corpo-mente
 

 

 

É POSSÍVEL INTERROMPER O ENVELHECIMENTO DA PELE?

Dr. ADEMIR JR.

 

Certa vez, há cerca de uns 10 anos, enquanto eu ministrava uma aula em um evento de farmacologia um dos participantes me fez duas perguntas que considerei demasiadamente importantes: É possível interromper o envelhecimento da pele? Há chances de tornar nossa pele resistente ao envelhecimento?

 

Não me lembro bem qual foi a resposta dada, mas desde então aquelas perguntas se tornaram pontos importantes na condução da minha vida como médico atuante na medicina estética. Estava lançado um desafio, estudar as formas de envelhecimento para combatê-las da maneira mais severa possível.

 

Em minhas pesquisas e avaliações posso dizer que menosprezamos o envelhecimento. Não nos preocupamos com ele por alguns bons anos de nossa vida e isto pode ser um começo para o tal envelhecimento aparecer de forma lenta e sorrateira.

 

A certeza da manutenção do viço da pele no jovem e a cultura da beleza bronzeada faz com que nos primeiros anos de nossas vidas certo abuso prevaleça. Cuidados de menos, riscos de mais. Infelizmente os sinais do tempo não aparecem nesta época, passam a interferir invisivelmente no nosso corpo podendo provocar respostas num futuro inversamente proporcional ao quanto abusamos das radiações ultravioletas e da falta de cuidados com a boa higiene e hidratação da pele.

 

A genética pode ser parceira ou inimiga mortal. Algumas pessoas têm maior facilidade de degradar colágeno do que outras, ou seja, perdem qualidade e firmeza cutânea mais precocemente. Na derme, onde fica o colágeno, encontramos altas concentrações de água. Que também é perdida quando o colágeno se vai.

 

Os hábitos podem interferir de forma protetora ou ser o pé no acelerador a favor da degradação da nossa pele. Alimentação, hábitos, vícios, estresse, exposição a poluentes, sono de baixa qualidade, não preciso nem dizer que todos os órgãos do corpo sofrem quando há abuso e desequilíbrio relacionado aos fatores que acabamos de citar, a pele não é diferente.

Em virtude de tudo isto, a pergunta sobre a possibilidade de interromper completamente o envelhecimento cutâneo parece só ter uma resposta: não!

 

Realmente acredito que interromper, por completo, o envelhecimento da pele é algo muito difícil, mas a idéia de que podemos fazer algo para abreviar em muito os fatores que nos encaminham para rugas, flacidez, perda da hidratação e elasticidade é real e possível.

 

Para que isto ocorra de forma competente uma nova maneira de pensar e agir deve fazer parte de nossas vidas. Mudanças bruscas de hábitos, eliminação de vícios, e uma busca insana por saúde deverá compor a dinâmica de nossos dias. Cuidar da pele de fora para dentro, higienizando com produtos suaves, tonificando, hidratando e protegendo do sol da maneira correta. Utilizar antioxidantes, ingeri-los na alimentação, tomar suplementos alimentares, ter uma vida com melhor controle de ansiedades e estresse. Quando possível buscar a distância de ambientes poluídos para respirar o bom ar de montanhas ou do litoral.

 

Tratamentos, modernidades, preenchimentos, lasers, peelings, quando começarmos a agir de forma preventiva, estaremos minimizando a necessidade de todos estes procedimentos. Poderemos neste momento não interromper o envelhecimento da pele, mas certamente estaremos dando um grande passo para o desacelerarmos ao extremo.

 

 

Dr. Ademir Jr. (CRM 92.693) é médico dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, da Sociedade Brasileira de Termalismo, e da Sociedade Brasileira de Medicina Estética. Presidente do Grupo de Assistência a Problemas Capilares – GAPCA e Presidente do Grupo de Apoio a Portadoras de Síndrome dos Ovários Policísticos - GAPSOP. Professor de Anatomia e Fisiologia da pele no curso de Pós-Graduação em Cosmetologia das Faculdades Oswaldo Cruz – SP/SP.

 

 

UMA APARÊNCIA MAIS JOVEM

JUSSARA CÂMARA

 

Considerado o mais moderno aparelho a laser para a pele, o Trinity associa no mesmo aparelho tríplice utilidade, daí o seu nome.  Essa nova tecnologia melhora o aspecto da pele, pois atua para recuperar textura e firmeza da pele, além de eliminar manchas, sardas e até rugas profundas.

Isto porque no mesmo aparelho, existem três ponteiras, todas com radio-freqüência.

 

“A primeira, SRA, tem luz pulsada, utilizada para remover manchas e vasos da pele. A ST emana infravermelho com rádio freqüência, que retrai o colágeno e, assim, diminui a flacidez da pele. E na terceira etapa, tem a Matrix, uma ponteira de laser fracionado, que estimula o colágeno, eliminando rugas e cicatrizes, explica a Dra Joyce Meri de Castro, renomada dermatologista carioca.

