fatos
 

 

O QUE VOCÊ VAI FAZER NO FUTURO?
Jussara Câmara

dirceu-borgesSucesso na década de 70, o romance O que você vai fazer em dezembro?, está sendo relançado pela Editora Peirópolis. Nele, seu autor, Dirceu Borges (foto) narra a história de alguns velhinhos, cansados de se sentir um peso na casa dos filhos e para a sociedade, com medo de ir para um asilo, vão morar numa comunidade auto-sustentável chamada Harambê.

A utopia de Dirceu Borges, começou quando o jornalista ao assistir à uma palestra de gerontólogos na década de 70 sobre a terceira idade, ficou alarmado com o número de suicídios nesta fase de idade depois que a pessoa se aposenta e não mais vê sentido na vida.

Preocupado, ele imaginou uma comunidade auto-sustentável em que pessoas que chegassem aos seus 60 anos de idade, bem vividos e repletos de experiências e sabedoria, poderiam continuar a ser cidadãos produtivos e participativos.

O livro é a feliz constatação de que a obra literária pode transformar-se em realidade, este lugar está sendo construído, podendo servir de modelo para novas políticas públicas para a terceira idade no país.

Inspirado pela forte palavra utilizada pelos habitantes do Quênia, harambee,, que significa "vamos trabalhar juntos", o escritor partiu para uma verdadeira cruzada pelo mundo em busca de alternativas viáveis para tornar a vida de quem tanto produziu e construiu mais feliz.

Após visita a vários países em busca de alternativas que valorizassem o idoso e não encontrando nada que efetivamente reconhecesse as experiências, habilidades e conhecimentos destes cidadãos, resolveu criar este lugar, uma comunidade auto-sustentável através da ficção no livro O que você vai fazer em dezembro?

O Harambê, como é chamado, vem sendo construído em uma fazenda de 70 hectares no bairro de Peirópolis, município de Uberaba, Minas Gerais, cercado por bosques, com represas para pescaria e produção comercial de peixes, muitas flores e árvores.

É uma comunidade biossocial auto-sustentável para a terceira idade, sem nenhuma finalidade lucrativa. O projeto prevê a construção de 100 residências, cujos sócios-moradores serão pessoas físicas com mais de 60 anos.

livro

A coordenação e administração do Harambê serão feitas pelos próprios moradores. Todos devem ter por princípio básico a participação em alguma atividade de interesse da comunidade em uma cota mínima diária. No restante do tempo podem desfrutar de toda a infra-estrutura do local, que contará com quadras de esportes, sala de ginástica, clube, salão de baile, restaurantes, centro de compras e piscina, entre outros.

As residências, localizadas em blocos, chamados pueblos foram modernamente planejadas por arquitetos visando ao conforto e a segurança dos moradores, evitando-se escadas, quinas ou elementos que possam dificultar os movimentos.

O Harambê contará com um centro de atendimento médico e de estudos dedicado exclusivamente à saúde dos idosos. Neste local, seus moradores poderão receber os primeiros socorros em casos de emergência.

A filosofia do Harambê é que o ser humano, para evitar problemas decorrentes do envelhecimento, deve continuar ativo, executando tarefas que tenha prazer, sentindo-se feliz por continuar sendo protagonista de sua história.

O trabalho que proporciona prazer é uma forma de terapia. Por esta razão, o morador poderá escolher desenvolver diversas atividades, desde  rurais até urbanas. 

Dirceu Borges é jornalista, escritor, publicitário e empresário. Nasceu em 1932, em Barretos/SP.  É Presidente da Nova Índia Genética, empresa de tecnologia genética bovina,  com sede em Uberaba  e da Fundação Peirópolis, entidade sem fins lucrativos,  vínculos políticos ou religiosos, que realiza programas e projetos centrados em valores humanos.  

 

_________________________


Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de
www.idademaior.com.br"