corpo-mente
 

 


PESQUISA APONTA QUE 70% DAS PESSOAS

 NÃO SE PROTEGEM DO CALOR


Cresce o número de casos de insolação urbana. Esse é o termo utilizado pelos médicos para descrever um quadro cada vez mais comum nos grandes centros. “Os principais sintomas são: muita sede, suor excessivo, aumento da temperatura, dor de cabeça e, nos casos mais avançados, dificuldade para respirar, tontura e vômito”, descreve Dr. Gilvan Alves, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SDB).


Típica das sucessivas horas de exposição ao sol de verão nas praias e clubes, a insolação cresce nas cidades por conta do aumento da temperatura no planeta e da desatenção da maior parte das pessoas. Pesquisa realizada pela SBD aponta que 70% da população não lançam mão de cuidados básicos na proteção contra o sol. “Estamos continuamente submetidos à irradiação solar, até mesmo nos dias nublados”, esclarece Dr. Gilvan.


Mal-estar, envelhecimento precoce e câncer de pele. Essas são as conseqüências da insolação urbana. A boa notícia é que ela pode ser prevenida. “A informação é a arma principal. A adoção de hábitos simples podem fazer uma grande diferença. O primeiro deles é evitar a exposição direta ao sol entre as 10h e as 16h.

 

Outras atitudes importantes são: hidratar-se adequadamente – ingerindo de 2 a 3 litros de água por dia, usar filtro solar sempre – com fator mínimo de proteção 15, usar roupas leves em dias quentes e evitar permanecer em locais pouco arejados”, orienta Dr. Gilvan.  

 

 

CONJUNTIVITE: OUTRO MAL DO VERÃO

 

Nesta  época  é  importante  ter  cuidado  especial  com  os  olhos,  principalmente  com  os  surtos  de  conjuntivite,  que  aparecem  devido  à  falta  de  umidade  no  ar. Seus sintomas são: olhos  inflamados  e  sensíveis,  muita  secreção,  vermelhidão  e  lacrimejamento.

 

No entanto, a oftalmologista  Sandra  Naufal,  do  Hospital  e  Maternidade  Neomater,  em  São  Bernardo alerta que  
muitas  pessoas  com este  quadro  de  sintomas  não  costumam  procurar  um  especialista  para  comprovar  o  diagnóstico  e  fazem  a  automedicação. 

 

- "É  sempre  muito  importante  ir  ao  oftalmologista  para  confirmação  do  diagnóstico  e  do  tratamento,  porque  a  aplicação  de  um  medicamento  errado  pode  causar  desconforto  no  início  e  até  a  perda  da  visão",  diz  Sandra.  "O  fato  de  parecer  uma  doença  simples  faz  com  que  as  pessoas  não  procurem  um  médico",  comenta. 

 

A  especialista  explica  que  existem  vários  tipos  de  conjuntivite,  como  alérgica,  bacteriana  e  viral,  os  mais  frequentes.  Apesar  de  a  doença  não  configurar  risco,  ela  pode  se  transformar  em  problema,  caso  não  seja  tratada  de  forma  adequada.  Segundo  a  especialista,  as  pessoas  infectadas  devem  tomar  muito  cuidado  para  não  aumentar  o  ciclo  de  transmissão  da  doença,  passada  principalmente  através  das  mãos. 

 

 "Quem  convive  com  pessoas  contaminadas  precisa  lavar  as  mãos  constantemente  porque  os  vírus  estão  depositados  nos  dedos  e  podem  ser  carregados  para  locais  possíveis  do  alcance  das  mãos",  ensina  Sandra.
 
A  médica  diz  que  é  simples  conter  a  proliferação  da  conjuntivite,  apesar  de  não  haver  colírios  para  prevenção. .

AS  PRINCIPAIS  MEDIDAS  PARA  PREVENIR  A  DOENÇA:
A  pessoa  contaminada  deve  se  afastar  por  7  a  10  dias  do  convívio  social,  tanto  da  escola,  quanto  do  trabalho.  O  ar-condicionado  é  um  agente  multiplicador  da  doença.  Pessoas  saudáveis  devem  evitar  ambientes  fechados,  onde  o  vírus  é  transmitido  mais  facilmente.

 
Em  casa  ou  no  trabalho,  é  importante  limpar  com  álcool  os  objetos  de  uso  comum.  Quem  já  está  contaminado,  é  necessário  fazer  uma  constante  higiene  e  compressas  nos  olhos  com  algodão  ou  gaze  umedecido  em  água  filtrada,  recomenda  a  oftalmologista.


