fatos
 

 

 

 

idosos-copa

 

 

IDOSOS DE COPACABANA

APRENDEM TÉCNICAS DE DEFESA PESSOAL


Defender-se sem se expor a riscos é o que o  inspetor e professor de jiu-jítsu Antônio Ferreira de Souza ensina para idosos duas vezes por semana, na 12 Delegacia Policial em Copacabana:


O curso gratuito de defesa pessoal para idosos, criado por ele  já atraíram 60 alunos, em sua maioria idosos de Copacabana.


— Criamos o curso porque percebemos que os idosos ficam muito vulneráveis. Para tentar reduzir o número de assaltos no bairro, resolvemos trazê-los para a delegacia para ensinar técnicas de defesa. Mas já temos alunos da Ilha e da Taquara — explica o inspetor.

Durante uma hora de aula, às terças e quintas, o policial, após um alongamento, ensina as técnicas ao grupo.


CONSELHOS DO PROFESSOR:

O inspetor Antônio Ferreira de Souza ensina aos alunos do curso de defesa pessoal algumas modalidades de roubo, para que os idosos fiquem menos vulneráveis ao andar pelas ruas de Copacabana. A técnica de aprender a cair serve também para evitar ferimentos graves em acidentes domésticos.

RUA DESERTA

O policial civil orienta seus alunos a evitar caminhar por ruas escuras, à noite. Principalmente, quando virem um grupo de pessoas desconhecidas.

SITUAÇÃO DE RISCO

Durante o dia, aconselha o professor, ao notar que está sendo seguido, o idoso deve entrar em alguma loja ou local de grande movimento até que o perigo tenha passado.


ROUBO
Em locais de grande aglomeração de pessoas, como pontos de ônibus, deve-se tomar cuidado com as bolsas. Alguns ladrões, explica o inspetor Antônio Ferreira de Souza, agem em dupla — com um dos bandidos também idoso, para não levantar suspeitas. O mais velho esbarra no acessório da vítima, enquanto o mais jovem efetua o roubo.


QUEDAS
A técnica de cair com os braços estendidos e o queixo colado ao peito, evitando bater a cabeça e os cotovelos no chão, servem também para acidentes em casa.


FONTE: O GLOBO


ati

 

VIVER COM QUALIDADE

 

A Secretaria Municipal de Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida (Sesqv) incluiu entre os seus projetos, o “Escola Saudável” que se destina ao ensino de matérias ligadas ao envelhecimento nas escolas municipais, com a finalidade de educar os nossos jovens sobre este processo natural, conscientizando-os, desde cedo, sobre a importância da alimentação saudável e da prática da atividade física para a prevenção de doenças e manutenção da saúde.

 

ATI

Paralelamente, a SESQV já inaugurou duas Academias da Terceira Idade (ATI). A primeira, foi no Posto de Saúde Aloysio Amâncio, em Santa Cruz,. A segunda foi no Centro Médico de Saúde Harvey Ribeiro de Souza Filho, no Recreio dos Bandeirantes. O projeto é fruto de uma parceria da SESQV com a Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil (SMSDC).

A academia será usada em ações de aprimoramento das condições físicas ou de reabilitação dos pacientes que estiverem em tratamento em algum dos diversos programas de saúde da unidade. Os usuários serão encaminhados pelos médicos e serão supervisionados por um professor de educação física e um auxiliar de enfermagem durante o tratamento. Funcionários também poderão praticar atividades físicas na ATI.

Um total de 10 ATIs serão instaladas em postos e clínicas por toda a cidade. Outras três já estão sendo implantadas nas seguintes unidades: Posto de Saúde Mário Rodrigues Cid, em Campo Grande; Policlínica Manoel Guilherme da Silveira Filho, em Bangu; e Policlínica Rodolpho Rocco, em Del Castilho. A SESQV também instalará 50 ATIs em espaços púbicos do município, para uso da população, em geral.


Todas as ATIs serão equipadas com dez aparelhos, que visam à melhoria da capacidade muscular e aeróbica de seus usuários. Os exercícios são de fácil execução e podem ser praticados por diferentes faixas etárias e por grupos especiais, como hipertensos, diabéticos, entre outros.

 

“A atividade física, principalmente a musculação, é essencial para a manutenção da saúde na terceira idade. Além disso, a ATI cumpre um papel essencial de promover a socialização dos idosos. Aqui, os freqüentadores vão conviver com pessoas da mesma faixa etária, fazer amigos, dividir experiências, cuidar uns dos outros e isso cria uma rede de proteção social muito importante para a saúde física e mental deles, sem falar na questão da segurança, já que um passa a proteger o outro. A saúde é um todo, corpo e mente”, comentou a Secretária Cristiane Brasil durante em seu discurso de inauguração.

