GUIA ADDRESSES DA 3ª IDADE

 

guia

 

Foi lançado no Rio de Janeiro o Guia Addresses da 3ª Idade com informações de serviços, produtos e profissionais dirigidos para homens e mulheres a partir dos 60 anos. 

 

Organizado em sete capítulos – alimentação, diversão & ocupação, casa, cuidado pessoal, saúde, transporte e dicas, cada um é precedido por textos de profissionais considerados referências no estudo, tratamento e acompanhamento de idosos.

 

Entre os artigos têm o da arquiteta Cybele Ferreira Monteiro de Barros sobre o conceito da casa segura, como os cuidados no posicionamento dos móveis e a utilização das barras de apoio nos banheiros e do dentista José Ernesto Moro Loureiro  atestando que as dores de cabeça, nos ouvidos e na região cervical estão frequentemente associadas, ou até mesmo provocadas por problemas dentários.

 

A idéia do Guia Addresses da 3ª Idade foi das irmãs Denise Pinheiro e Luiza Pinheiro, após uma incansável busca por produtos e serviços quando o pai idoso ficou doente.  Todo  o material que elas reuniram – com a experiência de Denise na área da pesquisa e de Luiza na área da organização – lhes pareceu valioso demais para não ser compartilhado com todos que passam pelo empenho de recuperar a saúde e o bem estar de um ente querido.

 

“A idéia do Guia é incentivar uma melhoria na qualidade, quantidade e disponibilidade dos serviços dirigidos à 3ª Idade”, afirmam as autoras que pesquisaram, testaram e/ou receberam indicações e recomendações dos nomes, endereços, telefones e sites preciosos reunidos no livro.

 

O Guia Addresses da 3ª Idade não é só dirigido ao idoso, é também indicado para os familiares, profissionais e cuidadores que estão junto com ele nesta nova etapa da vida.

 

Como organizar documentos importantes, calcular a previdência privada e transformar tarefas trabalhosas que no momento seguinte já poupam tempo, esforço e preocupação, estão entre as dicas valiosas para o dia a dia do idoso.

 

A série facilitadores oferece até valiosas sugestões de presentes para a 3ª Idade, como a calçadeira de cabo longo, áudio livros ou a espuma triangular de encosto para a cama e para a elevação das pernas.    

 

O Guia Addresses da 3ª Idade está aberto à participação dos leitores através do endereço eletrônico guia.gati@gmail.com  

 

GUIA ADDRESSES DA 3ª IDADE  - Autoras: Denise Pinheiro e Luiza Pinheiro

ilustrações: Baíta Sicupira 350 p – R$ 40,00 Editora Addresses –  ( 21) 2512-6844 addresses@terra.com.br 

 

 

ESTÁ NA HORA DE VIAJAR!

 

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há mais de 21 milhões de pessoas com 60 anos ou mais no Brasil. No ano passado, 30% das viagens no Brasil foram feitas por pessoas idosas, sendo que, de acordo com a turismóloga especializada em gerontologia e professora de Turismo e Hotelaria da Universidade Nove de Julho (UNINOVE), Heloísa Maria Rodrigues de Souza, mais de 70% delas são mulheres de 65 a 75 anos de idade, casadas ou viúvas, com o segundo grau completo.

 

Ela explica que os idosos estão investindo muito mais neles próprios, pensando em lazer, em adquirir cultura e em fazer novas amizades, do que em acumular bens, como faziam as gerações anteriores. “Outro fator importante é que agora está entrando na terceira idade a primeira geração de mulheres que se aposentam após cumprirem o seu período de trabalho. Com isso, ao invés de o casal contar somente com a aposentadoria do homem, contam com as duas e podem viajar com maior frequência”, conta.

 

O meio de transporte mais utilizado nas viagens é o ônibus e a permanência no local escolhido é, em geral, de sete dias. “Não existe um roteiro específico para a terceira idade, só irá depender da saúde de cada pessoa. Um idoso saudável, habituado a praticar exercícios físicos, poderá fazer qualquer atividade que um jovem, mas é importante lembrar que a visita periódica ao médico geriatra para fazer avaliações é indispensável”, complementa.

 

Viajar na baixa estação pode ser interessante para as pessoas da terceira idade, afinal, os preços ficam mais baixos e o atendimento que recebem é melhor. “Os idosos são muito importantes para o turismo porque eles ocupam os hotéis fora do período de férias e feriados, gerando mais empregos nos diversos setores do turismo”, explica Heloísa.

