corpo-mente
 

        UM NOVO OLHAR SOBRE A VAIDADE                  home


pula

O seminário "Um Novo Olhar Sobre a Vaidade", promovido pela Revista Seleções em São Paulo, mostrou os vários ângulos de um mesmo assunto: a vaidade humana.  João Carlos Basílio da Silva, Presidente da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, mostrou que o Brasil detém 54% do mercado de beleza da América Latina. E os cabelos são os responsáveis pelo maior gasto em cosméticos das brasileiras (27%).
Já o psicólogo Rogério Martins destacou o poder da imagem e da vaidade. Ele lembrou que temos 10 segundos para causar uma boa primeira impressão, e que devemos buscar o equilíbrio do tripé: ser, parecer e aparecer, ou seja, "venda corretamente a sua imagem".
A antropóloga Miriam Goldenberg destacou que o ser humano sofre do que chamamos de imitação prestigiosa. "Imitamos quem tem prestígio, sucesso, poder. E quem são essas pessoas hoje? As que estão na mídia", destacando, portanto, o poder da mídia na vida das pessoas.
Ao final, fez um apelo: "a mídia pode contribuir apresentando modelos poderosos com outros atributos, além de beleza e corpo perfeito. Isso ajudaria a colocar foco em questões importantíssimas, como inteligência."

UM FIO DE CABELO NO PRATO DA VAIDADE

Com este tema, a filósofa Márcia Tiburi abriu o Painel "Cabelo",provocando  risadas e polêmica em sua apresentação. "Acho que a vaidade não é parte da natureza das pessoas", ela disse, para depois afirmar: "sou a pessoa menos vaidosa que eu conheço". Usando contos-de-fadas e mitos, Márcia mostrou os cabelos como símbolo de força, poder e sexualidade. E, por fim, se colocou contra a "ditadura da chapinha".

Seu companheiro de painel, o hairstylist Carlos Carrasco, defendeu os cabelos longos, "independemente da idade". Afirmou ainda que hoje não se pode falar em tendência. O que vale é a personalidade. Carrasco fez rir ao lembrar que a mulher usa mais os seus cabelos para criar inveja na vizinha do que para seduzir o marido. "Nós, cabeleireiros, temos nas mãos um grande poder, o de melhorar a auto-estima das pessoas. E é isso que devemos fazer", disse.

PAINEL ROSTO E CORPO

A dermatologista Ana Paula Gomes mostrou todas as novas técnicas para restauração do volume da pele, esclarecendo os perigos dos preenchimentos definitivos, que podem dar "muito errado". Sobre a tão conhecida toxina botulímica (ou Botox), a doutora foi categórica: não se deve mudar a expressão da pessoa. "Cada idade tem a sua beleza".

“O rosto tem 500 pontos de reflexos que interagem com o corpo, dando alívio e bem estar", explicou Roseli Siqueira, especializada em cosmetologia.

A Dra. Lígia Kogos abriu o painel "Corpo" com truques e conselhos de consultório para se ter um corpo nota 10. Além disso, tirou dúvidas com relação a técnicas de depilação ("o laser doméstico é um futuro próximo") e sobre formas de garantir o bronzeado sem causar danos à saúde.

Com uma abordagem diferenciada, Fernanda Thot (Gerente da Cia. Athletica) mostrou em sua apresentação a evolução do fitness no Brasil. "Usar a atividade física como prevenção de doenças é algo relativamente novo no país", disse. Fernanda destacou ainda que o estresse, o mal do século, é alvo das academias hoje, com programas específicos para aliviar as tensões.

O dr. Filippo Pedrinola que tratou do tema "estresse", lembrou que a qualidade de vida é responsável em 50% para a longevidade, contra 30% da genética e 20% do ambiente. "Qualidade de vida é uma missão pessoal e intransferível", disse.

OUTROS TEMAS

Para falar de Alimentação Lucília Diniz  deu seu testemunho de vida, dizendo "se eu consegui perder 60 quilos, todos podem". Dicas como chips de legumes, saladas temperadas com refrigerantes, balas de gelatina e outros fizeram parte de sua palestra. "Vejo a vaidade como uma forma de auto-preservação", finalizou.

