O “DICIONÁRIO” DA SORTE

 

Trevo de quatro folhas, pé de coelho, ferradura, batidas na madeira... Você sabe quais objetos, talismãs e superstições atraem a boa sorte? A Editora Gente acaba de lançar “Você está com sorte”, indicado para leitores supersticiosos e curiosos. O livro é uma deliciosa fonte de histórias e informações sobre as possibilidades do destino na vida das pessoas. Dividido em sete capítulos, a obra classifica todos os objetos que geram boa sorte (talismãs, plantas, ambientes, etc.), sem esquecer dos símbolos clássicos do azar, como o gato preto e espelhos quebrados.

 

Os autores Deborah Aaranson e Kevin Kwan fizeram uma ampla pesquisa, incluindo até lugares exóticos. Um deles é o templo Karni Mata, na Índia, um santuário infestado por ratos. Lá, os animais são adorados como divindades religiosas. E onde está a sorte? Segundo a crença local, entre os milhares de roedores de pêlo escuro, há um exemplar muito especial: um único rato branco. Se você avistá-lo, fique feliz, pois seus desejos serão atendidos.

 

A Itália é citada como um lugar obrigatório para quem acredita em rituais. Em Veneza, a Ponte dos Suspiros garante uma sorte amorosa eterna ao casal que trocar beijos sob a construção durante um passeio de gôndola. Passando por Verona, deve-se visitar o número 27 da Via Cappello e tocar o seio direito da estátua de bronze de Julieta (sim, aquela que foi a paixão de Romeu). Por fim, em Roma, boas surpresas virão para quem atirar uma moeda, de costas, nas águas da Fonte de Trevi.

 

“Você está com sorte” também mostra como diferentes povos buscam um bom futuro. Na África, a babosa é colocada sobre o batente da porta para prevenir acidentes. Na China, acredita-se que o bambu atrai prosperidade, saúde e longevidade. Em muitos países, um espinheiro, quando plantado perto da casa, tem a capacidade de defendê-la contra a má sorte. Já o limoeiro na frente da residência traz bons fluidos, principalmente quando está carregado de frutos.

 

Na parte final do livro há uma série de dicas para conseguir a boa sorte. Os escritores pesquisaram a origem de cada uma das principais crendices e desenvolveram este curioso guia que levará o leitor a não mais esperar simplesmente pelo acaso e a dar aquele “empurrãozinho” na sua sorte.

 

Os escritores norte-americanos Deborah Aaronson e Kevin Kwan são pesquisadores e representantes da Society for Fortuitous Events [Sociedade de Eventos Casuais], organização norte-americana voltada para a pesquisa, classificação e documentação de tudo que se relacione à sorte. O principal objetivo deles é explicar a origem de cada superstição e disseminar todo e qualquer conhecimento a respeito de objetos e crendices populares que são famosos por atrair bons agouros.

 

Você está com sorte de Deborah Aaranson e Kevin Kwan, 256 páginas e R$ 27,00

 

 

             O QUE O ANO DO BÚFALO RESERVA PARA VOCÊ?

 

 Em seu horóscopo chinês para 2009, Neil Somerville apresenta tendências e sugestões para o ano regido pelo Búfalo. O autor indica, também, como aproveitar ao máximo as oportunidades que surgirão, com base na antiga arte da astrologia chinesa. Esta obra traz, ainda, as características gerais de cada signo, tabelas para localizar os ascendentes e os parceiros compatíveis.

 

O Ano do Bufalo é um período de grande apoio ao trabalho. Um forte senso de responsabilidade e a importância do esforço pessoal serão muito perceptíveis nesta época, ao passo que o mundo apresenta transformações marcantes que vão da política às artes. O empenho característico do búfalo se fará notar em situações que envolvam pessoas em posição de autoridade. O ano que se aproxima constitui um período de defesa das convicções: os ideais políticos serão discutidos e atitudes relevantes serão tomadas em prol da ordem e da segurança.

 

Um fator que merece atenção é a saúde: talvez o Ano do Búfalo seja marcado por epidemias e surtos de algumas doenças, mas os avanços na ciência médica serão notáveis, e o mundo verá surgir novos tratamentos e terapias mais eficientes. Em geral, este ano será favorável aos valores tradicionais. Para aqueles dispostos a dar tudo de si, o trabalho e a perseverança trarão resultados positivos.

