corpo-mente
 

 

PRESSÃO ALTA

 

O Ministério da Saúde divulgou o resultado de uma pesquisa mostrando que a proporção de brasileiros hipertensos aumentou de 21,5% em 2006, para 24,4% em 2009. E o que é pior, segundo o estudo, realizado com 54 mil adultos nas 27 capitais, a doença se alastrou em todas as faixas etárias.

 

A hipertensão ocorre "quando a pressão que o sangue faz na parede das artérias para se movimentar é muito forte, ficando o valor igual ou maior que 140/90 mmHg ou 14 por 9".

 

Atualmente, a hipertensão atinge mais de 30 milhões de brasileiros e é responsável por 47% dos infartos, 54% dos AVCs (derrames) e 37% dos casos de insuficiência renal, de acordo com o Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Cardiologia.

 

Segundo o cardiologista Rafael Munerato, essa doença que não tem cura, mas que pode ser controlada. E informa que se não for não tratada, a pressão alta é a principal causa de infarto agudo do miocárdio (IAM).


“ O tabagismo, estresse, sedentarismo, níveis de colesterol e triglicérides, obesidade e taxa de açúcar no sangue são alguns dos fatores de risco a serem cuidados. Além de que pessoas que têm parentes próximos que morreram de cardiopatias, também devem redobrar a atenção com a saúde, explica o médico.  

 

MULHER HIPERTENSA: UMA ‘BOMBA-RELÓGIO’

Elas têm mais medo de um câncer de mama do que de um ataque

cardíaco. Mas, especialistas explicam que as doenças do coração matam 300 mil pessoas ao ano. Em cada dez infartos, quatro atingem mulheres. Mas elas costumam apresentar menor taxa de sobrevivência.

 

“A mulher hipertensa é como uma bomba-relógio. O aumento da pressão arterial leva a doenças do coração – aumentando as chances de um ataque cardíaco –, compromete vasos sanguíneos e, inclusive, o funcionamento dos rins”, diz Rafael Munerato, cardiologista e diretor técnico do Hospital Santa Paula, de São Paulo. 

 

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, cerca de 300 mil pessoas morrem  de doenças do coração a cada ano. “Considerando que as mulheres representam metade desse número, temos 150 mil mortes por ano contra nove mil que sucumbem ao câncer de mama”, diz Munerato.

 

 

TRATAMENTO INOVADOR COMBATE PRESSÃO ALTA

PARA QUE NÃO CHEGUE À HIPERTENSÃO

 

A adesão ao tratamento prescrito, que muitas vezes inclui dieta balanceada, prática de exercícios e o uso regular da medicação recomendada, se torna cada vez mais necessária para manter a pressão alta sob controle e garantir a qualidade de vida dos pacientes.

 

Medicamentos recentes possuem diferenciais capazes de combater a doença com eficácia e auxiliar o paciente a equilibrar a pressão arterial, caso dos inibidores de renina, únicos atuantes no ponto de ativação inicial da cascata de reações que leva à hipertensão.

 

Os inibidores de renina são responsáveis por diminuir a produção da angiotensina II, proteína nociva para os vasos.  Quando em excesso, a angiotensina II faz com que os vasos se contraiam e estimula a proliferação de células musculares ao redor deles, tornando-os rígidos e sem a flexibilidade necessária para a boa circulação do sangue. Além disso, a angiotensina II também estimula a produção de outro hormônio, a aldosterona, que promove a retenção de sódio, aumentando o volume de líquidos que circulante e, consequentemente, a pressão nos vasos.

 

Ao combater os níveis excessivos de angiotensina II, atuando no início da cascata de produção, os inibidores de renina contribuem para a proteção aos órgãos-alvo que costumam ser afetados pela hipertensão ao longo do tempo, como cérebro, coração, rins e olhos.

 

Dessa forma, o controle da pressão alta evita os problemas graves, como derrames; doenças do coração – infarto, insuficiência cardíaca e angina (dor no peito)-; insuficiência renal ou falência dos rins; e alterações na visão, que podem causar cegueira.

 

HIPERTENSÃO NO BRASIL

Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia e o Ministério da Saúde, a hipertensão é responsável pela morte de aproximadamente 7,6 milhões de pessoas no mundo por ano. Cerca de 80% dessas mortes ocorrem em países em desenvolvimento, como o Brasil, sendo que mais da metade das vítimas têm entre 45 e 69 anos.

