vidaememoria

 

NASCER É UMA PROBABILIDADE,

ENVELHECER É UM PRIVILÉGIO.

 

VAMOS VIVER A VIDA!

JUSSARA CÂMARA

 

grupo-Payot

 

A vida é para ser vivida a qualquer momento, com alegria e vitalidade. Ela é composta por  um conjunto de momentos felizes e outros não, mas nem por isso, desprezíveis pois eles nos ensinam como sobreviver, nos dando maturidade. Por esta razão é que temos de levá-la da melhor maneira possível, sempre o agora e fazendo o bem, pois os caminhos se abrem e a gente é mais feliz.

 

Conhecer novos lugares, participar de atividades, sair, dançar, ler ou voltar a estudar, interagir com pessoas que possuem interesses semelhantes, ampliando o círculo de amizades são ótimas alternativas para se viver melhor.

 

Toda quinta-feira à tarde um grupo de senhoras, de 50 a 92 anos - se reunem no Centro Estético Payot, no bairro carioca do Flamengo para relaxar, conversar e interagir entre si.

 

O Grupo chamado de Vivências & Convivências conta com 40 senhoras cadastradas e começou há 3 anos. A terapeuta corporal Jô Valença foi a responsável pela criação do Grupo. Hoje ela se tornou a coordenadora da Payot Rio e infelizmente, não tem tempo mais para se dedicar ao Grupo, o que ela lamenta muito, pois diz que se sentia muito bem, quando estava junto às senhoras. “A energia do Grupo é muito forte e boa”, complementa.

 

Esta também é a opinião das suas participantes que falam que o Grupo eleva o ego, serve para entrosar, fazer amizades e participar de um outro mundo, que não é só família e casa e que muitas vezes, as deixam de lado.

 

 grupo

 As atividades começam às 14.30 com o fisioterapeuta e acupunturista Dr. Fabiano Fintelman mostrando como cada uma pode aliviar suas tensões através de auto massagens. A seguir, eu como jornalista  escolho temas do cotidiano para discutirmos, incentivando que cada uma se expresse e ouça a outra, habilidade não muito praticada hoje em dia, em função da falta de tempo entre as pessoas e também, da solidão entre elas. Finalmente, a fonoaudióloga Aline Silva resgata a voz de cada uma  através de exercícios vocais.

 Ao se ver a  algazarra, imagina-se que todas vivam num mar de rosas, sem problemas.  Estas senhoras bem vestidas, elegantes e transbordando alegria, muitas vezes tiveram que dar a volta por cima em suas vidas.

 

Muitas delas lutaram muito, para sustentar seus filhos. Outras casadas, que não faziam nada e tinham tudo, dado pelo pai ou marido, descobriram tarde, que aquele carinho era só fachada e não preenchia.

 

Algumas buscaram penosamente outra saída para suas vidas, que as deixassem mais felizes. E outras, procuraram soluções, algumas sofridas.

 

Independente da fórmula, muitas delas tiveram que buscar força, coragem e determinação para atuar de maneira eficaz e construtiva, por respeito a si mesmas. Demonstrando assim que acreditaram em suas capacidades e que mereciam ser felizes.

 

Isto se chama amor por si mesma, auto-estima elevada, que é a chave para o sucesso e bem-estar de cada um. E é uma forma de se superar perdas e danos internos.

 

No entanto, sentimentos de angústia, solidão, desvalorização aparecem muito quando envelhecemos, impedindo-nos de lutar ou mesmo, procurar saída. Eles são desencadeados também por fatores externos como problemas financeiros, de saúde, relacionamentos familiares, com amigos, que nos afetam diariamente.

 

É necessário então, uma vigilância constante para que o desânimo não nos domine. Acreditar mais em si próprio, saber que se vai conseguir e que basta para isto, querer muito, é uma maneira de dar a volta por cima. Mas, para isto é necessário se conhecer mais e melhor.