Toalhas  de  rosto  e  fronhas  devem  ser  trocadas  diariamente e devem ser exclusivas do paciente.   Lavar  as  mãos  e  o  rosto  várias  vezes  ao  dia  também  é  medida  obrigatória; 

Evitar  a  automedicação.  Alguns  colírios  à  base  de  cortisona  podem  agravar  ainda  mais  o  quadro  caso  não  sejam  prescritos  por  um  médico; 
Visitar  um  oftalmologista  assim  que  começar  a  sentir  que  a  vista  está  embaçando,  lacrimejando  ou  ficando  avermelhada. 
 

PREPARE-SE DE FORMA SAUDÁVEL PARA O VERÃO

 

Com a chegada do verão, a procura por academias, dietas radicais e procedimentos cirúrgicos aumentam significantemente. Porém, especialistas alertam que para alcançar um corpo bonito e saudável não existe milagre, é necessário aliar exercícios físicos e alimentação equilibrada.

 

“Não adianta ficar sem comer e tomar remédios para emagrecer, pois o organismo pode acabar sofrendo os efeitos disso e reagir de maneira contrária, acumulando mais gordura no corpo com o tempo,” afirma a nutricionista do Hospital Samaritano de São Paulo, Larissa Lins.

 

A fórmula correta para emagrecer de forma saudável, de acordo com médicos e nutricionistas, é pensar como um todo na alimentação e atividades físicas. “Não é necessário passar por privações, nem correr em busca de soluções milagrosas e imediatas,” explica a nutricionista.  “Dentro dos hábitos de cada um, é possível encontrar o equilíbrio para manter um corpo bonito e saudável não só para o verão, mas para a vida toda,” continua. Reeducação alimentar e exercícios físicos moderados – como uma caminhada de 30 minutos, 3 vezes por semana – já são suficientes para manter a saúde em dia e o corpo sarado.

 

- O problema maior é que as pessoas sempre têm pressa para emagrecer e podem acabar prejudicando o próprio organismo com procedimentos muito rigorosos e restritivos,” explica Lins. “A pessoa leva trinta anos para engordar e quer emagrecer tudo em uma semana,” continua a especialista do Hospital Samaritano. Durante qualquer tratamento de perda de peso, é preciso ter paciência e não abandonar as dicas dos especialistas.

 

MANTENHA A FORMA DURANTE O VERÃO

 

NÃO SAIA DE CASA SEM TOMAR CAFÉ DA MANHÃ

Se você dispensar o café, vai acabar comendo muito mais do que deveria durante o resto do dia e, ainda, pode prejudicar o organismo. O ideal é comer bem no café da manhã, com frutas e cereais. Um pãozinho, um derivado do leite, café com leite e uma fruta mantêm você alimentada e bem disposta para começar as atividades do dia. Se preferir, substitua tudo isso por uma vitamina de leite com fruta, sem açúcar.

 

BEBA MAIS ÁGUA

Nunca se esqueça da água, além de fazer bem a todo o corpo, também ameniza a fome. O ideal é beber entre 1,5L a 2L por dia. No verão, é recomendável beber muito líquido para se manter hidratada e com a pele e cabelos mais saudáveis e bonitos.

 

NÃO PULE AS REFEIÇÕES

Durante as férias de final de ano, é comum nos alimentarmos na hora errada e, até mesmo, deixar algumas refeições de lado. Tente manter horários fixos para comer e, mesmo que esteja fora de casa, procure ingerir alguma coisa saudável para não ficar com mais fome na próxima refeição e acabar comendo mais do que deveria. O ideal é fazer cinco refeições ao dia, com intervalos de quatro horas entre elas. Não fique beliscando o dia inteiro e nem deixe de comer. Assim, o organismo vai continuar funcionando bem e gastando as calorias desejadas.

 

PRATIQUE EXERCÍCIOS FÍSICOS

Aproveite os dias quentes de verão para atividades ao ar livre. Uma caminhada de 30 minutos ou uma partida de frescobol na praia ajudam a queimar calorias e ainda deixam um bronzeado saudável. Só não esqueça o protetor solar.

 

MANTENHA ALIMENTOS SAUDÁVEIS EM LOCAIS DE FÁCIL ACESSO

Estoque sua geladeira e despensa com alimentos saudáveis e práticos. Assim, ao sentir vontade de beliscar alguma coisa, você terá acesso rápido a nutrientes pouco calóricos e benéficos. Evite manter comidas gordurosas em casa, assim você não terá opção na hora da fome.

 

Quando for viajar, leve na bolsa uma garrafinha de água, frutas ou barras de cereais para evitar os amendoins e guloseimas vendidos nas estradas.

 

 

 

 

_________________________


Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de
www.idademaior.com.br"