vidaememoria
 

 

 

METADE DOS BRASILEIROS NÃO SABE O QUE COMER

PARA SE MANTER SAUDÁVEL

 

De acordo com estudo realizado pelo Instituto Ipsos com 1.200 brasileiros de todas as regiões do país, os resultados apontaram que 49% dos brasileiros não sabem o que deveriam comer para se manter saudável, e 75% gostariam que a indústria ajudasse em suas escolhas no momento da compra.

 

Já a pesquisa do ITAL (Instituto de Tecnologia de Alimentos) e FIESP, realizada recentemente pelo IBOPE com base em diversos fatores, como crescimento da população no Brasil e no mundo, aumento de poder de compra, participação das mulheres no mercado de trabalho e maior acesso à informação, resultaram em cinco grupos de tendências: Sensorialidade e Prazer; Saudabilidade e Bem-Estar; Conveniência e Praticidade; Confiabilidade e Qualidade; Sustentabilidade e Ética.

 

Cada grupo determina o que as pessoas buscam ao comprar os alimentos, por exemplo, embalagens recicláveis, selos de qualidade, energéticos, alimentos premium, pratos prontos, entre outros. De acordo com as pesquisas apresentadas, podemos concluir que a decisão que leva poucos segundos é capaz de ajudar na prevenção de doenças crônicas, como obesidade, diabetes e as cardiovasculares.

 

A indústria brasileira já conta hoje com um selo para facilitar a escolha por produtos mais saudáveis. O selo Minha Escolha, por exemplo, tem por objetivo identificar os produtos que estejam de acordo com os critérios considerados adequados em relação à quantidade de sal, açúcar, gorduras saturadas e gorduras trans. Ao identificar o selo nas embalagens, o consumidor estará ciente dos atributos dos alimentos e poderá adquiri-los com total segurança.

 

“O que comemos é determinante para nossa saúde. Hoje, as pessoas estão mais conscientes disso, porém, ainda sentem dificuldades para decifrar o rótulo dos alimentos, ele é a melhor tradução do produto e funciona como um RG, que identifica toda a sua composição. Por isso, com o selo Minha Escolha é mais fácil comparar os alimentos e escolher produtos mais adequados à necessidade de sua dieta”, afirma Carolina Godoy, coordenadora de Nutrição do Instituto Minha Escolha. 

 

O QUE É O PROGRAMA MINHA ESCOLHA?

 

O Programa Minha Escolha é uma iniciativa global de representantes da indústria de alimentos e da ciência, criado para ajudar os consumidores a identificar, de forma simples e rápida, opções saudáveis no momento da compra e estimular as indústrias alimentícias a aprimorar a composição de seus produtos. O Programa desenvolveu uma ferramenta de comunicação clara e objetiva: o selo Minha Escolha.

 

O logo  selo está presente na frente das embalagens dos produtos que possuem níveis controlados de quatro nutrientes-chaves – açúcar, sódio, gorduras saturadas e gorduras trans. Atualmente o Programa está presente em 50 países, em embalagens de mais de 4.000 produtos, de 130 empresas. No Brasil, mais de 200 produtos já levam o selo.

 

 

UM PRATO SAUDÁVEL É UM PRATO COLORIDO

MAXIMO ASINELLI

 

Segundo o nutrólogo Maximo Asinelli, quanto maior a variedade de cor, maior a quantidade de nutrientes diferentes que estaremos ingerindo.

 

-“Uma alimentação saudável, variada e colorida é essencial para a ingestão mais completa dos componentes que ajudam a prevenir doenças e fortalecer o corpo”, complementa.

 

Asinelli dá dicas de quais os nutrientes contidos em cada grupo de cores e em que eles ajudam na saúde.

 

Os alimentos de cor verde como: vegetais folhosos, espinafre, pimentão, o salsão, e manjericão contêm vitamina A e clorofila, substâncias que auxiliam na ação antibacteriana, cicatrizante, combatem o crescimento de tumores, desintoxicam as células, ajudam a proteger o coração e protegem o cabelo e a pele.

 

Os de cor amarela como: cenoura, mamão, manga, laranja, abóbora, pêssego e damasco possuem beta-caroteno, vitamina B-3 e ácido clorogênico, que evitam a formação de substâncias causadoras do câncer, que mantêm o sistema nervoso saudável e ajudam a proteger o coração.

 

Já os alimentos de cor vermelha como: tomate, melancia, cereja, morango, caqui, goiaba vermelha e framboesa têm lipoceno, substância que age como antioxidante. Mas recentemente foi apontado como um protetor eficaz contra o aparecimento de câncer de próstata. Os alimentos vermelhos ainda contêm antocianina que estimula a circulação sangüínea.

 

Os de cores brancas como: o leite, queijo, couve-flor, batata, arroz, cogumelo e banana são ricos em cálcio e potássio. Estes minerais são importantes para o funcionamento do organismo, pois contribuem na formação e manutenção dos ossos, na regulação dos batimentos cardíacos, e para o funcionamento do sistema nervoso e dos músculos.

 

Os de cor marrom como: aveia, nozes, castanhas e cereais, possuem fibras e vitaminas do complexo B. Tais substâncias e nutrientes têm importâncias vitais no organismo, pois melhoram o funcionamento do intestino, combatem a ansiedade, previnem o câncer e as doenças cardiovasculares. 

 

Por fim, os alimentos de cor roxa como: uva, ameixa, beterraba, repolho-roxo, figo são ricos em ácido elágico e quercitina, que diminuem os riscos de ataques cardíacos, neutralizam as substâncias cancerígenas antes de invadirem o DNA, melhoram o aspecto da pele e retardam o envelhecimento.