 

Quantas vezes guardamos raivas e tristezas de fatos acontecidos há anos, que ficam enraizados internamente e nos deixam à mercê deles. Esses sentimentos negativos fazem mal, não possibilitando um crescimento interno, além de serem nocivos à saúde.

 

Normalmente, essas pessoas são mais tensas, ansiosas e mais propensas a ter pressão alta, palpitações, dores de estômago e insônia, quando não são doenças mais sérias.

 

tango

 

Participar de conversas inteligentes em grupo é uma forma de se colocar para fora problemas internos e ouvir outras pessoas, que muitas vezes, têm problemas bem maiores do que os nossos.

 

Procurando fazer o que gostam, se dedicando a um prazer interno, que pode ser uma atividade artística ou um hobby, enfim, o importante é saber lidar com suas emoções, entender o porquê de certas atitudes internas, reconhecer suas capacidades e estimular os sentimentos positivos. Somente sabendo do que somos capazes e reconhecendo nossas limitações, é que podemos gostar de nós mesmos, mesmo que esse aprendizado leve tempo.

 

 

A JUVENTUDE NÃO É UMA ÉPOCA DA VIDA,
É UM ESTADO DE ESPÍRITO
PROVÉRBIO CHINÊS

MEDO DE ENVELHECER
JUSSARA CÂMARA

 

medo-de-envelhecer

 

Nossa cultura exalta e cultua o jovem produtivo. A sociedade valoriza a beleza de corpos rígidos, dentes perfeitos, pele sem vincos e cabelos com brilho.

 

As propagandas apregoam os cremes anti-rugas, as tinturas para esconder fios brancos, mostram filtros solares protegendo corpos perfeitos e os anúncios de emprego procuram candidatos até 35 anos.

 

A partir dos quarenta, cinqüenta anos entramos na ansiedade do envelhecer. Muitas vezes, este medo gera uma crise semelhante ao período da adolescência, isto é muito comum em sociedades que não valorizam seus idosos, que as pessoas não queiram envelhecer.

 

A velhice brasileira está começando a ser vista primeiramente, pela sua realidade numérica e cuidada, através de um Estatuto a ser aprovado; onde os maus-tratos e a negligência aos direitos dos mais velhos serão mais fiscalizados.

Reconheço que a partir dos anos 80 aumentou significativamente o interesse pela chamada “Terceira idade”, chegaram até a chamá-la de melhor idade, que muitos idosos consideram pejorativo. Eu também!

Atualmente, o idoso é tema de preocupações das políticas  públicas,  sobretudo em épocas eleitorais e interessa ao mercado pois representa divisas para o lazer e bens de consumo dirigidos. Contudo, em nossa sociedade, agravam-se as desigualdades em relação à população idosa; é aí que a injustiça torna-se mais evidente: é muito diferente ser velho rico ou ser velho pobre.

Muitos ainda consideram o idoso não como um problema social ou na família, mas como uma pessoa importante pela sua história, memória e experiência.  No entanto, ainda a velhice pode ser discriminada, ou encaminhada ao isolamento. Para que isso não aconteça, este exercício deve começar dentro de nós mesmos.

 

Ficar velho não significa nos tornarmos um peso morto para a família. E nem é obstáculo para projetos futuros.

 

Aqueles que não aceitam o envelhecer como uma fase natural e positiva, se deprimem, passam a se queixar da vida, ficam amargurados. Esquecem que a auto-estima e a autoconfiança são importantíssimas para encararmos o envelhecer.

 

Envelhecer é um processo inexorável da vida. Se soubermos quem somos, do que somos capazes e o fato de estarmos conectados com nosso interno, passamos por essa fase e a aceitamos melhor. É uma fase em que temos de nos libertar de "fazer" para entrar na fase do "ser" .

 

Passamos a ter outros papéis na vida. Não somos mais pais e sim, avós. Podemos não estar mais trabalhando e sim, aposentados. Podemos também estar viúvos.

 

Aqueles que construíram sua vida voltada para valores mais sólidos, que têm um relacionamento social melhor, histórias para contar, família que os apóia e respeita, evidentemente irão encarar melhor seu envelhecer e procurarão se ajustar aos novos tempos.