 

O quadro se torna ainda mais grave quando o perfil dos pacientes é analisado. Apenas um em cada quatro brasileiros sabe que tem a doença e, dos que sabem, poucos tratam. De acordo com a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, um em cada dois indivíduos acima de 60 anos possui a doença. Independente da faixa etária, pelo menos um em cada sete sofre do problema.

 

Fonte: Dr. Rafael Munerato, médico cardiologista e diretor técnico do Hospital Santa Paula, de São Paulo e Novartis.

 

IMPORTANTE: As informações contidas neste texto têm caráter informativo, não devendo ser usadas para incentivar a automedicação ou substituir as orientações médicas. O médico deve sempre ser consultado a fim de prescrever o tratamento adequado.

 

 

POR QUE AS MULHERES SOFREM MAIS COM FIBROMIALGIA?

 

A fibromialgia afeta nove mulheres para cada homem. Ainda não há uma explicação precisa para isso. “Acredita-se em influência genética, hormonal e cultural”, explica o reumatologista José Eduardo Martinez, professor da Pontifícia Universidade Católica de Sorocaba .

 

A causa da fibromialgia ainda não é totalmente conhecida. O aspecto central é uma sensibilidade dolorosa amplificada e associada ao aumento do estresse.

 

Algumas pessoas acreditam que por sentir dor em várias partes do corpo, já têm a doença. Porém, a fibromialgia não é a única causa de dores músculo-esqueléticas. “Por isso, cabe ao paciente explicar com detalhes como é a dor que sente, além de informar outros sintomas que a acompanham. Essas informações associadas a um bom exame físico marcam o diferencial do diagnóstico”, afirma o especialista.

 

A interação entre médico e paciente é fundamental para um diagnóstico correto da fibromialgia, pois não há raio-x ou exame de sangue que acuse a doença. A constatação é feita exclusivamente por meio da consulta médica.

 

Dados recentes demonstram que a patologia é diagnosticada em pelo menos 5% dos pacientes que vão a um consultório de clínica médica devido a algum tipo de dor e em 10% a 15% dos pacientes que procuram um consultório de reumatologia.

 

Vale também prestar atenção em outros sintomas que acompanham essas dores, como a fadiga exagerada, distúrbios do sono, dores de cabeça, alterações intestinais, entre outros. “Com essas informações, o médico terá mais subsídios para um diagnóstico correto, sempre relacionando esses dados ao histórico do paciente e aos achados do exame físico”, conta o professor Martinez.

 

Diferentemente das demais doenças reumáticas, a fibromialgia não atinge predominantemente as articulações. Mas a dor, de moderada a intensa, toma conta do corpo todo. “Estima-se que cerca de 4% da população mundial sofra com a doença e que existam 4,8 milhões de fibromiálgicos no Brasil, mas apenas 2,5% deles recebem tratamento adequado”, explica José Eduardo.

 

A sensibilidade ao toque é o que mais incomoda os pacientes fibromiálgicos, pois muitas vezes um simples carinho pode desencadear uma dor insuportável. Porém, se tratado adequadamente, o paciente pode levar uma vida com boa qualidade. “Mas para que isso ocorra o paciente deve mudar a sua postura diante do estresse, praticar exercícios e seguir as orientações médicas buscando uma melhor qualidade de vida”, alerta o reumatologista.

 

Sabe-se que os exercícios físicos auxiliam muito na recuperação de pacientes, pois atuam nos mecanismos da dor, combatem o estresse, depressão e ansiedade, além de melhorar o condicionamento físico. “É muito importante que a pessoa com fibromialgia entenda que assim como o tratamento medicamentoso, que atualmente pode ser feito com Lyrica (pregabalina), antidepressivos e analgésicos, a atividade física regular deve ser mantida continuamente para uma melhora gradativa”, finaliza José Eduardo.

 

FONTE: o reumatologista José Eduardo Martinez, professor da Pontifícia Universidade Católica de Sorocaba e membro da Comissão de Fibromialgia, Dor e outros Reumatismos de Partes Moles da Sociedade Brasileira de Reumatologia.

 

IMPORTANTE: As informações contidas neste texto têm caráter informativo, não devendo ser usadas para incentivar a automedicação ou substituir as orientações médicas. O médico deve sempre ser consultado a fim de prescrever o tratamento adequado.

