A 29ª BIENAL DE SÃO PAULO, QUE ACONTECERÁ ENTRE SETEMBRO E DEZEMBRO DESTE ANO, JÁ COMEÇOU.

 

Imagens do processo de criação da nova identidade visual

da Fundação Bienal de SP

  

A Bienal deste ano reunirá obras de cerca de 120 artistas de diversas partes do mundo, sem considerar a origem territorial do artista como valor de seleção.

 

A Exposição está ancorada na ideia de que é impossível separar arte e política. Em primeiro lugar, por se viver em um mundo de conflitos diversos onde paradigmas de sociabilidade são questionados a todo momento e no qual a arte se afirma como meio privilegiado de apreensão e de simultânea reinvenção da realidade. Em segundo, por ter sido tão extenso esse movimento de aproximação entre arte e política nas duas últimas décadas que se faz necessário novamente destacar a singularidade da primeira em relação à segunda, por vezes confundidas ao ponto de indistinção.

 

Nesse sentido, o título dado à exposição– “Há sempre um copo de mar para um homem navegar” – sintetiza o que se busca com a próxima edição da Bienal de São Paulo: afirmar que a dimensão utópica da arte está contida nela mesma e não no que está fora ou além dela. Por ser um espaço de reverberação desse compromisso em muitas de suas formas, a mostra colocará seus visitantes em contato com maneiras de pensar e habitar o mundo para além dos consensos que o organizam e que o tornam ainda um lugar pequeno, onde nem tudo ou todos cabem. Vai pôr seus visitantes em contato com a política da arte.

 

A 29ª Bienal de São Paulo pretende ser, assim, simultaneamente uma celebração do fazer artístico e uma afirmação de sua responsabilidade perante a vida; ser momento de desconcerto dos sentidos e, ao mesmo tempo, de geração de conhecimento que não se encontra em outra parte. Pretende, por tudo isso, envolver o público na experiência sensível que a trama das obras expostas promove e também na capacidade dessas obras refletirem criticamente o mundo em que estão inscritas.

 

A 29ª Bienal de São Paulo criou uma identidade visual que será aplicada em todas as suas peças de comunicação e registro da mostra, de papelaria a catálogos, do portal à sinalização interna. Criada pela recém-instituída área de design da Fundação Bienal de São Paulo, sob a coordenação de André Stolarski, a identidade parte da construção de uma bússola caseira, composta de um copo plástico com um pouco de água, uma rolha, um alfinete e um imã.  O objetivo é de orientação geográfica latente nos objetos simples e cotidianos que compõem a bússola.

 

bussola

 

Combinando diversas imagens do objeto-tema – a bússola caseira – em fundos de cores vibrantes, ela estabelece uma identidade e diversidade implícita no universo da arte e no panorama de iniciativas que fazem parte da próxima Bienal.

 

 

OBRAS INÉDITAS NO MAN – RJ

 

 

O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM-RJ) expõe obras inéditas dos vencedores da  terceira edição do Prêmio CNI SESI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas. Os artistas Armando Queiroz,  Eduardo Berliner, Henrique Oliveira, Rosana Ricalde e Yuri Firmeza realizaram seus trabalhos ao longo de 2009.

Os expositores criaram as obras com o acompanhamento dos críticos de arte Luis Camillo Osório (Ricalde), Ricardo Resende (Oliveira), Alcino Leite Neto (Berliner) e Paulo Herkenhoff (Queiroz e Firmeza).

Os cinco artistas premiados enfrentaram dois processos de seleção. No primeiro, um júri formado por Orlando Manesquy (artista plástico, curador e professor na Universidade Federal do Pará), Gaudêncio Fidelis (curador independente, RS) e Nivalda Assunção de Araújo (curadora e professora da Universidade de Brasília, UnB) avaliou as 353 inscrições e selecionou 30 projetos.

No segundo processo, conduzido pelo júri integrado por Aracy Amaral (historiadora, crítica de arte e curadora – SP), Paulo Herkenhoff (curador e crítico de arte – RJ) e Eduardo Frota (artista plástico – CE) foram escolhidos os cinco vencedores.

Além de conceder bolsas de trabalho no valor total de R$ 150 mil (R$ 30 mil para cada um), com acompanhamento crítico, o Prêmio CNI SESI Marcantonio Vilaça, patrocinado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), Serviço Social da Indústria (SESI) e Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (FIRJAN), edita catálogos e organiza a mostra coletiva que percorre capitais das cinco regiões brasileiras.

A exposição passará por cinco outras capitais – São Paulo, Goiânia, Salvador, Rio Branco e Florianópolis.

SERVIÇO 

Exposição dos artistas contemplados com o 3º  Prêmio CNI SESI Marcantonio Vilaça - Armando Queiroz,  Eduardo Berliner, Henrique Oliveira,  Rosana Ricalde e Yuri Firmeza, no MAM-RJ

MAM – Museu de Arte Moderna-RJ 

Av. Infante Dom Henrique 85 -  Parque do Flamengo
20021-140 - Rio de Janeiro RJ

Fones 55 (21) 2240 4944 e 55 (21) 2240 4899   

Horários: de terça a sexta, das 12h às 19h, e sábado, domingo e feriados, das 12h às 19hs. A bilheteria fecha 30 minutos antes do término do horário de visitação.