 

O autor Maximo Asinelli é nutrólogo

 

 

CONSUMO DE ALIMENTOS RICOS EM CÁLCIO

PODE PROLONGAR A VIDA

 

Pesquisadores suecos, que acompanharam durante 10 anos mais de 23 mil homens com idades entre 45 e 79 anos, descobriram que aqueles que consumiam maior quantidade de cálcio na alimentação eram 25% menos propensos a morrer durante o estudo, comparados àqueles com a menor ingestão do nutriente.

 

As análises mostraram que os maiores consumidores de cálcio na alimentação tinham 25% menos chances de estarem entre os 2.358 participantes que morreram durante o acompanhamento, e 23% menor risco de morrer de doença cardíaca do que aqueles que não ingeriam muito cálcio.

 

O grupo que ingeria maiores níveis do mineral consumia cerca de 2.000 mg diários - principalmente no leite, laticínios e cereais -, contra cerca de 1.000 mg do um terço que ingeria menos cálcio.

 

O consumo de cálcio recomendado pelas autoridades de saúde é de mil para homens de 19 a 50 anos e de 1.200 para aqueles com mais de 50.

Segundo os pesquisaodres, a ingestão de cálcio acima do recomendado diariamente pode reduzir a mortalidade por todas as causas.

 

O nutriente pode reduzir a mortalidade de várias formas, como, por exemplo, reduzindo a pressão sanguínea, o colesterol e os níveis de glicose no sangue.

 

FONTE: Correio do Brasil Por Redação, com agências internacionais

 

 

NOZES AJUDAM A BAIXAR

OS NÍVEIS DE COLESTEROL NO SANGUE

 

Uma pesquisa norte-americana comprovou que comer nozes pode ser uma saída para combater, o colesterol LDL, conhecido como colesterol ruim.

O estudo, liderado por Joan Sebate, da Universidade de Loma Linda, na Califórnia, comparou indivíduos que não comiam nozes com outros que ingeriam o mesmo fruto seco. Durante a investigação foram analisados 25 testes realizados em sete países, envolvendo homens e mulheres entre os 19 e os 86 anos, com níveis altos ou normais de colesterol.

A conclusão é que as pessoas que comeram 67 gramas de nozes por dia registraram uma queda de 5,1 por cento da concentração total de colesterol e uma diminuição de 7,4 por cento na lipoproteína LDL-C, o colesterol de baixa densidade, conhecido como mau colesterol.

Algumas pessoas que também sofriam com alteração na taxa de triglicerídeos e participaram da pesquisa obtiveram resultados surpreendentes. Ao consumir a mesma quantidade de nozes daqueles que lutavam contra o colesterol alto, registraram uma queda de 10,2 por cento nos níveis de lípidos no sangue.

 

 

OS BENEFÍCIOS DO GENGIBRE


Cultivada e muito utilizada no Oriente há milhares de anos, o gengibre (zingiber officinalis) é um ingrediente básico e quase obrigatório nas culinárias japonesa, tailandesa e chinesa e indiana.

Mas suas propriedades vão muito além do sabor forte e picante, que normalmente agrada o paladar e confere um toque todo especial aos pratos que são preparados com ele. Na medicina ayurvédica, por exemplo, é chamado de "remédio universal", pela grande variedade de benefícios que proporciona à saúde.

O gengibre produz calor no organismo e age de forma eficaz em casos> de gripes, tosse, rouquidão, congestão nasal, dores de garganta e outras infecções, atenuando seus sintomas e fortalecendo o sistema imunológico, por isso, sua utilização é muito indicada para tratar e prevenir os males a que estamos sujeitos durante as épocas mais frias do ano.

Pesquisas também comprovaram sua atuação no sistema digestivo e é ótimo para combater náuseas e enjôos, inclusive por pessoas que sofrem com estes sintomas durante deslocamentos de barco ou de carro. Ou para pacientes que estão sendo submetidos a tratamento com quimioterapia também experimentam um grande alívio das náuseas causadas pelos medicamentos.


Se pode incluí-lo no preparo de diversos alimentos, como sucos, sopas, saladas e refogados. Para um uso mais medicinal, o ideal é preparar um chá com as raízes e consumi-lo entre as refeições.

 

Ou então, misturar com outras ervas, como hortelã, eucalipto e capim limão, se o objetivo for tratar de problemas causados por gripes e resfriados. O consumo diário do chá é muito eficaz na prevenção de crises de enxaqueca. Para combater enjôos, basta mastigar um pouco dele cru, com exceção das gestantes, que devem utilizar apenas o óleo essencial, num difusor de ambientes.

 

Como ele tem a capacidade de esquentar o corpo também provoca uma aceleração no metabolismo, ativa a circulação, estimula a mente e mantém a vitalidade. Uma boa dica é fazer um escalda pés ou preparar um banho com algumas gotas do óleo essencial de gengibre naqueles momentos em que nos sentimos sem ânimo, apresentando sintomas típicos de depressão, ou esgotados após um dia estressante de trabalho, por exemplo.

É antiinflamatório, antibactericida e alivia dores musculares, de cabeça e cólicas menstruais. Nos casos de contraturas musculares, lombalgia, cervicalgia, reumatismo e artrose, pode-se massagear as regiões afetadas com o óleo essencial diluído em óleo vegetal, fazendo movimentos fortes e fricção, que produzirão efeitos de aquecimento e analgesia.

 

 

_________________________

Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de www.idademaior.com.br"