 

 

CASADOS FELIZES TÊM MENOS CHANCE DE MORRER DE AVC

 

Um estudo médico israelense revelou que homens casados e felizes têm menos chance de morrer em decorrência de um AVC (acidente vascular cerebral) do que aqueles que permaneceram solteiros.

 

O estudo, realizado pela Universidade Tel Aviv, mostrou que solteiros têm 64% mais chances de sofrerem um AVC fatal do que os casados e que aqueles que mantêm um casamento infeliz também têm 64% mais chances de morrer em consequência de um derrame do que os bem-casados.

 

Os dados foram colhidos num universo de 10 mil servidores públicos israelenses num período de 45 anos (desde 1965). Os pesquisadores agora esperam reunir dados para analisar a situação de mulheres casadas. 

 

 

TÉCNICA DE CRANIOPUNTURA

 

 Um dos maiores especialistas em acupuntura da atualidade, o médico japonês dr. Toshikatsu Yamamoto, veio ao Brasil no início deste mês, para difundir a técnica YNSA, que tem proporcionado notórias melhorias na saúde da população em Campinas.

 

A Yamamoto New Scalp Acupuncture – YNSA, vem sendo difundida com resultados bastante positivos, a ponto do Sistema Único de Saúde – SUS aderir à prática de acupuntura para reduzir de forma significativa o uso de antiinflamatórios pela população assistida pelo SUS em Campinas.

 

O curso teórico-prático é dirigido restritamente à classe médica e tem como intuito aperfeiçoar o conhecimento dos ouvintes para a técnica de craniopuntura aplicada em pacientes com patologias agudas e crônicas. A técnica também é indicada em casos de dores em geral, como cefaléia, bursite e lombalgia, além de sequelas neurológicas.

 

ACUPUNTURA E CRANIOPUNTURA

Surgida na China há 4 mil anos, a acupuntura é uma técnica oriental de tratamento que proliferou ao redor do mundo. Em 1995, no Brasil, ganhou status de especialidade médica, sendo aplicada para tratar dores e tendo efeito terapêutico em inúmeras patologias. 

 

A craniopuntura é uma das técnicas da acupuntura e consiste na inserção de agulhas na região escalpeana e em regiões relacionadas a centros sensitivos e motores do córtex. Atua principalmente no tratamento de sequelas de acidente vascular cerebral (AVC).

 

Constantemente aperfeiçoada nos dois centros de reabilitação de Yamamoto, nas cidades de Nichinan e Miyazaki, ambas no Japão, a craniopuntura já conta com equipamentos de última geração, que auxiliam, sobretudo, o campo das neurociências.

 

 

ANVISA APROVA AVASTIN PARA CÂNCER DE MAMA

 

A Anvisa aprovou uma nova droga para o tratamento do câncer de mama, e que registra cerca de 49,5 mil novos casos no País por ano. O Avastin® (bevacizumabe), da Roche, agora também pode ser utilizado como 1ª linha no tratamento de pacientes com câncer de mama em estágio avançado (metastático).

 

Cerca de 50% das pacientes são diagnosticadas em estágio avançado, e poderão ser beneficiadas com a aprovação do tratamento. O medicamento Avastin possui um mecanismo de ação inovador, que inibe o crescimento de novos vasos sanguíneos e acaba “matando o tumor de fome”.

 

Os resultados de estudos clínicos fase 3 demonstram que os pacientes que receberam Avastin em combinação com quimioterapia demoraram cerca de duas vezes mais tempo para apresentar sinais de progressão da doença em comparação aqueles tratados apenas com quimioterapia. Os estudos também apresentaram uma taxa de resposta do tumor de aproximadamente 50%.

 

IMPORTANTE: As informações contidas neste texto têm caráter informativo, não devendo ser usadas para incentivar a automedicação ou substituir as orientações médicas. O médico deve sempre ser consultado a fim de prescrever o tratamento adequado.

 

 

DOE PALAVRAS

 

O Hospital Mário Penna, em Belo Horizonte, que cuida de doentes de câncer, lançou um projeto sensacional que se chama "DOE PALAVRAS".

Fácil e  rápido; todos podem doar um pouquinho. É so acessar  http://www.doepalavras.com.br/ e enviar uma mensagem de otimismo, curta (como twitter) e sua mensagem aparece no telão para os  pacientes que estão fazendo o tratamento.


 

_________________________


Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de
www.idademaior.com.br"