corpo-mente
 

                                           CUIDADOS NO INVERNO                             home

 

picapauCom a chegada das estações frias - outono e inverno - milhares de pessoas são acometidas de doenças respiratórias sazonais, ou seja, as doenças que são mais freqüentes nos meses de baixas temperaturas. Entre as mais comuns estão o resfriado, a gripe e a bronquiolite.
A situação fica ainda pior nessa época do ano quando as temperaturas baixam, as oscilações térmicas aumentam e, com as mudanças bruscas de temperatura, há pouca chuva e aumento da poluição nos centros urbanos.
Em conjunto, tais fatores apenas colaboram para o aumento das doenças respiratórias nas famílias que, pelo ritmo de vida acelerado e os maus costumes como má alimentação, convivência em ambientes aglomerados etc, só endossam o quadro, ressalta a Dra. Simone Aguiar, pneumopediatra do Hospital San Paolo.

 
GRIPE OU RESFRIADO. QUAL A DIFERENÇA?

Popularmente, a maioria das pessoas acredita estar sempre gripada, quando, na verdade, estão resfriadas. Elas não sabem a diferença entre estas doenças.

A gripe é uma doença infecciosa, causada pelo vírus Influenza. De fácil transmissão, a gripe é altamente contagiosa, já que os vírus se espalham pelos espirros e tosse que as pessoas gripadas apresentam, e que podem ser inalados por qualquer indivíduo que esteja por perto. Ela pode evoluir com algumas complicações como quadros graves de pneumonias pelo próprio vírus ou por infecções secundárias devido a alguns tipos de bactérias. O resfriado também é causado por vírus, mas com sintomas mais leves.

As pessoas que apresentam doença respiratória crônica, como a asma brônquica e a rinite, pessoas idosas ou que tenham alguma deficiência imunológica são mais suscetíveis a essas complicações. O tratamento envolve uma boa alimentação, líquidos abundantes, analgésicos e antitérmicos, mas na verdade o melhor tratamento é a prevenção, principalmente fazendo uso da vacinação anual contra o Influenza antes do início do inverno.

Nos casos das pessoas com doença respiratória crônica, as mesmas devem estar em acompanhamento regular com seus médicos, usando as medicações profiláticas, quando indicadas, e evitando aglomeração  em ambientes fechados.

BRONQUIOLITE

Trata-se de uma doença que se caracteriza por uma inflamação nos bronquíolos e que, geralmente, é causada por uma infecção viral. Tal doença pode levar até 60 dias para uma recuperação total, podendo ter um curso variável.

O vírus sincicial respiratório (VSR) é o principal microorganismo envolvido nesta doença. Dentre outros vírus que podem causar bronquiolite estão o Parainfluenza, o Influenza e o Adenovírus. O VSR é muito contagioso e se dissemina entre as pessoas por meio do contato das secreções contaminadas do doente com os olhos, nariz ou boca do indivíduo sadio.

 ASMA

A asma brônquica pode iniciar em qualquer etapa da vida, mas na maioria das vezes ocorre na infância. Trata-se de uma doença pulmonar obstrutiva crônica, que pode ou não durar por toda a vida.

Ela se manifesta por tosse, cansaço e chiado; em algumas crianças maiores e em adultos, ela aparece por meio de uma forte dor no peito (opressão torácica). Os sintomas podem aparecer a qualquer momento do dia, mas tendem a predominar pela manhã ou à noite.

A asma é a principal causa de tosse crônica em adultos. Seu tratamento é feito com medicamentos broncos dilatadores e antiinflamatórios, sempre com o acompanhamento de um médico especialista. Não há como prevenir a existência da doença, mas sim suas exacerbações e seus sintomas diários.

RINITE

A rinopatia, mais conhecida como rinite alérgica, é um processo inflamatório que causa irritação na mucosa nasal, e acaba por obstruir a cavidade e aumentar a quantidade de secreção. Geralmente caracteriza-se por corisa, espirros e obstrução nasal. O tratamento se faz com uso de antialérgicos, higiene nasal e,quando indicado, com corticóide tópico nasal.

PNEUMONIA

Pneumonia é infecção que se instala nos pulmões. Oriunda de um processo inicialmente viral, e deve ser tratada com antibióticos. Cada caso é avaliado individualmente e se definirá, além do tipo de antibiótico, se há ou não necessidade de internação.

Diferentes do vírus da gripe, que é altamente infectante, os agentes infecciosos da pneumonia não costumam ser transmitidos facilmente. Além das medicações, podemos utilizar a fisioterapia respiratória como auxiliar no tratamento. Os fisioterapeutas realizam exercícios respiratórios com o intuito de retirar as secreções de dentro dos pulmões, agilizando o processo de melhora dos pacientes.

Caso haja antecedentes na família com casos de doenças respiratórias não se deve aguardar os meses mais frios do ano para procurar um especialista. A prevenção é o melhor resultado para qualquer doença em benefício à qualidade de vida.

Dra. Simone Aguiar é pneumopediatra do Hospital San Paolo, coordenadora da área de Pediatria Geral que inclui as UTIs Neonatal e Pediátrica, além do Pronto Socorro e Enfermaria. É assistente voluntária do Grupo de Fibrose Cística da Santa Casa de São Paulo.


_________________________

Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de www.idademaior.com.br"