenta de riscos para a saúde.

 

Para o Dr. Carlos Alberto Werutsky, médico nutrólogo e diretor da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), existem prós e contras no uso dos substitutos do açúcar. “Poucos sabem que, por apresentar um poder adoçante muito superior ao açúcar comum, devem ser utilizados em quantidades bem menores”, explica.

 

O especialista esclarece que, se utilizado de forma correta, o açúcar traz benefícios ao paciente. Por isso, muitas vezes, é melhor administrar a ingestão do açúcar natural do que causar danos à saúde com o uso abusivo de adoçantes.

 

- Quando ingeridos, os adoçantes não são reconhecidos pelos neuro-receptores cerebrais como açúcar e podem não satisfazer a saciedade, explica.  Por isso quem utiliza adoçantes com freqüência, segundo ele, costuma sentir determinadas vezes uma séria compulsão por doces.

 

Durante anos foram realizadas pesquisas e feitas especulações a respeito dos variados tipos de substâncias que compõem os adoçantes. Em alguns momentos, suspeitou-se que tais substâncias pudessem causar doenças como o câncer, depressão e queda de cabelo. Hoje se sabe que o consumo de uma dose aceitável diária é segura para as pessoas.

 

O uso de adoçantes é importante, em especial, para as pessoas que necessitam equilibrar os níveis de açúcar do sangue e para aquelas que precisam perder peso, ressalta o médico nutrólogo da ABRAN.

 

A intolerância quanto ao resíduo amargo no paladar ainda é o fator mais relevante na escolha do adoçante ideal. Por esse motivo, as formulações atuais procuram evitar essa ressalva de muitos consumidores. Hoje, entre os tipos mais conhecidos de adoçantes, estão o aspartame, a sacarina combinada com ciclamato, acesulfame-K, sucralose e estévia.

 

A novidade mais recente é o adoçante do tipo taumatina com capacidade de dulçor 3.000 vezes superior à do açúcar de mesa, que pode ser encontrado em chocolates Zero Açúcar.

 

USUÁRIOS DE ADOÇANTES DEVEM FICAR ATENTOS:

- Adoçantes também possuem calorias, por isso consuma com moderação.

- Mude de adoçante freqüentemente para não sofrer intoxicação.

- Pessoas com hipertensão e insuficiência renal devem prestar atenção às taxas de sódio de cada adoçante.

- Quantidades excessivas podem causar diarréia.

- Devem ser utilizados sob orientação médica.

- Não é indicado para crianças, exceto em caso de diabetes.

 

TIPOS DE ADOÇANTES:

- Aspartame: Presente em mais de 6.000 produtos alimentícios e bebidas não-alcóolicas do mundo inteiro, o aspartame tem um poder adoçante é até 180 vezes maior do que o açúcar comum, não deixa sabor amargo, e suas calorias são quase nulas. Após alguns experimentos, suspeitou-se que o aspartame poderia causar câncer. Entretanto, um relatório escrito em 2007 por cientistas de diversas universidades, teve a conclusão unânime de que o aspartame não é prejudicial à saúde humana.

 

- Sucralose: Com o sabor exatamente igual ao açúcar de cana, este adoçante é considerado uma das melhores opções para substituir o açúcar sem a adição de calorias.  Não apresenta efeitos tóxicos ou alterações metabólicas, e é 600 vezes mais doce que o açúcar comum.

 

- Adoçante herbal stevia: Algumas tribos indígenas do Brasil e da Argentina utilizavam folhas de stevia para fins medicinais e para adoçar o mate. Considerado o adoçante mais natural, pode adoçar 300 vezes mais do que o açúcar normal. Estudos apontam que a estévia melhora a ação da insulina, por isso é indicada aos diabéticos.  

 

- Novo acesulfame-K: É um sal do potássio e pode adoçar 200 vezes mais que o açúcar. Na maioria das vezes é misturado a outros adoçantes, a fim de obter um resultado final mais semelhante ao açúcar comum.

 

O ADOÇANTE NATURAL

HELENA MENEGUETTI HIZZO

Pesquisa recente da Universidade de Purdue, em Indiana (EUA), indicou que os adoçantes à base de sacarina podem engordar mais do que açúcar.

