corpo-mente
 


prefeitura

 

 

EXERCÍCIOS FÍSICOS MELHORAM

SAÚDE MENTAL DOS IDOSOS

 

É certo que a atividade física traz benefícios para a qualidade de vida, mas pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro e da Fundação Oswaldo Cruz conseguiram mostrar os efeitos dos exercícios na saúde mental dos idosos. Vencedor da categoria Saúde Mental e Emocional do Prêmio Saúde! 2008, o projeto mostrou o impacto positivo da atividade física em quadros de depressão, Alzheimer e Parkinson, doenças comuns que acometem a terceira idade.

 

Coordenado pela professora Dra. Andréa Camaz Deslandes, o projeto conclui que a atividade física pode ser coadjuvante na prevenção e no tratamento da depressão no idoso, por exemplo. Os resultados foram comprovados por meio de avaliação da atividade cerebral de 20 pacientes que se submeteram a um programa adequado de exercícios. Considerada um dos maiores problemas da saúde pública do mundo, a depressão acomete cerca de 20% da população mundial.

 

"O exercício é uma forma muito fácil e praticamente sem custo para se resolver problemas que são muito complicados", afirmou. Segundo ela, as pessoas que fazem atividades físicas têm menor chance de desenvolver a Doença de Alzheimer porque, entre outras respostas favoráveis, apresentam menor declínio cognitivo.

 

Segundo a pesquisadora, no geral, entre os benefícios da atividade física estão: melhora no condicionamento físico; diminuição da perda de massa óssea e muscular; aumento da força, coordenação e equilíbrio; redução da incapacidade funcional, da intensidade dos sintomas de depressão e das doenças físicas; e promoção da melhoria do bem-estar e do humor.

 

A pesquisadora espera que o tema seja ampliado para a população e, principalmente, para o sistema público de saúde. Dedicada ao estudo da relação entre saúde mental e exercícios, Andréa já está engajada em um novo projeto: os benefícios do treinamento aeróbico e do treinamento de força. Para isso, haverá um novo recrutamento de 45 pacientes em janeiro de 2009. "Ainda temos muita coisa para ser descoberta. Esse assunto é bastante recente no mundo inteiro. Estamos apenas começando a desvendá-lo", disse.

Prefeitura: Fotógrafo Claúdio Avellar

 

MULHERES FAZEM MENOS GINÁSTICA

 

Pesquisadores britânicos concluíram que as mulheres fazem menos ginástica na infância e na terceira idade. Eles estudaram os níveis de atividades em crianças e pessoas acima de 70 anos e, nos dois casos, homens eram ativos.

 

Os estudiosos da Universidade John Moores, de Liverpool viram que as brincadeiras entre crianças de 10 e 11 anos na escola eram completamente diferentes entre cada sexo. As meninas passavam mais tempo em grupos menores e participavam de jogos verbais, conversas e socialização.

 

Enquanto que a maioria dos meninos brincava em grupos maiores e em jogos ligados a atividades físicas, como o futebol, por exemplo.

Eles acharam que como os níveis de a atividades físicas das meninas eram menores, isso contribuiria para que elas ficassem acima do peso e obesas mais tarde.

 

DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS

 

A Triathon Academia recebe portadores de necessidades especiais com o Programa Reabilitar. Transformar a relação entre quem freqüenta e trabalha na academia e as pessoas com necessidades especiais por meio de uma mudança de comportamento. Assim é o Projeto Reabilitar, onde a academia deixa de ser apenas um lugar para obter bem-estar físico e emocional e passa a ser uma importante agente de integração social.

 

 

deficiente-correndo

Guilherme Bara, gerente de marketing da BASF, é deficiente visual e passou por diversas academias antes de chegar à Triathon. “O problema era sentir que eu poderia atrapalhar. Muitas outras academias sugeriram que eu fosse em uma hora que não houvesse muito movimento”, desabafa Guilherme. Para ele, praticar esporte muda a vida de todos, mas, principalmente, de um portador de necessidades especiais. “A pessoa com deficiência, principalmente a pessoa cega tem uma retenção no corpo e sempre fica na defensiva pelos esbarros e trombamentos. O importante é soltar-se, para trazer benefícios à saúde do corpo.

 

Inclusão não é só deixar o deficiente praticar atividade física, mas sim preparar as pessoas para recebê-lo. Não é apenas avisar os funcionários de que agora existe um deficiente no local, mas sim saber que ele tem potencial”, afirma Bara.

 

O projeto conta com a parceria com a Divisão de Medicina Física e Reabilitação da USP – Universidade de São Paulo, que contribuiu expressamente com treinos específicos aos profissionais da Triathon, principalmente no preparo de como acolher pessoas com qualquer tipo de deficiência. A academia também passou por mudanças estruturais: instalou rampa de acesso, adaptou os banheiros e construiu entradas de fácil acesso para a piscina, utilizadas também pela melhor idade, freqüentadores assíduos de todas as atividades.

 

Treinar não é só importante para a saúde do corpo. A atividade física melhora a condição psicológica de quem tem algum tipo de deficiência e é uma forma de inclusão social.

 

Apesar de já existir uma Lei Federal (Lei Federal Nº 7.853) em que prédios públicos ou privados precisam se adequar à deficientes, a real intenção desse projeto é quebrar as barreiras das limitações impostas pela deficiência e valorizar a participação em grupo, já que essa interação leva o portador de qualquer deficiência a socializar-se, melhorar sua qualidade e expectativa de vida, além de ampliar as possibilidades de acesso a bens de serviços e até ao mercado de trabalho.