 

Não havendo patologia na velhice, não existe razão para temer a idade, salvo se não entendermos o processo da própria vida.

 

Fora isso, devemos nos lembrar que o Brasil deixou há muito de ser um país jovem, para contabilizar rugas e vincos.

 

casal-praia

 

  

VOCÊ AINDA É REALMENTE JOVEM?

CRISTIAN BARBOSA

 

Você acha que a vida está passando rápido demais? Não tem tido tempo para aproveitar as coisas que você gosta? Faz tempo que você não tira um tempo para você? E aquele livro que você queria ler, ficou para depois? Não fique preocupado se você disse sim a pelo menos uma das perguntas acima, você não é o único.

 

Essa sensação de que a vida está passando e você não está aproveitando está se tornando cada vez mais comum. Isso reflete a falta que faz, atividades importantes no seu tempo.

 

Importante é algo que irá trazer um benefício real para você a curto , médio ou longo prazo. Pode ser uma atividade de lazer, intelectual, emocional, social, espiritual, familiar, profissional, etc. O que pode ser importante para você, pode não ser para mim. Não importa o que é que você irá fazer, importa o efeito que isso vai causar para você.

 

Quer ouvir uma música? Ver um filme? Dar um grito? Dar um abraço? Dizer que ama alguém? Ler uma piada? Fazer uma massagem? Tomar um drink? Ler aquele artigo interessante?

 

O que você pode fazer de importante por você agora? Que tal parar por 3 minutos e fazer algo simples, mas importante para você?

 

Sabe o que é pior disso tudo? É que viver o importante é tão óbvio, tão simples e prazeroso de fazer, mas sempre é negligenciado, adiado em função da última urgência ou da nova circunstância.

 

Você não precisa administrar seu tempo! Você precisa administrar a importância na sua vida! Você já está cheio de urgências e circunstâncias, mas faltam momentos importantes para curtir.

 

É comum ouvir as pessoas falarem que depois dos 20 anos o tempo voa! Eu não me conformo com essa frase. Em outras palavras esse chavão quer dizer: “ Quando eu era jovem curtia a vida e agora sou um escravo das urgências.”

 

É fácil lembrar da juventude, afinal foram tantos momentos importantes. A vontade de descobrir o mundo, a impulsividade, a paixão, as baladas com os amigos, os livros, as músicas. Resumindo: você estava feliz, alegre e vivo!

 

O que mudou? Você deixou a rigidez da responsabilidade envelhecer a sua juventude? Os problemas controlarem sua alegria? A gordura estragar sua saúde? A urgência sobrepujar a importância?

 

Eu não vou deixar o jovem que habita em meu ser envelhecer!

 

Simplesmente eu não aceito essa condição. Quando eu for idoso de idade (e isso chegará para todos, graças a Deus!), nunca direi que sou “velho”. Falei para todos que sou um jovem reciclado! Eu vou manter a importância da chama da juventude acesa para todo o sempre.

abracados

Olhe para a sua agenda da próxima semana. Tem algum dia livre? Que tal agendar um compromisso inédito e especial: Reunião com Meu Jovem! — 1 hora deve ser suficiente para começar. Durante essa hora, fuja do escritório, da rotina, da urgência e faça algo importante para você. Curta sua juventude (com responsabilidade é claro – afinal você amadureceu!).

 

Pablo Picasso dizia que se demora muito tempo para se ficar jovem. Se isso for verdade, então você está na infância e começando a entrar na juventude. Mas permita-se crescer na escola da importância para viver a velhice do resultado.

 

Faltam poucas semanas para 2010, o que você vai fazer de importante por você esse ano? Ainda dá tempo! Você tem muitos horários para a reunião com o jovem dentro de você!

 

Cresça Forte e Saudável!

 

FONTE: http://blog.maistempo.com.br/

 

 

 

_________________________

 

Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de www.idademaior.com.br"