 

Segundo o trabalho, o sabor doce causado pela sacarina, principal edulcorante químico artificial usado em refrigerantes de baixa caloria, provoca no sistema digestivo um estímulo à ingestão de produtos com alto teor calórico. A não ingestão deles desregula o organismo, que pede mais comida ou queima menos calorias. O resultado é um inevitável aumento de peso.

 

A pesquisa foi feita com ratos. Um grupo ingeriu iogurtes adoçados com sacarina. O outro, iogurte com açúcar. Os animais que consumiram produto à base de sacarina engordaram mais do que os que ingeriram açúcar. Os ratos que consumiram o edulcorante químico artificial também tiveram aumento na taxa de gordura no corpo.

 

Outros adoçantes artificiais, como o aspartame, também foram colocados em cheque pelo trabalho da universidade americana, e os pesquisadores acreditam que esse tipo de edulcorante pode ter o mesmo efeito da sacarina no organismo.

 

A pesquisa gerou polêmica. Os consumidores ficaram assustados. Porém, pouco se discutiu com relação às opções existentes no mercado para substituir a sacarina. Uma das que passaram despercebidas foi relativa aos adoçantes naturais puros, como os de estévia (foto) . Estes são utilizados no Japão há mais de 30 anos. O Brasil, Argentina, Paraguai, México e China também aderiram ao seu uso. Nos Estados Unidos e Canadá, a estévia é utilizada como suplemento dietético.

 

A estévia possui propriedades edulcorantes em suas folhas, especificamente nas substâncias esteviosídeo e rebaudiosídeo. O esteviosídeo tem poder adoçante de 250 a 300 vezes superior ao da sacarose — açúcar de origem da cana-de-açúcar e da beterraba. O rebaudiosídeo é mais doce, com poder adoçante de 350 a 450 vezes superior ao da sacarose.

 

A planta é nativa no Paraguai, mas já é difundida no Brasil. O esteviosídeo e o rebaudiosídeo não são metabolizados pelo corpo humano. Por também não ser calórica, a estévia tornou-se adoçante dietético natural. Opção sensata em meio ao alarde criado pela pesquisa.

 

Helena Meneguetti Hizo é diretora de Pesquisa e Desenvolvimento da Steviafarma Industrial.

 

OS ASPECTOS QUE INTERESSAM NA COMPRA

 

Pesquisa realizada no Rio Grande do Sul mostra que, dos cinco principais aspectos considerados pelos consumidores para a escolha dos produtos, quatro referem-se à qualidade: aparência, sabor, aspectos nutricionais e durabilidade. Preço vem em terceiro lugar na escolha de frutas, legumes e verduras.

 

 O estilo de vida e os hábitos de consumo da população brasileira passaram por inúmeras transformações nas últimas três décadas. Além do aumento da freqüência de alimentação fora da residência, maior participação da mulher no mercado de trabalho e maior urbanização, houve um aumento da busca por qualidade de vida e, conseqüentemente, maior conscientização e exigência dos consumidores frente à oferta de produtos alimentícios.

 

Nesse sentido, Renato de Souza e equipe da Universidade Federal de Santa Maria resolveram identificar as preferências dos consumidores de frutas, legumes e verduras em termos de estabelecimentos de varejo por eles escolhidos, hábitos de consumo e principais critérios considerados em suas decisões de compra.

 

Para tanto, foi realizado um levantamento em 11 municípios da região central do Rio Grande do Sul. Foram entrevistados 266 consumidores acima de 18 anos. De acordo com artigo publicado na edição de março/abril de 2008 da revista Ciência Rural, “do ponto de vista da demanda e do padrão de consumo alimentar, as mudanças recentes têm apontado para três tendências básicas: menor passividade; crescente importância de atributos de qualidade associados a algum tipo de serviço ou facilidade na decisão dos consumidores finais; e avanço das grandes redes varejistas, com ampliação da oferta de produtos, inclusive das suas próprias marcas”.

 

No trabalho, os pesquisadores verificaram que a maioria dos consumidores adquire os produtos em supermercados ou hipermercados, sendo que a freqüência de compra de maior incidência identificada foi entre duas e três vezes por semana. Segundo eles, “a pesquisa identificou três grupos de produtos segundo a regularidade de consumo, dos quais o conjunto de produtos consumidos de forma mais regular é composto por: cebola, laranja, tempero verde, tomate, alho e alface”.