 

EXERCÍCIOS: FORTE ALIADO NO COMBATE À DEPRESSÃO

 

Recentemente, o Ibope divulgou pesquisa que mostra que 55% das brasileiras procuram alternativas de tratamento para a depressão. Considerada uma doença epidêmica, em alguns casos de acordo com a Classificação Internacional das Doenças, pode ser identificada como crônica.

 

Segundo levantamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa –, de 2003 a 2007, o consumo de medicamentos aumentou em 40%. O órgão constatou também que existem 130 tipos de antidepressivos comercializados sob receita médica.


Mulheres bonitas e bem sucedidas desfilam nas academias, mas o que ninguém imagina é que muitas delas não estão ali em busca do corpo perfeito. Elas querem amenizar ou acabar com os efeitos da “doença da alma”, a depressão. Num mundo com 340 milhões de pessoas afetadas pela doença, dados divulgados por pesquisadores australianos no periódico Preventive Medicine revelam que os cuidados com o corpo deixam de ser apenas vaidade e tornam-se parte importante no tratamento para o resgate da qualidade de vida.


Para muitas pessoas que sofrem desse mal, o exercício físico é considerado um elemento importante no tratamento. Segundo Keli Alencar, professora de Educação Física da Rede Contours de Brasília, Academia para mulheres, a sensação de bem estar proporcionada por atividades físicas ameniza e muito, o estresse do corpo e da mente. “A liberação de endorfina provoca sensação de prazer. A mulher fica mais sociável e segura e ganha qualidade de vida”, atesta.


“O exercício é capaz de promover a psicossocialização e a ativação de substâncias no cérebro, como a endorfina e endocanabinóides, que podem provocar euforia imediata e redução da percepção da dor”, destaca o neurologista e diretor do Instituto do Cérebro de Brasília, Dr. Ricardo Teixeira. Para aqueles que já identificaram a doença, o especialista recomenda acompanhamento médico.

 

Fabiana Alves - Editoria de Saúde

 

 

TRINTA MINUTOS DIÁRIOS DE CAMINHADA

PREVINEM GANHO DE PESO COM A IDADE

 

Caminhar apenas 30 minutos por dia pode ser o suficiente para evitar o aumento de peso que ocorre com o envelhecimento, segundo estudo da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos. Acompanhando, por 15 anos, cerca de 5 mil pessoas com idades entre 18 e 30 anos, pesquisadores descobriram que, entre as mulheres mais pesadas, meia hora de caminhada todos os dias reduzia, em até 450 gramas por ano, o ganho de peso que costuma acompanhar o envelhecimento.


Entre os homens, esse aumento no nível de atividade física também fazia efeito, mas de forma menos significativa. Com isso, os especialistas concluíram que "caminhar é de particular relevância porque é geralmente uma forma barata e acessível de atividade física para muitas pessoas" e pode "melhorar não apenas o controle do peso como também a saúde pública geral".


Editoria de Saúde Bibliomed

 

 

                         CONQUISTE SAÚDE COM APENAS

                    15 MINUTOS DE EXERCÍCIOS DIÁRIOS


Já pensou conquistar a tão sonhada forma física com apenas 15 minutos de exercícios diários? Essa proposta revolucionaria é apresentada e proposta nos livros “Dor nas costas nunca mais”, “Pilates ao seu alcance”, “Ginástica Express” e “Ioga ao seu alcance”, lançados este mês pela Editora Marco Zero, em parceira com a revista BOA FORMA.


Os livros que acompanham DVDs trazem todas as informações e orientações para quem deseja melhorar sua postura e se exercitar, mas não tem tempo de freqüentar academias - desde a escolha do horário, o ambiente, a roupa e os acessórios e tudo o que é preciso para praticar os exercícios com segurança e prazer e nos DVDS mostram em detalhes a correta execução de cada movimento.


Nos livros, fotos mostram passo a passo a execução dos exercícios e apontam partes do corpo que precisam de atenção especial. Ao final de cada série, um prático encarte mostra o resumo de todos os movimentos e as respostas às perguntas mais freqüentes.


DOR NAS COSTAS NUNCA MAIS

Especialmente projetado para melhorar a postura e fortalecer e relaxar as costas, o programa de 4 aulas de exercícios - praticado por apenas 15 minutos por dia - proporciona uma melhoria na postura, mais força e disposição física e, sem dor nas costas, uma nova maneira de encarar a vida.

PILATES AO SEU ALCANCE

A autora Alycea Ungaro, apaixonada pelo método pilates dá opções para montar um programa de exercícios mais intenso, e orientações sobre como incorporar Pilates ao dia-a-dia e manter a motivação, complementam as aulas.

Dedicando apenas 15 minutos por dia à prática de uma das quatro aulas do livro, o leitor vai notar uma melhoria na respiração, no modo de encarar a vida, na elasticidade do corpo e na disposição física e mental.

IOGA AO SEU ALCANCE

O livro, juntamente com o DVD, traz todas as informações e orientações para quem deseja iniciar a prática da ioga e não tem tempo de freqüentar aulas. A autora é Louise Grime ensina hatha ioga em Londres.

GINÁSTICA EXPRESS

Nesta obra o leitor encontrará opções para montar um programa de exercícios mais intenso e uma avaliação do seu condicionamento físico.
Sua autora  Joan Pagano é graduada em Saúde e Educação Física pelo American College of Sports.


Todos os livros tem 128 páginas e custa R$ 59,00


_________________________


Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de
www.idademaior.com.br"