maiores
 

 

OS MAIORES

Aqui você vai ler assuntos de várias áreas voltados ao envelhecimento, ligados ao que está acontecendo ou ao que devemos estar atentos.
Falamos também dos idosos.
Descubra porque eles são os Maiores.

" O TEMPO É UM PONTO DE VISTA.
VELHO É QUEM TEM UM DIA A MAIS DO QUE EU".

MÁRIO QUINTANA, ESCRITOR GAÚCHO, FALECIDO AOS 87 ANOS EM 1994

ENVELHECER SEM ABDICAR
ELENA

Há um tempo. li um artigo na sua excelente revista eletrônica Idade Maior, sobre um ancião hipotético, uma espécie de síntese dos que chegaram à 3º idade, em que expõe com sinceridade, os tropeços da velhice, pedindo, se não perdão, compreensão, pelo andar hesitante, pelo modo de falar, de sentar à mesa, etc.

Aos 83 anos e tendo muitas das fraquezas citadas pelo autor anônimo (vista fraca, andar mais pesado e, às vezes, inseguro), não as nego, mas penso poder acrescentar mais algumas considerações.

O esgotamneto de várias faculdades tão marcantes na velhice não é um fato que separa nitidamente a terceira idade das outras. É uma característica da própria vida, da qual ninguém pode fugir. Somos uma máquina biológica que, após o tempo do crescimento (primeira idade) alcança, por um pequeno período, o auge de sua capacidade e logo começa a decair. ninguém, aos quarenta anos corre como aos vinte, nem, aos cinqüenta, tem a vista dos trinta.

O envelhecimento, isto é, a diminuição progressiva da energias físicas e, mesmo, intelectuais, é inevitável e rigorosamente geral. Todos nós, velhos, podemos, sem errar, dizer aos mais jovens - "Eu sou você amanhã".

O mesmo bom senso nos ensina que o "inevitável" não pode ser negado nem escondido ou disfarçado e de nada adianta tentar brigar com ele. Isto porém não implica em aceitação passiva ou resignada. O "inevitável" deve ser aceito mas, ao mesmo tempo, deve ser compensado por algo superior às próprias deficiências.

Nós, da idade maior, mesmo os que passamos dos três quartos de século de vida, o que devemos possuir e mostrar como valor superior é a dignidade, a serenidade diante das dificuldades e conflitos. Podemos e devemos ser um referencial de equilíbrio e um exemplo de alguém que passou por percalços sem se deixar ser esmagado por eles. Perdemos gradualmente as forças (todos passam por isso), mas podemos granjear mais respeito e carinho.

Se soubermos alcançar uma posição de verdadeira superioridade moral e de atitudes em todas as manifestações, mesmo as mais banais, o nosso andar hesitante, a nossa dificuldade de ler ou de manusear o garfo, não receberão ajuda por compaixão ou obrigação mas, sim, como um ato de carinho e, mesmo, de gratidão e apreço.

Este e-mail nos foi enviado pela internauta Elena.

 

UMA QUESTÃO PESSOAL
Jussara Câmara

Quando o assunto é envelhecer de maneira saudável temos que ter como lema: mente sã em corpo são.

Mas isso, não é nada fácil para ser praticado. Diariamente, recebemos uma carga maciça, mostrando o culto à juventude, com rostos sem rugas, corpos sarados, sem nenhuma imperfeição, principalmente em relação a nós, mulheres.

Este culto que aos poucos incutimos, vai extrapolando todos os limites, a ponto de que quando não se é mais jovem e linda, encontramos grandes dificuldades para namorar e conseguir trabalho. E o pior, algumas mulheres já se mostram tão resignadas, que nem tentam mais, porque acham que não vão conseguir nada mesmo.

No entanto, a nossa relação com a idade e o tempo é confusa desde os primórdios. Quando somos crianças queremos crescer logo e o tempo parece não passar. Na adolescência, pensamos em ser adultas, conquistar o nosso espaço, fazer de tudo rapidamente e o tempo é pouco.

Já na idade adulta, com um lar constituído ou solteiras independentes e conscientes, aí sim, os anos passam voando e começamos a questionar as marcas que o tempo vai nos deixando...

Envelhecer na verdade, é uma questão natural e depende apenas da nossa atitude diante da vida. Perceber as mudanças que sofremos e ter capacidade de assumi-las é fundamental, assim como, cuidar-se é necessário. O que temos que parar é de lutar contra o envelhecimento, porque não adianta. Esta é uma guerra perdida, para quem ainda não sabe.

E já que a população brasileira está envelhecendo, vamos começar a apregoar as vantagens das nossas idades internamente e publicamente, porque em volta, tem muita gente igual a nós e que não admitem. Alguém tem que começar a mostrar as vantagens e quanta coisa boa pode ser feita aos 40, 50 anos, 60 anos, 70 e assim por diante. E que tal começar agora?

Eu espero que em 2009 possamos ser mais confiantes conosco, mais pacientes com os outros e mais conscientes que só gostando de nós mesmos podemos gostar dos outros. Felicidades e grandes realizações para o próximo ano. 

 


_______________________

Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de www.idademaior.com.br"