vidaememoria

 

FESTAS JUNINAS 


Existem duas explicações para o termo festa junina. A primeira explica que surgiu em função das festividades ocorrem durante o mês de junho. Outra versão diz que está festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina.

 

Esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial. Nesta época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Por exemplo, da frança, veio a dança marcada, característica típica das danças nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas.

 

Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. Da península Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha.  

 

Com o passar do tempo, misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros afro- brasileiros, indígenas e imigrantes europeus, nas diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.  

 

FESTAS JUNINAS NO NORDESTE 
É nesta região, que as festas ganham uma grande expressão. O mês de junho é o momento de se fazer homenagens aos três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio. Os nordestinos aproveitam as festividades para agradecer as chuvas raras na região, que servem para manter a agricultura.

 

No Nordeste, ainda é muito comum a formação dos grupos festeiros. Estes grupos ficam andando e cantando pelas ruas das cidades. Vão passando pelas casas, onde os moradores deixam nas janelas e portas uma grande quantidade de comidas e bebidas para serem degustadas pelos festeiros.

 

Já na região Sudeste são tradicionais a realização de quermesses. Estas festas populares são realizadas por igrejas, colégios, sindicatos e empresas. Possuem barraquinhas com comidas típicas e jogos para animar os visitantes. A dança da quadrilha, geralmente ocorre durante toda a quermesse.

 

Além de alegrar o povo de cada região, as festas representam um importante momento econômico, pois muitos turistas visitam cidades nordestinas para acompanhar os festejos. Hotéis, comércios e clubes aumentam os lucros e geram empregos nestas cidades. Embora a maioria dos visitantes seja de brasileiros, é cada vez mais comum encontrarmos turistas europeus, asiáticos e norte-americanos que chegam ao Brasil para acompanhar de perto estas festas. 

 

                                                 

SÃO JOÃO

 

Noite de São João, celebrada em 23 de junho, véspera da data de nascimento de São João que, em vida, foi um pregador austero e de moral rigorosa. No entanto, é honrado em festas alegres e dionisíacas, com muita comida, dança e bebida.

 

A data coincide com o solstício de verão no hemisfério norte. Desde tempos remotos, camponeses de toda Europa comemoravam, acendendo fogueiras. A tradição estendeu-se ao Brasil e outros países latino-americanos, coincidindo, neste caso, com o solstício de inverno.

 

A fogueira, o banho de cheiro, a poesia simples das cantigas do povo, o gosto bom da canjica, o perfume apetitoso das rosquinhas e dos bolos, as sortes, todo um mundo de esperanças, era assim que se festejava São João, sem dúvida a mais antiga e a mais brasileira das festas.

 

São João é o mais comemorado entre todos, especialmente, na zona rural, quando em sua honra as festas contam com comidas especiais à base de milho como canjica e pamonha, por exemplo. A música geralmente utilizando a sanfona é própria para a ocasião, são queimadas fogueiras e usadas roupas típicas para a dança da quadrilha. Entre as brincadeiras destacam-se a pescaria, leitura da sorte, rifas e leilões. 

COMIDAS TÍPICAS 

Como o mês de junho é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados, relacionados às festividades, são feitos deste alimento. Pamonha, cural, milho cozido, canjica, cuzcuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos. 

 

Além das receitas com milho, também fazem parte do cardápio desta época: arroz doce, bolo de amendoim, bolo de pinhão, bombocado, broa de fubá, cocada, pé-de-moleque, quentão, vinho quente, batata doce e muito mais. 


DIA 29 DE JUNHO

 

O principal discípulo de Jesus Cristo, apóstolo e missionário da primitiva Igreja cristã. Seu nome verdadeiro era Simão e, segundo a tradição, foi o primeiro bispo de Roma, onde morreu martirizado.


 As fontes de informação sobre Pedro encontram-se nas epístolas de São Paulo, escritas entre os anos 50 e 60; nos quatro evangelhos canônicos, nos Atos dos Apóstolos — escritos entre o ano 65 e fim do século I —, nas epístolas canônicas das quais foi autor mas escritas, provavelmente, por outra pessoa, no século II.

 

"Se Santo Antônio era casamenteiro, São João, o santo distraído, São Pedro, o mais sério dos três santos, representava a última esperança de casamento para as jovens. Diziam que Santo Antônio arranjava logo marido, São João escolhia mais, e o melhor marido era arrumado por São Pedro, pois o santo fazia as coisas bem feitas."

 

E muitas eram as sortes - a aliança amarrada a um fio de cabelo bateria na borda do copo o tempo de espera pelo eleito; a cera pingaria no fundo de um prato a forma da letra de seu nome e uma chave debaixo do travesseiro propiciaria os sonhos com o amado. Papeizinhos com versos de amor amanheciam à janela dos jovens enamorados. Nas comemorações da festa de São Pedro, protetor dos pescadores, embora mais simples, também, são encontrados os componentes dos festejos juninos e, ainda, procissões marítimas no litoral e fluviais no rio São Francisco.

 

FONTE: http://www.suapesquisa.com/musicacultura/historia_festa_junina.htm

 

 

ABAIXO DUAS RECEITAS PARA SUA FESTA DE SÃO JOÃO

ARROZ DOCE TIO JOÃO COM CHOCOLATE
INGREDIENTES:
1 xícara (chá) de arroz Tio João

Meia  colher (sopa) de gengibre fresco ralado

Meia colher (chá) de canela em pó
Meia colher (chá) de cravo em pó

300g de cobertura de chocolate branco picado

MODO DE PREPARO:

Cozinhe com o arroz com 1 ½ litro de água, o gengibre, a canela e o cravo por aproximadamente 20 minutos ou até que esteja macio.

Junte o chocolate e misture para que derreta e incorpore ao líquido.

Sirva a seguir, polvilhando sobre o arroz

a mistura de canela em pó com chocolate.

 

PARA POLVILHAR:

Meia colher (sopa) de canela em pó

3 colheres (sopa) de chocolate em pó.  

Rendimento: 15 porções

Tempo de preparo: 40 minutos

 

 

BOLINHO DE MILHO COM TOFU

INGREDIENTES:

- 2 colheres (sopa) de SupraSoy Sem Lactose

- 1 xícara (chá) de farinha de trigo (120g)

- 1 colher (sopa) de açúcar

- ½ colher (sopa) de fermento em pó químico

- ½ colher (café) de sal

- pimenta-do-reino moída na hora

- 1 ovo

- ¼ de xícara (chá) de azeite

- ½ xícara (chá) de milho em conserva (75 g)

- 100 g de queijo tofu em cubos pequenos

- 2 talos de cebolinha lavados e picados

 

MODO DE PREPARO:

Bata no liquidificador 1/2 xícara (chá) de água (100ml)

com todos os ingredientes, exceto o tofu e a cebolinha,

até virar uma massa lisa.

Transfira para uma vasilha e adicione o tofu e a cebolinha.

Unte e enfarinhe 6 forminhas para petit gateau e

distribua a massa entre elas, enchendo-as  ¾ da capacidade.

Asse em forno, preaquecido, a 180°C por cerca de 30 minutos

ou até que fiquem firmes e dourados.

 Rendimento: 6

Tempo de Preparo: 20

 

 

_________________________

 

Direitos autorais (Lei federal nº 9.610/98) - Quando da utilização de material  deste site, deve ser feita a seguinte referência: "extraído de www.idademaior.com.br"