  

FONTE: Agência Notisa (science journalism – jornalismo científico)

 

RESÍDUOS DE AGROTÓXICOS EM FRUTAS VENDIDAS EM SP

 

A PRO TESTE  avaliou a presença de pesticidas em limões, maçãs, morangos e tomates comprados em diferentes pontos de venda de São Paulo. Das quarenta frutas analisadas, onze apresentaram resíduos de agrotóxicos, seis dos quais com concentrações dentro do limite máximo recomendado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Outras cinco tinham pesticidas não regulamentados para aquela cultura. Em dois casos, ambos em maçãs, havia mais de um pesticida.

 

Segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), existe um limite diário aceitável para a ingestão de pesticidas e se você consumir até esse limite não há risco para a saúde. Por isso, o fato de mais de um quarto das frutas apresentar resquícios de agrotóxicos não assusta tanto.

 

Problema mesmo é que há alguns não regulamentados, sem estudos suficientes para determinar seus riscos.

 

Limão foi a fruta em que menos houve problema.Dos nove lotes analisados,  apenas o comprado no Pastorinho apresentou resíduos de agrotóxicos, mesmo assim, dentro do limite da Anvisa.

 

Maçã – O resultado da avaliação, apesar de não ser ruim, foi o inverso do limão. Dos doze lotes analisados de maçãs gala, foram  incluídas duas ditas orgânicas, onde não se detectou problemas.Metade das maçãs não-orgânicas apresentou resíduos de pesticidas. Uma da Wal-Mart apresentou dois tipos de agrotóxicos e uma outra do Pão de Açúcar tinha três resíduos de pesticidas, sendo um não-regulamentado, o Monoctrotofos.

 

Morango– Foram checamos seis lotes de morangos, um deles orgânico, que

não teve problema. Três produtos (Carrefour, Pastorinho e Pão de Açúcar) apresentaram resíduos de pesticida não-regulamentado para esta cultura, o Carbendazim.

 

Tomate – Os resultados do tomate foram muito bons. Apenas dois entre os treze analisados tinham resíduos de pesticidas, sendo um com produto permitido para a cultura (Pão de Açúcar) e um com agrotóxico não-regulamentado (Sonda), o Fenitrotion.

 

Muitos consumidores estão optando por produtos orgânicos devido aos malefícios que os pesticidas causam para o meio ambiente ou para a saúde. Não foram encontrados qualquer resquício de pesticida nos produtos orgânicos e a maioria dos não-orgânicos também não apresentou problemas.

 

O teste, porém, mostra que nem sempre o consumidor precisa gastar mais para ter um produto livre de agrotóxicos. Se compararmos os resultados do tomate, por exemplo, fica evidente que não há muita diferença. Em resumo, dependendo do produto, pode compensar muito mais comprar um não-orgânico.  O problema é como avaliar pesticidas que nem são autorizados, já que não há estudos suficientes que permitam a sua liberação. Como se não bastasse, não é levado em conta que a mesma cultura pode apresentar mais de um pesticida. Por isso, a PRO TESTE cobrou medidas da Anvisa para o órgão estabelecer claramente os limites a partir dos quais a saúde do consumidor estará em risco.

 

A avaliação completa está na revista PRO TESTE 66 (fev/08) distribuída exclusivamente aos  associados da entidade e também no site: www.proteste.org.br

 

FRUTAS EM CÁPSULAS

 

Mais do que nunca os pesquisadores estão comprovando a importância da alimentação à base de frutas na vida das pessoas. Por isso, foram criadas as cápsulas de frutas em pó que em pouco tempo, vão chegar ao Brasil, direto da França.

 

Apesar do Brasil ser um país que tem o privilégio de cultivar centenas de espécies de frutas, hortaliças e grãos e de oferecer boa parte delas a baixo custo, especialmente as chamadas "da estação", as frutas em cápsulas são destinadas a quem não tem tempo e não gostam de frutas.  

 

Segundo pesquisas, uma cápsula de um grama do produto equivale a comer dez saladas de frutas. Dentre os seus benefícios, também combate os radicais livres, previne doenças e reduz o colesterol.


