vidaememoria
 

 

CASOS DE ANOREXIA ENTRE IDOSOS

QUASE TRIPLICAM NA EUROPA

 

aneroxia-idosos

Um estudo apresentado no 9º Congresso Nacional de Organizações de Idosos da Espanha diz que o índice de mulheres europeias com mais de 60 anos com anorexia passou de 1,8% a 5% nos últimos 10 anos.

 

O aumento é similar ao da população adolescente. Os casos detectados de jovens entre 13 e 18 anos com anorexia e bulimia subiram de 2,4% para 7% na década.

 

– São transtornos próprios da civilização que vivemos e os idosos estão expostos às mesmas situações que outros grupos com bombardeios de publicidade e pressão social –, disse a diretora da Unidade de Transtornos Alimentares do Hospital de Alicante, Taciana Valderde, uma das autoras do estudo. Frustrações produzem depressões que acarretam perda de apetite

 

– Cada vez há mais pessoas idosas socialmente ativas. A expectativa de vida aumentou e há uma melhora significativa da qualidade de vida, mas também vemos uma grande dificuldade de aceitação de certas limitações e da deterioração da aparência, o que dá origem a estes graves desajustes emocionais.

 

Os especialistas espanhóis indicam várias razões para o problema entre idosos, entre elas a pressão social por se manter eternamente jovem dentro dos padrões de beleza impostos pela moda, a a solidão, o estresse e a tendência a sofrer doenças degenerativas.

 

Segundo o estudo distribuído a cinco mil especialistas no Congresso que  aconteceu em Sevilha, 70% das mulheres europeias com mais de 65 anos se sentem descontentes com seu aspecto físico e estariam dispostas a fazer sacrifícios para melhorar. Este caminho pela melhoria física é entendido como uma tentativa de se voltar atrás no tempo e recuperar a beleza de décadas passada ou permanecer eternamente jovem.

 

Fora isso, o número de casos de transtornos alimentares entre as mulheres é maior do que nos homens, mas a diferença está diminuindo principalmente pelo aumento da incidência de casos entre homens gays.

 

Quando vivem sozinhos, segundo os especialistas, a vulnerabilidade é maior. O falecimento do cônjuge, a distância dos filhos e o início dos processos degenerativos podem facilitar o surgimento de transtornos alimentares.

 

QUANDO O IDOSO NÃO COME

O transtorno alimentar dos mais velhos é mais difícil do que o dos jovens por causa das doenças associadas ao envelhecimento.

 

O Presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia - PE, Alexandre Mattos, explicou que a anorexia é uma queixa muito comum entre idosos e deve ser sempre valorizada pelo médico, pois pode representar sintomas de doenças mais simples e não significantes até doenças mais graves. "Existe uma anorexia associada ao próprio processo do envelhecimento, que é comum após os 70 anos e multifatorial, mas faz parte do envelhecimento normal. Nesta idade, também é comum uma perda de peso involuntária" contou.


Mattos insiste que a situação deve ser valorizada porque anorexia na terceira idade é diagnosticada por exclusão. "Só podemos considerar que aquela anorexia é primária do envelhecimento depois que excluirmos as muitas doenças que podem estar sendo a causa da anorexia naquele idoso", contou.

 

Foi dessa forma que o aposentado José Pereira Lira, 87, descobriu que estava com a doença. Em sua primeira visita ao consultório do geriatra Alexandre Mattos, contou que tinha insônia, dores no corpo e falta de apetite.

 

Após examinar o aposentado, o médico detectou o problema e sua possível causa: a depressão. Depois da morte de sua esposa, a disposição para se ocupar durante o dia diminuiu, assim como a vontade de comer.

 

O médico ressaltou ainda que a depressão entre idosos pode apresentar-se de forma atípica, com poucos sintomas da esfera psíquica e muitos somáticos, como anorexia e dores. Outra causa comum de anorexia na terceira idade é decorrente de demências, como Alzheimer.

 

- "É um grande erro prescrever polivitamínicos e estimuladores de apetites para idosos que se queixam de anorexia. Estes medicamentos não têm validação científica e o médico que os prescreve pode incorrer no erro de não pesquisar a real causa da anorexia", alertou o geriatra.

