vidaememoria
 

 

ARROZ: IGUARIA DO ORIENTE.

 

arroz

 

 

O arroz freqüenta a mesa de dois terços da população mundial, sendo o alimento mais cultivado e consumido em vários países. Entretanto, a data e o local exatos de sua origem são imprecisos.

 

Os  historiadores acreditam que ele seja originário do sul da Ásia Oriental, região que inclui a China, a Índia e a Indochina. Evidências arqueológicas na China e na Índia dão conta da existência do arroz há cerca de 7000 anos.

 

Outros estudiosos dizem que foi o imperador chinês Shen nong, homem de grande sabedoria e fino entendedor da culinária, que em 2800 a.C. começou o cultivo do arroz. Conhecedor do valor deste cereal, assumia o privilégio de semeá-lo em concorrida cerimônia de seu Império, em que os príncipes de sua família, subalternamente, semeavam outras classes de grãos.

 

Justamente por não haver indícios sobre sua origem, os pesquisadores passaram a buscar respostas em nomes que pudessem dar pistas da planta: os latinos denominavam o arroz como Oryza, e os antigos gregos chamavam de Oruzon e Oruza, em certas línguas era identificado por nomes que muito se aproximam dessas palavras, como por exemplo, Oriz.

 

Para os árabes, as nomenclaturas eram diversas: eruz, uruz, rouz ou arous, de onde, sem dúvida, derivou o nome arroz dos portugueses e espanhóis. A culinária árabe incorporou esta iguaria nas receitas do seu dia-a-dia.

 

Na Europa, a introdução do arroz se deu através dos mouros no século VIII, na Península Ibérica. A partir daí, difundiu-se nos demais países. Sete séculos depois, no final do Século XV, a cultura do arroz é introduzida, que a cultura mais se difundiu nas regiões da Lombardia, Veneto e Piemonte. Os italianos inventaram os risotos, que utilizam o arroz arbório, um tipo de cereal mais graúdo e de melhor qualidade.

  

No Brasll, o arroz foi trazido pelos portugueses e ofertado aos índios. Ao longo do tempo, o cereal uniu-se ao feijão e é considerado o prato principal na mesa dos brasileiros. De lá para cá, versões de delícias com o arroz foram criadas como o arroz de carreteiro, bolinho de arroz, arroz com lingüiça, entre outros.

 

 

BENEFÍCIOS DO ARROZ INTEGRAL

Doutor Maximo Asinelli

 

arroz-integralarroz-integralarroz-integral

 

O arroz integral só apresenta vantagens em relação ao arroz branco. Enquanto o integral tem grãos intactos, preservando assim à película e o gérmen, onde se encontra a maior concentração de nutrientes; o arroz branco polido não tem a película, por conseqüência tem menor valor nutricional.


"Eu indico o arroz integral na maioria das dietas pelo fato de ter uma maior concentração de nutrientes. A película tem uma maior concentração de fibras insolúveis que estimulam o sistema gastrointestinal e diminuem a fome. Além disso, contém grande quantidade de vitamina B1 que é praticamente ausente no arroz branco", explica o médico Maximo Asinelli.


O consumo regular do arroz integral traz muitos benefícios. Diminui os problemas intestinais como a constipação; melhora o metabolismo da glicose nos diabéticos; protege o sistema nervoso, devido à vitamina B1; melhora o metabolismo da contração muscular, sendo excelente para todos, e especialmente para atletas. É isento de glúten, portanto celíacos podem consumir.


Aumentar a quantidade de fibras é uma boa dica para quem deseja emagrecer, pois as fibras demoram mais tempo para serem digeridas, assim prolongam a sensação de saciedade. Mas, ao se aumentar a quantidade de fibras, deve-se aumentar também a quantidade de água.
Porém, é importante ressaltar que a quantidade da porção do arroz integral deve ser a mesma. Apesar de ter um valor calórico um pouco maior, tem o índice glicêmico menor. Portanto, não há alteração calórica significativa na dieta. Por ser um carboidrato, desse modo um alimento energético, deve ser consumido em porções que condizem com a necessidade de cada pessoa.


Doutor Maximo Asinelli (CRM-Pr 13037) é Médico Nutrólogo

 


A DIETA DO ARROZ

 

dieta-arroz

 

É possível cuidar da saúde, evitar doenças e ainda emagrecer comendo arroz? A resposta é sim. O arroz é um alimento completo, que faz parte da dieta dos japoneses há milhares de anos, contribuindo para que este povo seja um dos que mais vive - com saúde - no mundo.

 

A Dieta do Arroz é o resultado de extensa pesquisa e 30 anos de experiência da terapeuta ortomolecular Heloisa Bernardes, pioneira no Brasil em cursos de extensão universitária em Terapia Ortomolecular, Oligoterapia, Bioquímica e Cosmetologia.

 

Em linguagem simples, leve e bem-humorada, o livro traz informações e dicas de como utilizar o arroz para alcançar o equilíbrio do organismo e auxiliar na prevenção de doenças. Com o preparo de refeições saudáveis e equilibradas em uma dieta à base de arroz, doenças como Mal de Parkinson, esclerose múltipla, insônia e até mesmo o câncer podem ser evitadas.

 

No livro, você aprende a tirar o máximo proveito de todas vitaminas contidas no cereal, a preparar máscaras caseiras para o rosto visando o rejuvenescimento da pele e elaborar dietas especiais que auxiliam no emagrecimento. Um destaque são as deliciosas receitas dos mais conceituados chefs de cozinha do mundo, que usam esse cereal no preparo de seus pratos. São pizzas, suflês, lasanhas, risotos, quiches, nhoques, bolachas, sobremesas, bolos e outros pratos, além de receitas vegetarianas.

 

A Dieta do Arroz de Heloisa Bernardes tem 146 páginas e custa R$ 39,00

 

                    

LANÇADO MACARRÃO DE ARROZ

 

macarrao-de-arroz

 

A Urbano, uma das maiores beneficiadoras de arroz do Brasil, trouxe para o mercado brasileiro a Massa Alimentícia de Arroz, mantendo os mesmo benefícios nutricionais: fonte de carboidratos que se diferenciam pelo teor de amido resistente, o que o torna próprio tanto para alimentação de atletas, quanto para dietas de controle de peso, diabetes e hipertrigliceridemia, entre outros.

 

Para produzir a Massa Alimentícia de Arroz Urbano a empresa foi buscar na Suíça a mais avançada tecnologia de produção de massa de arroz, sendo a Urbano licenciada exclusiva no Brasil deste processo de industrialização.

  

A Massa Alimentícia de Arroz Urbano também apresenta outro importante diferencial em relação à massa produzida com trigo: não contém glúten, tornando-se uma deliciosa opção para os celíacos. Além disso, o macarrão de arroz na versão sem ovos pode ser consumido por fenilcetonúricos, portadores de uma deficiência genética, hereditária, caracterizada pela falta de uma enzima que impede o organismo de processar e eliminar o aminoácido fenilalanina.

 

Pode ser encontrado nos principais supermercados brasileiros em duas versões:

 

Massa Alimentícia de Arroz Urbano com Ovos nos formatos parafuso e pena em embalagens com 500 g;

 

Massa Alimentícia de Arroz Urbano Premium nos formatos Fusilli e Penne em caixas com 500 gramas. O diferencial da versão premium é ser enriquecida com vitamina A, que age como antioxidante, combatendo os radicais livres, auxiliando na prevenção do envelhecimento

 

_________________________

Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de www.idademaior.com.br"