 

Verificar se o hotel escolhido para a estada está adaptado para os idosos pode poupar dores de cabeça no futuro. Vaso sanitário mais alto, barras de segurança no box do banheiro, piso antiderrapante e rampas de acesso fazem toda a diferença.

 

“É preciso ter mão de obra adequada para atender esse segmento, não só nos hotéis, com profissionais especializados em recreação para a terceira idade, como também nos passeios que devem contar com guias preparados para lidar com este público”, finaliza a professora.

 

 

BOAS EXPECTATIVAS PARA ESTA TEMPORADA


O turismo interno no Brasil está em ascensão. É o que revela uma pesquisa do Ministério do Turismo. Por telefone, 2.514 pessoas de 11 capitais brasileiras foram entrevistas. Do total, 2.322 disseram que viajaram entre 2007 e 2009 ou pretendem viajar nos próximos meses. De acordo com o ministério, isso representa um acréscimo de 83% sobre o número de pessoas que declararam ter viajado entre 2005 e 2007, ano que foi realizado o primeiro levantamento.

 

As expectativas para a temporada de 2010 são boas. Para os turistas as férias podem significar uma época de muitos gastos, porém, quando se realiza um planejamento, os custos são diminuídos. Em média, um pacote de viagem para sete dias, que inclui hotel, passagem aérea e translado, custa R$ 2 mil por pessoa.

 

Segundo dados do Sistema Brasileiro de Hotéis Lazer e Turismo (SBTur), os destinos mais procurados nesta época são Florianópolis, Balneário Camboriú e Rio de Janeiro. Para garantir a estadia, uma dica é fazer a reserva com antecedência. Outras opções para curtir a praia, mas gastando menos, são Bombinhas e Porto Belo. De acordo com Cristina Alves, proprietária de uma das franquias SBTur em SC, os gastos de uma estadia nestes destinos são cerca de 30% menores.

 

Uma alternativa para quem quer viajar, que tem se popularizado no Brasil e conta com o apoio do Ministério do Turismo, é o turismo social, que possibilita o parcelamento de viagens em 12 vezes. “O custo benefício é alto. Por meio de uma parcela programada no orçamento o usuário do turismo social pode contar com um serviço personalizado e de qualidade. É garantia de descanso”, explica o presidente da Associação Brasileira de Cooperativas e Clubes de Turismo Social (Abrastur) e do SBTur, Paulo de Brito Freitas.

 

Fonte: Fábrica de Comunicação Autor: Mayara Rinaldi  e Revisão e Edição: Jaqueline Crestani

 

 

 

CAMINHOS DO BRASIL E DE SANTIAGO

REUNIDOS EM PROJETO INÉDITO

 

Um guia especial para peregrinos, aventureiros, turistas e “mochileiros”. Esta é a proposta do Site CaminoBrasil (www.caminobrasil.com.br), um espaço exclusivo desenvolvido com o objetivo de incentivar e auxiliar viajantes a caminharem por um dos lugares mais tradicionais e desafiantes em todo o mundo, o Caminho de Santiago de Compostela.

 

O projeto idealizado pelo aventureiro Eduardo Assumpção de Queiroz, que inclui palestras explicativas, oferece serviços únicos àqueles que desejam conhecer de forma detalhada o Caminho de Santiago e os Caminhos Brasileiros, como dicas importantes, entre elas, peculiaridades das principais rotas européias que atraem peregrinos do mundo inteiro, como a francesa (percorrida pela grande maioria), ou os diversos caminhos que partem de Portugal, o Aragonês e, por fim, o do Norte, que se entrelaça ao Primitivo.

 

Ainda segundo o idealizador do projeto, “as palestras são exclusivas e consideravelmente norteadoras, destinadas a profissionais da área de turismo, futuros peregrinos ou, simplesmente, para o enriquecimento cultural. Elas explicam os melhores períodos para realizar as caminhadas, com quem ir, onde ficar, onde comer e, inclusive, mostram as vantagens e desvantagens de se fazer o trajeto sozinho, com amigos, com a família, um acompanhante ou um grupo organizado”, conclui.    

 

Para mais informações sobre as viagens acesse: www.caminobrasil.com.br

 

 

CAMINHANDO PELO RECIFE

 

 Tênis, roupas leves, água e máquina fotográfica na mochila. Esses são os acessórios básicos para se conhecer o Recife. Isso porque a cidade proporciona roteiros turísticos que podem ser feitos a partir de caminhadas pelo Centro da cidade, onde estão concentradas a história e a cultura local. O projeto Roteiros do Recife, criado pela Secretaria de Turismo da Prefeitura do Recife, oferta seis opções de roteiros que podem ser feitos a pé.