 

Esta técnica é excelente para suavizar a aparência dos sulcos nasogenianos, o famoso 'bigode chinês' em torno dos lábios.

 

As sessões necessárias vão depender de cada caso. Os resultados do tratamento são percebidos após três sessões. As aplicações devem ser feitas com um intervalo mínimo de 30 dias.

 

- Importante, este tratamento não deixa sequelas visíveis e após cada sessão, o paciente pode ir para o trabalho e retomar sua rotina, finaliza a dermatologista.

 

Por isso, o tratamento com o laser Triniti está sendo considerado o preferido pelas clientes e um dos mais eficazes para preservar a pele livre de manchas e rugas de expressão.

 

Joyce

 

Dra. Joyce Meri Vieira de Castro atua há 30 anos como especialista nas áreas de Dermatologia e Cosmiatria. É membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Laser. Seu consultório fica na Rua Santa Clara, 50/304 - Copacabana, Rio de Janeiro, tels: (21) 2547- 9000 e 2548- 0456

 

 

 

 

20 ANOS DE BOTOX®

 

botox

 

A aplicação da Toxina Botulínica tipo A - o famoso BOTOX® - ficou famosa no mundo todo por seu uso cosmético, no tratamento das rugas de expressão, e é, hoje, o procedimento estético não-cirúrgico mais realizado no mundo.

 

O que muitos ainda não sabem é que o BOTOX® foi criado há mais de 20 anos para fins terapêuticos e já beneficiou milhões de pessoas, entre elas crianças com paralisia cerebral, pessoas que sofreram derrame (Acidente Vascular Cerebral - AVC), que tem com Incontinência Urinária, entre outras patologias.

 

O uso da toxina botulínica tipo A na medicina foi aprovado pela primeira vez no mundo em 1989 (pelo FDA, nos Estados Unidos), como uma alternativa não-cirúrgica para tratar o estrabismo. Desde então, o medicamento foi aprovado em 80 países para 21 indicações diferentes.

 

No Brasil, o BOTOX® chegou em 1992, quando foi autorizado pela ANVISA para o tratamento de estrabismo e distonia. Hoje já são oito indicações aprovadas no País:

 

DISTONIA: provoca contrações involuntárias da musculatura em diversas regiões do corpo – como pescoço, por exemplo - comumente confundida com tique nervoso. 

 

ESTRABISMO: desalinhamento dos olhos causado por um desequilíbrio dos músculos que agem sobre o globo ocular.

 

BLEFAROESPASMO: contrações involuntárias do músculo que controla as pálpebras, fazendo com que o paciente pisque incontrolavelmente.

Espasmo hemifacial: contrações involuntárias dos músculos da face.

 

RUGAS DE EXPRESSÃO.

 

ESPASTICIDADE: rigidez excessiva da musculatura – de braços e pernas principalmente - que afeta a mobilidade dos pacientes. É uma sequela comum em pessoas vítimas de AVC, paralisia cerebral, lesões medulares, esclerose múltipla e outras patologias ligadas ao sistema nervoso central.

 

HIPERIDROSE: suor excessivo nos pés, mãos e axilas.

 

SÍNDROME DA BEXIGA HIPERATIVA: contrações involuntárias do músculo da bexiga, que causam vontade urgente e excessiva de urinar.

 

COMO AGE A TOXINA.

A Toxina Botulínica tipo A é aplicada diretamente no músculo, promovendo seu relaxamento temporário, o que minimiza contrações involuntárias e a rigidez excessiva. No caso da hiperidrose, a substância é aplicada nas glândulas sudoríparas, reduzindo a produção de suor.

 

A toxina não trata as causas das incapacidades, mas atenua as conseqüências das sequelas e, especialmente, ajuda os pacientes a recuperar a qualidade de vida, ressalta a Profa. Dra. Denise Rodriques Xerez, fisiatra.

 

Em geral, os quadros que podem ser tratadas com BOTOX® comprometem significativamente o bem estar dos pacientes. No caso do blefaroespasmo, as piscadas constantes comprometem muito a visão; a espasticidade restringe atividades simples do dia-a-dia, como vestir-se, comer, andar, e a bexiga hiperativa e a hiperidrose afetam a auto-estima das pessoas, causam restrições sociais e podem, inclusive, levar à depressão. 

 

 

Na área da reabilitação, as aplicações representam uma ferramenta muito importante, já que além de ter múltiplas indicações, tem uma incidência baixíssima de efeitos colaterais.

 

O tratamento terapêutico com a toxina botulínica é disponibilizado pelo SUS (Sistema Público de Saúde) em hospitais de todo o país e o medicamento é reembolsado pelos planos de saúde (contratos de acordo com a Lei 9656/98).

 

Dra. Denise Rodriques Xerez, fisiatra do Rio de Janeiro e chefe do Serviço de Medicina Física e Reabilitação do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (Hospital do Fundão).

_________________________


Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de
www.idademaior.com.br"