A endocrinologista Zuleika Halpern, mostrou que grandes ganhos de peso estão relacionados a fases de grande impacto psicológico na mulher: adolescência, gestação e menopausa. Por outro lado, lembrou: "A única coisa matemática da medicina é o ganho de peso: se comer mais e gastar menos, engorda".

A nutróloga Jane Corona focou sua palestra na "dieta da longevidade", baseada em "refeições com pouca caloria, equilibradas, com grande consumo de vegetais e consumo moderado de carne vermelha". A Dra. Jane também listou os 10 alimentos anti-envelhecimento, a saber: aveia, soja, alho, azeite de oliva, castanha-do-pará, chá verde, peixes, tomate, vinho tinto ou suco de uva e o açaí. "De todos os fatores que afetam o envelhecimento, a dieta é o mais importante", definiu.

O tema Moda foi tratado pela jornalista Célia Pardi e Glória Kalil afirmando que a vaidade é: "uma qualidade que serve para a pessoa se sentir segura, numa atitude pró-ativa com a vida. Mas, vira defeito, quando se torna uma obsessão que a afasta do mundo e a faz se voltar para o próprio umbigo".

Gloria lembrou ainda que a moda é um elemento de grande peso para a vaidade humana e disse que, hoje, o que vale é ter estilo: "estilo é o que nos distingue dos outros. Enquanto moda é oferta, estilo é escolha, muito particular, e que nos individualiza".

Encerrando o debate, Mário Queiroz mostrou curiosidades sobre a vaidade masculina. "No século XIX já existia uma revista inglesa voltada para a vaidade masculina, ou seja, o assunto não é novo", contou. Mario mostrou ainda como os ídolos influenciaram o homem e a sua vaidade. De Marlon Brando a David Beckham, entre outros ícones de moda e comportamento.

ABAIXO A DITADURA DA CHAPINHA!
SHEILA SUZANE

Minhas poucas, mas boas (no sentido estrito) leitoras. Olhem para essas fotos ao lado e respondam com sinceridade: Vocês conseguem imaginar essas moças com o cabelo liso, escorrido, resultado de uma chapinha ou escova progressiva?

Tudo bem, dirão vocês, os tempos são outros. Na época delas (com o perdão do cacófato), usava-se cabelo assim. Se fosse hoje, também teriam aderido à moda dos cabelos escorridos.

Será? Tenho minhas dúvidas. Mas acho que sim, pois as mulheres, em geral, são escravas da moda, seja ela qual for.

Alguém - nunca se sabe quem - decreta: a partir de agora, os seus cabelos terão de ser encaracolados. E pronto, lá se vai a mulherada atrás de bobes para enrolar as madeixas. Depois de uns dois ou três anos, esse mesmo alguém - quem será? - dá outra ordem: quem usa cabelos encaracolados está por fora; a moda agora é "permanente".

Para quem não se lembra, ou não era nascido, "permanente" é aquele cabelo bem crespo, encarapinhado.

Vi muitas mulheres com lindos cabelos lisos passarem horas sofrendo e deixar o cabeleireiro como se tivessem saído de uma cadeira elétrica.

Hoje ocorre o contrário. Às vezes me assusto com algumas mulheres que descartam seus belos cachos para aderir à escova progressiva.

Confesso que na minha juventude (quando essas moças da foto ainda nem mestruavam) eu padecia do mesmo erro. Tinha os cabelos crespos e os queria lisos, igual ao dos Beatles.

"Não adianta, você puxou a tia Aurélia", me desanimava minha mãe. A tarefa era mesmo inglória. Por mais que dormisse com uma touca de meia enfiada na cabeça, de nada adiantava. Depois do recreio, na terceira aula, ele já estava encrespado novamente.

Desisti de lutar contra a natureza. Passei a deixar meus cabelos se moldarem sozinhos na minha cabeça. Como a tia Aurélia.

A verdade é que as mulheres gastam fortunas no cabeleireiro para, em alguns casos, saírem de lá parecendo a Maga Patalógica.

A apresentadora Ana Paula Padrão, por exemplo, uma moça que sempre considerei bonita. A chapinha deixou-a parecida com a personagem de Walt Disney. Há uma outra apresentadora de telejornais, linda, que de vez em quando também aparece no vídeo parecendo a bruxa dos gibis.

Fonte: Blog www.escutaze.com.br

_________________________

Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de www.idademaior.com.br"