A cápsula francesa é composta de: maçã, aspargo, mirtilo, damasco, groselha negra, brócolis, cenoura, cereja, pepino, alho, toranja (grapefruit), repolho verde, oliva, cebola, laranja, mamão, abacaxi, uva vermelha e verde, morango, chá, tomate e germe de trigo.

 

Quem é o responsável por este produto é a Consulfarma. Em janeiro de 2007, nasceu a ADA TINA Cosméticos, empresa-irmã da Consulfarma, especializada na fabricação de produtos cosméticos destinados aos mercados médico e de estética.

 

OS 85 ANOS DA CEASAR SALAD

 

A salada mais conhecida dos Estados Unidos, presente em quase todos os restaurantes do mundo não é americana! A Ceasar Salad veio do México e foi criada por volta de 1924 pelo imigrante italiano e cozinheiro Ceasar Cardini.

 

Certo dia, o estoque do seu restaurante em Tijuana, na fronteira com San Diego, estava quase à zero e o chef teve de usar a criatividade e o que tinha na dispensa para criar um prato e oferecer aos clientes. Juntou alface romana, queijo parmesão ralado, mini pães temperados – os chamados crôutons e um molho especial, que é o grande destaque do prato: alho, mostarda, limão, pimenta do reino, azeite, vinagre, gemas batidas e anchovas.

 

Para Beto Isaac, proprietário da Família Burger, onde a salada é servida com grelhados, existem algumas regras para se preparar a salada como usar crôutons caseiros, procurar sempre comprar queijo parmesão

originalmente italiano e deixar as folhas verdes bem geladas e crocantes. Na versão moderna as gemas foram substituídas por maionese.

 

RECEITAS

Brandade de Bacalhau

Chef Clo Dimet (para o site Panelinha)

. Fica pronta em: 40min + 5h para dessalgar o bacalhau

. Serve: 6 pessoas

 

INGREDIENTES:

- 400 g de bacalhau desfiado

- 500 g de de batata

- 2 dentes de alho

- 1/4 maço de salsinha

- 1/2 xícara (chá) de creme de leite fresco

- sal e pimenta-do-reino a gosto

- noz-moscada a gosto

- 2 colheres (sopa) de azeite de oliva

- 6 fatias de pão torrado (de sua preferência)

- Salsinha fresca para decorar

 

MODO DE PREPARO:

1. Se o bacalhau estiver salgado, coloque-o numa tigela com bastante água. Troque a água da tigela de 1 em 1 hora, durante 5 horas.

2. Faça um purê com as batatas. Numa panela, coloque as batatas, cubra com água e leve ao fogo alto. Quando ferver, abaixe para fogo médio e deixe cozinhar por 30 minutos ou até que estejam macias. Retire do fogo e escorra a água. Deixe esfriar o suficiente para conseguir manusear. Descasque as batatas e amasse com um garfo ou passe pelo espremedor.

3. Preaqueça o forno a 180ºC (temperatura média).

4. Descasque os dentes de alho. No processador de alimentos, coloque o purê de batatas, o bacalhau, o alho e o creme de leite. Tempere com sal, pimenta-do-reino moída na hora e noz-moscada ralada. Bata em velocidade alta até obter uma massa homogênea.

5. Transfira a massa para uma travessa refratária. Leve-a ao forno preaquecido e deixe assar até dourar.

6. Lave e seque bem a salsinha. Separe os raminhos com as mãos.

MONTAGEM:

Espalhe a massa de peixe generosamente sobre as fatias de pão torrado. Regue com o azeite de oliva e decore com os raminhos salsinha. Sirva a seguir.

 

Crema Catalana com Coco
 
Chef Clo Dimet (para o site Panelinha)

. A sobremesa mais tradicional da Espanha ganha aromas tropicais do coco. Um casamento perfeito para quem gosta de surpreender os convidados.

. Fica pronta em: 20min para o leite de coco + 1h20min para o creme

. Serve: 4 pessoas

 

PARA O LEITE DE COCO:

- 200 g de coco fresco ralado

- 2 xícaras (chá) de água

MODO DE PREPARO:

1. Numa panela, coloque a água e o coco fresco. Leve ao fogo alto e deixe ferver. Desligue o fogo. Quando esfriar, coe o leite com um pano de cozinha limpo. Quando só restar o coco no pano, torça este com as mãos para extrair todo o sabor do fruto.

