vidaememoria
 

 

 

MUDE O HÁBITO ALIMENTAR DA SUA FAMÍLIA!

 

livro-comer-bem

 

Comer bem! Como?Conhecido como personal dieter, o nutricionista vai até a sua casa, e baseado no objetivo que você quer alcançar, acompanha sua rotina alimentar, mudando-a no que for necessário. Paula Ribeiro e Patrícia Bittencourt decidiram lançar um livro que traduz como funciona este trabalho delas. Comer Bem! Como? será o seu principal aliado para iniciar uma vida saudável. 


BATE PAPO COM AS AUTORAS

 

QUAL A PROPOSTA DO LIVRO “COMER BEM! COMO”?

Queremos dar nossa mensagem, atingir mais pessoas, informar as donas de casa sobre uma nutrição mais adequada para a família.
Há seis anos estamos no mercado fazendo o trabalho de personal dieter, já atendemos muitas famílias, principalmente em São Paulo, Goiânia, Ribeirão Preto e Brasília. Os resultados foram muito satisfatórios e com isso surgiu a ideia de colocarmos no papel o nosso trabalho e como pode-se alcançar um equilíbrio na saúde por meio do conhecimento da verdadeira nutrição.

 

O PRINCIPAL CAMINHO É A REEDUCAÇÃO ALIMENTAR?

Exatamente isso, informar as pessoas de como alcançar um melhor equilíbrio na saúde por meio de uma alimentação mais natural. Tentamos passar para o leitor que os primeiros passos para este equilíbrio são a escolha certa dos alimentos e mudanças do comportamento em relação ao alimento. Desmistificar dois pontos importantes, o primeiro é que a nutricionista não serve apenas pra emagrecer pessoas e segundo ponto que os alimentos fornecem muito mais que calorias, fornecem fundamentalmente, nutrientes que irão nutrir as células. No livro, além de informamos a relação entre os alimentos e os sintomas desagradáveis como dor de cabeça, cansaço e irritabilidade, damos ainda todos os passos para mudar de uma vez por todas a alimentação da sua família.

Como funciona este trabalho realizado com as famílias?

  

A função do personal dieter – profissional nutricionista – é completo. Consiste numa avaliação global sobre os hábitos alimentares da família com o objetivo de modificar o modo de preparo de determinados alimentos, introduzir novos nutrientes na rotina alimentar e restringir alimentos muito consumidos. Esta proposta de mudança é determinada de acordo com necessidade das pessoas envolvidas no processo de mudança, esposa, marido, filhos e funcionários.

 

QUAIS MUDANÇAS SÃO SUGERIDAS?

Orientamos desde as compras dos alimentos até o momento que ele é servido á mesa. Mudanças no perfil da despensa, optando por comprar alimentos mais naturais e menos processados, no comportamento, fazendo da refeição um momento “sagrado”. Além de mudanças na técnica de como

preparar estes alimentos, começando por quem prepara a comida. Estes são, sem dúvida, a chave do sucesso para garantir uma vida mais saúde em busca constante do bem estar.

 

POR QUE A BOA ALIMENTAÇÃO COMEÇA EM CASA?

Acreditamos que o hábito alimentar está fortemente ligado ao estilo de vida das pessoas e resgatar hábitos como comer em casa pelo menos duas refeições ao dia, será é um grande aliado para correção dos maus hábitos. Pensando nisso, melhorar as técnicas de preparo dos alimentos buscando uma refeição mais saudável e equilibrada aliada ao prazer de toda a família, certamente os resultados serão melhores. 

 

No livro, nós disponibilizamos um cardápio completo com todas as refeições.

 

QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DELE?

Este cardápio tem características funcionais e práticas. Funcional, pois utilizamos alimentos com propriedades bioativas que irão favorecer a saúde como um todo. Fazemos também a substituição de determinados alimentos altamente consumidos pela população, como o pão e o leite, por alimentos mais saudáveis e nutritivos.  Infelizmente o cardápio do terceiro milênio é recheado de aditivos químicos e alimentos alergênicos. A ideia é inverter esta realidade com alimentos mais naturais e propor a praticidade em consumi-los.

 

 

O SEXO DOS ALIMENTOS

 

A comida tem um significado mais amplo do que apenas o sustento e interfere psicologicamente na vida de todos. A autora Bunny Crumpacker explora o tema de forma inusitada no livro A Vida Sexual dos Alimentos – Uma viagem através da História e da psicologia da comida (Ideia & Ação, 368 páginas).

 

A narrativa conta os aspectos psicológicos das comidas através de uma viagem na história da humanidade e a influência sexual dos alimentos no cotidiano da sociedade.

 

Crumpacker considera a maioria dos legumes e vegetais ligados ao universo masculino. Frutas em sua quase totalidade são ligadas ao feminino.  

 

Ovos são femininos, e bacon é masculino, não devido a pontos e vista estereotipados sobre os papéis masculinos e femininos — à mesa do café-da-manhã, no trabalho ou na cama —, mas devido a associações subliminares: uma espécie de fronteira psicológica da alma.

 

 Machos, em nossa visão da vida primitiva, eram os caçadores. O homem subjugava a besta; era ele quem trazia o bacon para casa. As mulheres — assim gostamos de imaginar — eram coletoras. Delas eram as cestas para apanhar os ovos; o receptáculo uterino, capaz de conter a semente. Deles eram as armas fálicas — a lança, a faca, a flecha e, mais tarde, as balas. Ele era duro e forte.

 

A comida “de homem” que o sustentava era feita à sua imagem e semelhança. Ela era suave e curvilínea.  Seu corpo ainda se molda em função de sua prole; antes e depois do nascimento desta. Quanto mais suave a comida, mais acalentadoramente feminina ela é.” – diz ela em trechos da obra.

 

Alguns bebês antes mesmo de nascer tentam comer alguma coisa ainda dentro do útero materno, sendo assim chupam o dedo para se saciar. Existem crianças que ao chegarem ao mundo exterior têm os dedos com calosidades, tamanha a veracidade com que tentam preencher o vazio que sentem. Assim que nascem a primeira necessidade e contato com a genitora é através da alimentação. Novamente o ato de sucção na amamentação, e, assim, o elo de amor e paixão se estabelece entre mãe e filho. A comida é o primeiro conforto do ser humano, primeira recompensa e também a  primeira frustração.

 

A autora cita que não se comem aranhas tarântulas, mas uma lagosta é muito bem-vinda. Frango é extremamente saboroso, mas não gralhas.

Comer é um processo complexo que não depende apenas das papilas degustativas, mas também da história pessoal, julgamento, cor, aroma, textura, e sabor. Porém qual a relação com o sexo?

 

A autora relata curiosidades que provam a afinidade que passa despercebida. A boca, língua, o ato de chupar, morder e lamber que são usados durante a alimentação, também estão presentes quando interagimos com o próximo. Já nas escolas, as imagens da banana e das salsichas geram piadinhas terríveis entre as crianças.

 

O prazer de comer ou o prazer da libido, a fome e o apetite sexual, essas são algumas das diversas associações que são descritas no livro que mostra as importantes conexões feitas na mente humana antes, durante e depois da alimentação. A obra é baseada em pesquisas, insights psicológicos, fatores clínicos e sexuais. Apesar da seriedade do assunto, Bunny Crumpacker aborda o tema de forma leve e descontraída com humor picante.

 

 

_________________________

Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de www.idademaior.com.br"