 

FONTE: http://www.correiodobrasil.com.br Por Redação, com BBC e

http://www.diariodepernambuco.com.br/2009/04/

 

 

CAQUEXIA: DESNUTRIÇÃO GRAVE

 

Freqüentemente o idoso, deixa de se alimentar e as causas podem ser inúmeras. Elas estão relacionadas às suas condições social, psicológica e médica, entre elas, estado de depressão grave que pode acometer muitos doentes com insuficiência cardíaca, renal, pulmonar, hepática e outras.

   

Outros fatores podem ter papel na anorexia: dietas pouco saborosas devido, principalmente, ao baixo conteúdo de sódio; até mesmo algumas drogas para tratamentos de algumas doenças podem provocar náuseas e vômitos e daí, levar à anorexia.

 

Alguns inibidores da enzima conversora da angiotensina, particularmente o captopril, podem também alterar o paladar e exacerbar a anorexia, assim como, o uso crônico de diuréticos.

 

O resultado pode levar a um quadro de desnutrição grave, conhecido como caquexia, cujo tratamento é difícil e o sucesso pequeno.

 

A caquexia se apresenta com extrema redução do peso corporal, caracterizada pela redução tanto da musculatura esquelética como da massa de tecido gorduroso e da massa óssea. O que leva a menor massa óssea predispondo os doentes a osteoporose e a eventuais fraturas patológicas, entre outros males.

 

FONTE:http://www.saudegeriatrica.com.br/medicina/saude/geriatria/gerontologia

 

 

APENAS 22% DOS PACIENTES INTERNADOS

NOS HOSPITAIS SE ALIMENTAM CORRETAMENTE

 

78% dos entrevistados do estado do Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, totalizando 104 entrevistados, afirmaram que não consumem as refeições nos hospitais por motivos como não ter gostado do sabor da comida oferecida, perder horário da refeição por causa da realização de exames e falta de apetite.

 

Este é o resultado parcial da pesquisa da primeira edição do estudo Nutridia, coordenado pela Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral (SBNPE), feito em agosto em 25 hospitais públicos e privados de 10 estados brasileiros mais Distrito Federal. O resultado final, com todos os dados nacionais e internacionais, será apresentado no 18º Congresso Brasileiro de Nutrição Parenteral e Enteral, que acontecerá entre 29 de novembro e 02 de dezembro em Natal – RN.

 

O projeto, que é realizado anualmente e hoje conta com a participação de 27 países, tem como objetivo conscientizar os profissionais da saúde sobre a importância da alimentação adequada para o processo de recuperação do paciente e alertar sobre o alto número de desnutrição hospitalar, um dos principais fatores pelo aumento no tempo de internação, complicações e mortalidade.

 

Metade dos pacientes não tinham em seu prontuário médico a avaliação quanto ao risco nutricional, afirmou José Spolidoro, presidente da SBNPE. Entre os pacientes tinham essa informação, 50% se apresentavam em risco nutricional, ou seja, com risco aumentado de mortalidade em decorrência do estado nutricional crítico. Em relação à perda de peso, 65% dos entrevistados referiram ter perdido peso nos últimos três meses, com média de 7,9 Kg por paciente.

 

CONCLUSÕES

Diante dos resultados das edições anteriores do Nutrition Day, já se pode concluir que: em função disto aumenta o tempo de internação hospitalar em 50%, no caso de desenvolvimento de desnutrição associada à doença de base. Isto significa, em média, seis dias a mais de hospitalização e um aumento de quatro vezes no risco de mortalidade destes pacientes, em relação aos que não apresentam desnutrição durante sua internação hospitalar.

 

NUTRIDIA:

O conceito do NutriDia é que, em um único dia, tanto o paciente como o hospital sejam avaliados por meio de questionários. O paciente deve informar seu histórico nutricional e como está sua ingestão naquele dia. Da instituição, as informações são a respeito de como são manuseados os objetivos e cuidados nutricionais, assim como avaliar como foi a evolução daquele paciente 30 dias após a participação no estudo. Desta forma, não apenas se identifica o paciente desnutrido, mas também se tenta saber por que ele se desnutriu dentro do hospital, e o que acontecerá com este paciente desnutrido após o período de 30 dias.

 

O NutriDia utilizou como método os mesmos questionários utilizados na Europa, cuja característica principal é de que não necessitam de conhecimento especializado para sua aplicação.

 

Maiores informações : www.sbnpe.com.br – site da Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral

 

_________________________

Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de www.idademaior.com.br"