 

PARA O CREME:

- 2 xícaras (chá) de açúcar

- 9 gemas

- 3 colheres (sopa) de maisena

- 500 ml de creme de leite fresco

- 2 xícaras (chá) de leite de coco

MODO DE PREPARO:

1. Na batedeira, coloque o açúcar e as gemas. Bata em velocidade alta até obter um creme branco e fofo. Retire a tigela da batedeira.

2. Adicione a maisena aos poucos e misture bem com uma espátula, até que ela se incorpore ao creme de gemas. Adicione o leite de coco e o creme de leite e misture novamente até obter um creme homogêneo. Transfira o creme para uma panela.

3. Leve o creme para cozinhar em banho-maria. Para fazer o banho-maria, encaixe a panela com o creme sobre uma panelinha com água. Leve as panelas encaixadas ao fogo baixo e mexa o creme sem parar com um fouet (batedor de arame). Uma vez no fogo, não pare de mexer o creme. Tome cuidado para não queimar as bordas e o fundo da panela.

4. Quando o creme engrossar, tire do fogo e distribua em tigelinhas de louça individuais. Deixe esfriar e leve à geladeira por no mínimo 1 hora.

5. Antes de servir, polvilhe um pouco de açúcar sobre o creme.

6. Coloque uma colher de sopa na chama do fogão para aquecer bem. Use uma luva, ou pano de prato dobrado, para não se queimar!

7. Encoste as costas da colher na superfície do creme para caramelizar o açúcar. Caso precise, repita esta opera­ção até caramelizar toda a superfície, mas não deixe queimar demais o açúcar. Um maçarico de cozinha também pode ser usado para queimar o açúcar. Sirva imediatamente.

 

Fritada de siri

 

INGREDIENTES:

- 500 g de carne de siri ou caranguejo

- 6 ovos

- 2 cebolas médias

- 1 tomate

- 1/2 pimentão vermelho

- 2 dentes de alho

- 4 colheres de sopa de óleo vegetal

- 1/4 de xícara de leite de coco

- 1 colher de sopa de farinha de rosca

- sal e pimenta-do-reino

 

MODO DE PREPARO:

. Pique finamente 1 cebola, o alho e o pimentão. Coloque o óleo em uma frigideira e leve ao fogo, acrescente a cebola, alho e pimentão picados. Se gostar, pode colocar um pouco de folhas de coentro. Refogue bem em fogo baixo, e assim que estiver macio acrescente a carne de siri, aumente o fogo e refogue por 5 minutos, regue com o leite de coco, misture bem e tempere com sal e pimenta-do-reino, apague o fogo e deixe esfriar.
. Separe os ovos e bata levemente as gemas em uma tigela acrescentando um pouco de sal e pimenta-do-reino, acrescente o refogado de siri e misture muito bem.

. Bata as claras em neve e acrescente misturando delicadamente. Unte levemente um refratário com um pouco de óleo e despeje a mistura.
. Decore com fatias da cebola restante e fatias de tomate. Salpique com um pouco da farinha de rosca e leve ao forno pré-aquecido para assar por 25 minutos ou até que esteja bem dourado.

 

Linguado ao Vinho Branco

 

INGREDIENTES:

- 1,5 kg de filés de linguado

- 150 gramas de manteiga

- 1 copo de vinho branco

- Farinha de trigo

- Sal

- pimenta do reino

- tomilho

 

MODO DE PREPARO:

. Passe pela farinha de trigo e deixe dourar os filés em uma frigideira com a metade da manteiga. Reserve este peixe em uma assadeira de barro pré-aquecida.
 . Ponha para tostar uma colher de sopa de farinha de trigo no restante da manteiga. Adicione o vinho, com sal, pimenta do reino e tomilho a gosto. Deixe cozinhar por mais 3 min. , mexendo continuamente.
 . Despeje sobre o linguado e sirva.

 

_____________________________

Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de www.idademaior.com.br" .

(voltar ao topo)