vidaememoria
 

   

tt

COMEMOS SAL, ALÉM DO LIMITE SAUDÁVEL

 

Certos alimentos industrializados, como sopas instantâneas, pizzas prontas congeladas, salgadinhos, temperos industrializados e embutidos, como salame, além do excesso de sal na comida, contém excesso de sódio, o que não faz nada bem para a saúde. A durabilidade destes produtos, a praticidade no consumo e o fácil armazenamento não atestam que estes produtos sejam saudáveis.

 

Ao contrário. Uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP) revela que o brasileiro consome cerca de 13 gramas de sal diariamente. Essa quantidade está muito acima do indicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que é de no máximo 6 gramas para o adulto, ou uma colher de chá.


Para adequar o consumo ao longo da vida, o ideal é reduzir o sódio já na infância. O sal em excesso retém líquido, afeta os rins e leva ao aumento da pressão arterial e, consequentemente, à hipertensão. Este mal é responsável por grande parte dos casos de infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral. O sedentarismo, o estresse, o tabagismo, o envelhecimento, o excesso de peso e fatores genéticos também contribuem para estas doenças.


PREVENÇÃO
O ideal é manter uma dieta saudável, rica em frutas e vegetais e pobre em gorduras. Manter o saleiro à mesa também pode ser um dos vilões, pois instiga a vontade de adicionar o tempero à comida.

 
”O sal por si só não causa doença, mas agrava principalmente as doenças cardiovasculares e renais, devido ao aumento da pressão arterial e da retenção de água causados por seu consumo. A recomendação é uma dieta com algumas restrições alimentares para uma vida mais saudável”, afirma o dr. José Augusto Rabello, presidente da regional Sorocaba da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo.


Muitos dos alimentos industrializados, mesmo que de forma camuflada, contém sódio, inclusive os doces. Por essa razão, é importante verificar nas embalagens dos produtos sua composição.

 

O dr. José Augusto Rabello alerta também sobre os adoçantes dietéticos, que também trazem em sua composição sódio, devendo ser usados sem exageros pelas pessoas que tem indicação de restrição salina.



         CONSUMO EXCESSIVO DE SAL: COMO EVITÁ-LO?


· Nunca ter um saleiro à mesa

· Não acrescentar sal aos alimentos já prontos.

· Preferir alimentos frescos em vez dos processados.

· Evitar alimentos embutidos (lingüiça, salsicha, mortadela, presunto, salame).

· Evitar conservas e enlatados como: picles, azeitona, aspargo, patês e palmito.

· Comer queijo branco ou ricota sem sal é mais saudável do que outros tipos de queijo.


· Evitar salgadinhos para aperitivo com adição de sal, amendoim, batata frita, e outros.


· Evitar alimentos que contenham o aditivo glutamato monossódico, utilizado para realçar o sabor dos alimentos.


· Substitutos do sal ou sal diet podem ser indicados para algumas pessoas, mas só devem ser consumidos sob orientação médica ou de nutricionista.

· Além de moderação no uso no sal no preparo dos alimentos, é preciso redobrar os cuidados com os alimentos industrializados. Até mesmo doces, balas, bolos e biscoitos incluem esse tempero. Confira sempre a composição na embalagem e prefira alimentos e temperos naturais.

ttt

 

 

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL MANTÉM A VITALIDADE DA PELE

 

Para manter uma pele saudável e bonita, são necessários alguns cuidados básicos, como o uso de cremes e tratamentos estéticos. No entanto, aliar a esses tratamentos uma alimentação equilibrada contribui, e muito, para alcançar a vitalidade e o brilho da pele. Quem garante é a médica nutróloga Maria Socorro Giorelli, diretora da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).

 

“Beber 2 a 3 litros de água todos os dias e manter uma dieta balanceada usando todos os grupos alimentares é meio caminho para ter uma pele bonita”, explica a especialista. Ela destaca que a escolha de alimentos ricos em carboidratos complexos, proteínas, vitaminas, fibras e gorduras monossaturadas e polissaturadas ajudam na manutenção dos cuidados.

 

“Podemos encontrar esses nutrientes nas frutas, nos grãos, nos peixes, nas castanhas, nos legumes e nas verduras”, aponta a médica nutróloga.  Incluir em média quatro porções de frutas e três de vegetais diariamente na dieta também ajuda a manter a pele mais saudável.

 

GORDURA E AÇÚCAR: INIMIGOS DA PELE SAUDÁVEL

Por outro lado, alguns alimentos devem ser evitados, como é o caso de doces, refrigerantes, massas e gordura trans, que contribuem para o aumento da oleosidade e o surgimento de cravos e acnes. “Também é preciso restringir comidas gordurosas, chocolates e doces, pois a gordura e o açúcar deixam a pele oleosa”, adverte a médica nutróloga. Ela alerta que esses problemas podem ter diversas causas, mas que, com boa alimentação associada a um estilo de vida saudável, isso pode ser amenizado.

 

Ainda assim, é possível manter a pele saudável e jovem por mais tempo. “É fundamental equilibrar a alimentação, fazer exercícios físicos ao ar livre, usar filtro solar, tonificar e limpar a pele pelo menos duas vezes ao dia e evitar alimentos gordurosos e industrializados. Além disso, é importante evitar as bebidas alcoólicas e o cigarro”, completa a doutora Socorro Giorelli.

 

 

 

_________________________

Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de www.idademaior.com.br"