Ingresso: R$8,00
Aos domingos, ingresso família (para até 5 pessoas): R$8,00.

Estudantes maiores de 12 anos : R$4,00
Crianças até 12 anos amigos do MAM - grátis

Maiores de 60 anos: R$4,00

A exposição vai até 25 de abril de 2010.


 

ANTONIO MACHADO  EM AQUARELAS – ÓLEOS – ACRÍLICOS

 

 

A diversidade estilística de Antônio Machado manifesta um espírito de pesquisa e uma necessidade de utilizar diferentes meios, tendo como unidade o tema mar, ora tratado com romantismo impressionista nas aquarelas, ora tratado de forma expressionista-impressionista nos óleos e, por fim, beirando a abstração nos acrílicos.

 

Quanto ao tema, é utilizado como pretexto para arranjos de cor e distribuição de massas em composições mais clássicas ou modernas que servem de palco para encenação do drama da arte inconsciente.

 

SERVIÇO

"ANTONIO MACHADO” , AQUARELAS – ÓLEOS – ACRÍLICOS

Visitação: de 04 até 30 de março (segunda-feira, das 13 às 17horas; terça a sexta-feira, das 10 às 17h; sábados e domingos e feriados, das 10 às 15horas)

Encontro com o artista: 24 de março, às 19h.

Local: Centro Cultural Paschoal Carlos Magno

Rua Lopes Trovão, s/n°, Icaraí

Tel.: 2610 – 5748

 

 

RARA EXPOSIÇÃO DE RELÍQUIAS DO BUDA

CHEGA AO BRASIL.

 

buda

 

A coleção contém numerosas relíquias do Buda Sakiamuni e de seus mais reputados discípulos: Maudgalyayana, Ananda e Sariputra.; além das do Buda Kasyapa, que precedeu Sakiamuni, e de vários outros santos e mestres espirituais das tradições chinesa, indiana e tibetana também fazem parte da exposição.

 

Quando os corpos de mestres espirituais são cremados, entre suas cinzas surgem cristais parecidos com pérolas. Estes objetos são especiais porque guardam a essência das qualidades do mestre. Até hoje, as relíquias sagradas foram apresentadas em mais de cem cidades na Ásia, Europa, Estados Unidos e Canadá.

 

Concluída a volta ao mundo, as relíquias serão guardadas em um templo no coração de uma magnífica estátua de 152 metros do Buda Maitreia, que está sendo construída em Kushinagar, na Índia.

 

Esta exposição faz parte do projeto Maitreia, que quer dizer nome do próximo Buda que virá e significa "bondade amorosa". O objetivo do Projeto Maitreia é levar a paz aos indivíduos, às famílias, às comunidades e, conseqüentemente, ao mundo, através da prática de bondade amorosa.

 

A estátua de bronze, que é a parte mais visível do Projeto Maitreia, foi concebida para durar por mais de mil anos. Budistas e não-budistas relatam que se sentem inspirados, curados e em paz, simplesmente por estarem em sua presença. Cada visitante acessa o aspecto divino em si mesmo.

 

CIDADES DA TURNÊ

 

A exibição vai passar pelas cidades de Viamão (RS) 12 a 14 de março -, Florianópolis 19 a 21 de março, Curitiba - 26 a 28 de março, São Paulo - 07 a 11 de abril, Rio de Janeiro, Vitória- 16 a 18 de abril, Salvador - 23 a 25 de abril -, João Pessoa e Recife - 07 a 09 de maio.

 

Para maiores informações, visite o Centro de Estudos Budistas Bodisatva (CEBB) e Shiwa Lha – Centro de Estudo do Budismo Tibetan

 

 

“AS MENINAS”, ESTREIA

NO CULTURA ARTÍSTICA – ITAIM

 

 

 

 

A celebração à vida é tema do segundo trabalho de dramaturgia da atriz Maitê Proença, em parceria com o autor Luiz Carlos Góes. “As Meninas”, sob direção de Amir Haddad estreou em São Paulo, no dia 12 de março, no Cultura Artística – Itaim. O espetáculo cumpre temporada até 02 de maio, com sessões de sexta a domingo.

 

A montagem retrata com sutileza o universo feminino, em meio a uma série de dúvidas e observações típicas da infância. "São quatro gerações de mulheres que expõem toda a complexidade do universo feminino e refletem sobre amor e desamor depois de um episódio de violência", resume o diretor Amir Haddad.

SERVIÇO – “AS MENINAS”

Elenco: Clarisse Derzié Luz, Sara Antunes, Analu Prestes, Patrícia Pinho, Vanessa Gerbelli

CULTURA ARTÍSTICA – ITAIM

Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 1830 – Itaim Bibi (São Paulo - SP)

Temporada até:      02 de maio (Sextas, 21h30; Sábados, 21h e Domingos, 18h)

Horário da Bilheteria:Terça a Domingo, das 15h até o início do espetáculo / Telefone: 3078-7427 (Dom, 15h-18h)

Preços: Sextas e Domingos R$60 e Sábados R$70.

 

                

 

_________________________

Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de www.idademaior.com.br"