 

Ele também oferece dicas úteis e conselhos encorajadores. Sabendo antecipadamente as tendências gerais para todos os meses, a pessoa terá como se adaptar melhor e beneficiar-se ao longo do novo ano chinês, que começa em 26 de janeiro de 2009. Nesta obra, o autor aponta as inclinações para os doze signos do Zodíaco oriental e explica como cada um pode ser influenciado pelos cinco elementos: Metal, Água, Madeira, Fogo e Terra.

 

Neil Somerville é um estudioso da antiga arte da astrologia chinesa e acredita que muito pode ser aprendido com a sabedoria do Oriente. Além de ter sido pesquisador na rede de televisão BBC e colaborador de revistas mensais, ele é autor dos livros Os signos chineses do amor, Chinese Success Signs e The Ultimate Book of Answers.

 

Seu horóscopo chinês para 2009  (Your Chinese Horoscope 2009) de Neil Somerville , Editora Nova Era tem  288 páginas e custa R$ 24,90

 


  ACORDO ORTOGRÁFICO ENTRA EM VIGOR

 

Mesmo quem não trabalha diretamente com a redação de textos tem que prestar atenção à língua portuguesa. Afinal, todos já precisaram alguma vez escrever e-mails, fazer relatórios ou, até mesmo, deixar recados para o chefe. E imagine que feio seria um erro de grafia! Por isso, o acordo ortográfico que ganhou o noticiário nos últimos dias se faz tão importante.

Ele passou a valer desde o primeiro dia de 2009 com o objetivo de integrar os países que falam a língua portuguesa: Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Timor Leste, Brasil e Portugal.

 

Desta forma, 220 milhões de pessoas ao redor do mundo que falam o idioma  poderão se compreender melhor.

 

Mas a mudança é somente na forma de escrever. Quanto à fala, mesmo com mudanças na acentuação - lingüiça, por exemplo, perde o trema -, a pronúncia  continua igual.


ADOÇÃO
O Congresso brasileiro aprovou o acordo em 2001, depois de cerca de dez anos de discussões. O último país a aprová-lo foi São Tomé e Príncipe, em dezembro de 2006. A previsão é de que, até 2011, todos os livros brasileiros estejam adaptados às novas regras.

O governo, aliás, ainda deve demorar um pouco para adotar as novas regras, a exemplo da Casa Civil, que começará a atualizar o capítulo sobre ortografia de seu Manual de Redação somente neste mês. Quando terminado o trabalho é que textos oficiais, como os publicados no DOU (Diário Oficial da União), passarão a ter as novas regras, segundo informou a Agência Brasil.


Em relação à população em geral, o que se espera é que a adaptação seja feita aos poucos, à medida que os brasileiros usem as novas regras. Especialistas comentam que a grande dificuldade será a destruição de uma memória visual, uma vez que todos, desde pequenos, aprenderam e se acostumaram a escrever de uma forma.


Quanto aos computadores, haverá desatualização dos corretores ortográficos até que se faça um pacote com as novas regras. Por isso, para quem já vai adotá-las, o que é indicado por especialistas, a atenção deve ser  redobrada!


NOVAS REGRAS

Os profissionais brasileiros também devem estar atentos às mudanças, uma vez que estão em contato direto com a língua diariamente. Para ajudar, confira abaixo as principais regras:

 

O alfabeto passa a ter 26 letras, com a inclusão de k, w e y. Porém, quilo não passa a ser grafado com k. Na opinião da linguista Stella Bortoni, a mudança não seria produtiva ao português;

 

O fim do trema, presente hoje em palavras como lingüiça, tranqüilo e bilíngüe. Palavras estrangeiras continuarão com trema;

Nas palavras com duplo "o" ou "e", o acento circunflexo deixa de existir, a exemplo de vôo e lêem;

 

Saem os acentos circunflexos usados para diferenciar palavras como pára (verbo) e para (preposição), com exceção dos verbos pôr e pode, pois seria difícil identificar o tempo da frase. Ex.: na frase "o país pode alcançar um grande grau de progresso" não seria possível saber se estaria no presente ou passado;

 

Palavras como assembléia e idéia perdem o agudo por serem ditongos abertos.

 

Novas regras para o emprego do hífen. Por exemplo: nas palavras compostas, cujo segundo termo começa com "s" ou "r", o hífen deixa de existir e a primeira letra da segunda palavra é duplicada, como contra-regra, que passa a ser grafada como contrarregra. Por outro lado, quando a primeira palavra terminar com r, mantém-se o hífen se a segunda começar com a mesma letra. Ex: hiper-relações.

 

Flávia Furlan Nunes, por InfoMoney

 

_________________________

Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de www.idademaior.com.br"