 

Os passeios contemplam os principais bairros da cidade e mostram todo o desenvolvimento do Recife, desde o período colonial. Cada roteiro tem uma duração de duas horas de caminhada pelos bairros do Recife, São José, Santo Antônio e Boa Vista, passando por igrejas, pontes, praças e casarios históricos. Os passeios são comercializados por operadoras de turismo da cidade. O preço varia de acordo com o número de pessoas.

 

ROTEIROS

O turista pode começar a caminhada com o roteiro “Marco Zero, onde o Recife começa”. Esse passeio contempla as culturas remanescentes da cidade do século 16 e 19, com belíssimos exemplos da arquitetura civil, militar e religiosa. Na Praça do Marco Zero, por exemplo, pode ser visto o ponto do quilômetro zero das rodovias pernambucanas desde 1938. Além disso, pode-se contemplar o Parque das Esculturas do artista Francisco Brennand.

 

De lá, o passeio pode seguir para a rua do Bom Jesus, onde está a 1ª Sinagoga das Américas e o museu a céu a aberto, um conjunto de estruturas e objetos arqueológicos datados da dominação holandesa do século 17. Ainda pode passar pela Igreja Madre de Deus (1679), com a fachada construída a partir de arenito de arrecifes, e o Paço Alfândega, um edifício que foi um convento, depois a alfândega de Pernambuco e hoje abriga um centro de compras e lazer.

 

Para saber um pouco mais dos holandeses no Recife, existe o roteiro “Dos holandeses aos mascates”, que integra edificações militares com sistema de fortificação implantado no século 17. Um exemplo é o Forte das Cinco Pontas (1630), que também tem o Museu da Cidade. No passeio entre igrejas, o turista chega ao Mercado de São José, um dos mais antigos mercados públicos do Brasil, inaugurado em 1875. O edifício foi construído onde existiam, desde o século 17, os velhos telheiros da Ribeira do Peixe.

 

A caminhada pode seguir agora para o século 19, quando a cidade passou a se adaptar às mudanças desse período, com edificações grandiosas ligadas aos transportes ferroviários, à Justiça e à educação, como a Assembléia Legislativa (1975), a Estação Central Ferroviária (1890) e a Casa da Cultura (1850) – antiga casa de detenção que hoje é um centro comercial de artesanato e espaço cultura. O roteiro “O Recife do século 19” começa na rua da Aurora, às margens do rio Capibaribe. No percurso, o Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (Mamam) e o belo visual das pontes Princesa Isabel, Duarte Coelho, da Boa Vista e Velha.

 Mais informações: turismo@recife.pe.gov.br

 

 

GUIA DE CONVERSAÇÃO AUXILIA VIAJANTES

A SE COMUNICAR EM CHINÊS

 

Para quem pretende viajar para a China ou deseja aprender um pouco mais sobre o mandarim - língua oficial do país - O Guia de Conversação Ilustrado Chinês, lançado pela Publifolha, ajuda o viajante a se comunicar de forma eficiente  e prática

 
Em formato de bolso, o guia vem acompanhado de um CD de áudio de aproximadamente 60 minutos, que ensina a pronúncia correta do idioma com as vozes de falantes nativos.


O título apresenta um vocabulário organizado de acordo com situações cotidianas de uma viagem, como hospedagem, compras, passeios, restaurantes, turismo, transportes e emergências. Traz ainda termos básicos para o turista conhecer pessoas, se apresentar e falar sobre seus gostos.

As palavras mais freqüentes estão agrupadas por assunto e as frases básicas foram separadas em pequenos segmentos para ajudar o leitor a construir diversas sentenças.


Com páginas ricamente ilustradas, todo o vocabulário do guia é acompanhado de imagens que facilitam a memorização das palavras e das frases mais usadas. Possui ainda um guia de pronúncia em chinês, com palavras ou frases assinaladas em itálico e a sílaba tônica sublinhada. Assim, enquanto ouve o CD, o leitor pode pronunciar as frases como se estivesse lendo em português e aprender a pronúncia e o sotaque correto do idioma estudado.

Além disso, o guia apresenta a seção "Talvez você ouça", com quadros explicativos de perguntas comuns que poderão ser ouvidas durante a viagem. No final, há um cardápio com cerca de 300 termos de culinária e pratos típicos do país, além de um minidicionário chinês/português e português/chinês com mais de 2 mil palavras.



Guia de Conversação Ilustrado: Chinês (Livro + CD)

Autor: Dorling Kindersley  - Editora: Publifolha 192 páginas – R$ 29,90

 

 

 

_________________________

Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de www.idademaior.com.br"