 

 

PROJETO ‘VILA CLEMENTINO

BAIRRO AMIGO DA PESSOA IDOSA’,

 

Dando continuidade ao movimento mundial ‘Cidades Amigas dos Idosos’, ocorrido em 35 cidades do mundo pela OMS, a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e o Instituto de Saúde realizaram no dia 4 de agosto passado, o Seminário sobre ‘Envelhecimento Ativo e Iniciativas Amigas da Pessoa Idosa’, no auditório Marco Lindenberg da UNIFESP, na Vila Clementino, São Paulo.   

 

O reitor da UNIFESP, Walter Manna Albertoni, apresentou o ‘Vila Clementino Bairro da Pessoa Idosa’ projeto piloto que pretende tornar o bairro mais adaptável, um lugar onde se estimule o envelhecimento saudável como um modelo de qualidade de vida para os idosos que vivem ou que transitam pela região.

 

O médico e pesquisador em saúde pública, Alexandre Kalache, que trabalha na área de envelhecimento global da presidência da Academia de Medicina de Nova York, falou sobre temas relativos à qualidade de vida das pessoas idosas, que servirão de base para a construção da política estadual de saúde do idoso no Estado de São Paulo.

 

O seminário marcou a implantação de um novo compromisso  com a OMS (Organização Mundial da Saúde),  Governo do Estado de São Paulo, Secretaria Estadual da Saúde, além de  pesquisadores e a sociedade civil em geral,  para o início de um  importante movimento social que vise o debate e a sensibilização de políticas públicas de desenvolvimento das cidades dos idosos. 

 

A Universidade Federal de São Paulo tem uma rede de serviços bastante estruturada, atendendo muitas pessoas idosas residentes no seu entorno, além de desenvolver há mais de 10 anos a pesquisa EPIDOSO (Estudo Epidemiológico em Idosos) do Departamento de Geriatria, que tem gerado importantes conhecimentos sobre o envelhecimento.

 

A  prefeitura da cidade de São Paulo, representada pela subprefeitura da Vila Mariana, em continuidade à proposta do Bairro Universitário e dentro do Programa Municipal de Envelhecimento Ativo (Lei Nº 14.905), criado no dia 6 de fevereiro deste ano, mantém a parceria com a UNIFESP a fim de envidar esforços na implantação do projeto. Une-se a esta parceria o ‘Futuridade’, que é um plano do governo do Estado de São Paulo para a pessoa idosa, coordenado pela Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social de São Paulo, que também busca assegurar melhor qualidade de vida para a população idosa paulista.

 

   


O AGE EXPLORER

 

age

 

A Blum, empresa austríaca de ferragens, lançou um simulador de idade: o AGE EXPLORER. Através de um macacão com pesos e dobras, é possível simular as limitações de uma pessoa idosa e assim adequar o projeto à sua comodidade e funcionalidade, auxiliando na compra da cozinha e a projetando para o futuro.

 

Este simulador de limitação de movimentos é inédito.  Com ele é possível sentir na pele as restrições que surgem com o avanço da idade. O traje conta, por exemplo, com dobras especiais que dificultam esticar os braços para cima. É capaz de simular a mobilidade decrescente das articulações através de bandagens que limitam a movimentação de cotovelos e joelhos, queixas comuns de pessoas da terceira idade.

 

Por exemplo, nos bolsos do macacão existem pesos colocados diretamente sobre os músculos dos braços e pernas, simulando a redução da força muscular de pessoas idosas ou doentes. Luvas especiais imitam a artrite. O macacão também tem óculos e capacetes que reproduzem as dificuldades próprias deste público.

 

E para que serve tudo isso? Ajuda no planejamento de uma cozinha, área da residência onde, segundo estudos, a família passa a maior parte do tempo. E como de acordo com especialistas no assunto, uma cozinha planejada pode durar, no mínimo, 20 anos o ideal é que ela acompanhe seu usuário até a terceira idade.

 

O simulador AGE EXPLORER é uma ferramenta importante no mercado moveleiro, uma vez que, foi desenvolvido para otimizar e aprimorar a confecção de móveis que ofereçam o que há de melhor em tecnologia, conforto e durabilidade aos clientes.

 

 

 

SUPLEMENTO PARA IDOSOS

 

suplemento

 

A 5ª edição da newsletter Suplemento, uma publicação da Bayer, tem como objetivo mostrar a importância das vitaminas e minerais na vida das pessoas. Nesta edição, o tema é idosos.

 

 

_________________

Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de www.idademaior.com.br"